Nº 1079

 

Percorrer o Advento com Deus

Advento é uma palavra com sabor a esperança, sabor que esta palavra perde se a retirarmos do dicionário da fé.

O Advento é uma palavra com sabor de esperança para Deus e para os pobres.

Deus está sempre em advento, porque ama a vida, porque nos ama, porque quer que vivamos, porque sonha loucuras para os seus filhos: Deus sonha, entrega-se e chama-nos a pormo-nos com Ele na tarefa de realizar o que Ele sonhou.

Neste mundo, que pertence a Deus e é nosso, a justiça, a retidão e a lealdade estarão em casa; este mundo estará cheio de conhecimento do Senhor e a paz florescerá nele.

Para o tornar realidade, houve um tempo em que o Senhor veio aos seus como palavra profética, até que, na plenitude dos tempos, veio ao mundo como Verbo encarnado: veio e entregou-Se; vem e entrega-Se; Ele vem e espera sempre que a fé o acolha, e pela fé a terra se torne casa de paz e de justiça, de pão e de liberdade para os excluídos, empobrecidos e desamparados.

O Senhor veio, vem e virá, e o seu nome é Cristo Jesus, o nome de Deus no Advento, de Deus a caminho, de Deus em busca da ovelha perdida, dos filhos que estavam longe de casa, nome do Deus pobre, de Deus com saudades de bem-aventurança para os seus filhos.

Em Cristo Jesus, Deus fez-se servo de todos, chama a todos, acolhe a todos, para que todos conheçamos a sua misericórdia e O louvemos por ela.

Que o teu desejo de O receber prepare o caminho para o Senhor; que o prepare a tua pobreza, a tua necessidade, a tua fome, a tua noite, o teu inferno.

Que prepare o caminho para o Senhor a tua fé, a tua confiança, a certeza do amor que Deus te tem.

Clama pela justiça que Deus quer dar-te. Pede que Jesus entre na tua vida.

Se entras com Deus no Advento, a liberdade terá chegado «aos pobres que clamavam, aos aflitos que não tiveram proteção»; Ele salvará, pelas tuas mãos, a vida dos pobres.

Feliz caminhada de Advento com Deus.

 

James Agrelo, arcebispo emérito de Tânger (adaptado)

 

MEDITAR

Curar feridas

A atuação de Jesus deixou desconcertado o Batista. Ele esperava um Messias que extirparia do mundo o pecado, impondo o julgamento rigoroso de Deus, não um Messias dedicado a curar feridas e a aliviar sofrimentos. A partir da prisão de Maqueronte, envia uma mensagem a Jesus: “És Tu aquele que há de vir, ou devemos esperar outro?”.

Jesus responde-lhe com a sua vida de profeta curador: “Ide contar a João o que estais vendo e ouvindo: os cegos recuperam a vista, os coxos andam; os leprosos ficam limpos e os surdos ouvem; os mortos ressuscitam e aos pobres anuncia-se a Boa Nova”. Este é o verdadeiro Messias: O que vem para aliviar o sofrimento, curar a vida e abrir um horizonte de esperança aos pobres.

Jesus sente-se enviado por um Pai misericordioso que quer para todos um mundo mais digno e ditoso. Por isso entrega-se a curar feridas, curar doenças e libertar a vida. E por isso pede a todos: “Sede compassivos como o vosso Pai é compassivo”.

Jesus não se sente enviado por um Juiz rigoroso para julgar os pecadores e condenar o mundo. Por isso não atemoriza ninguém com gestos justiceiros; pelo contrário, oferece a pecadores e prostitutas a Sua amizade e o Seu perdão. E por isso pede a todos: “Não julgueis e não sereis julgados”.

Jesus não cura nunca de forma arbitrária ou por puro sensacionalismo. Cura movido pela compaixão, procurando restaurar a vida dessas pessoas doentes, abatidas e quebradas. São as primeiras que devem experimentar que Deus é amigo de uma vida digna e sã.

Jesus não insistiu nunca no caráter prodigioso das Suas curas, nem pensou nelas como receita fácil para suprimir o sofrimento no mundo. Apresentou a Sua atividade de cura como sinal para mostrar aos Seus seguidores em que direção temos de atuar para abrir caminhos a esse projeto humanizador do Pai que Ele chamava “reino de Deus”.

O Papa Francisco afirma que “curar feridas” é uma tarefa urgente: “Vejo com clareza que o que a Igreja necessita hoje é a capacidade de curar feridas”. Fala logo de “nos responsabilizarmos pelas pessoas, acompanhando-as como o bom samaritano, que lava, limpa e consola”. Fala também de “caminhar com as pessoas na noite, saber dialogar e inclusive descer à sua noite e obscuridade sem nos perdermos”.

Ao confiar a Sua missão aos discípulos, Jesus não os imagina como doutores, hierarcas, liturgistas ou teólogos, mas como quem cura. Sempre lhes confia uma dupla tarefa: curar doentes e anunciar que o reino de Deus está próximo.

 José António Pagola

 

O meu credo

Creio no Deus único, que existe em comunidade do Pai, do Filho do Espírito e assim:

Creio em Deus Pai e Mãe, que colocou o Seu poder ao nosso serviço e que nos aguarda em ardente espera.

Creio em Jesus, nascido da Virgem humilde de Nazaré, que faz connosco a caminhada de cada dia, participa das nossas alegrias, dores, perdas, sofrimentos e que se tornou um de nós, para nos envolver na misericórdia do Pai e nos mostrar o Seu Reino, em que os mais fracos e desvalidos têm o primeiro lugar.

Creio no Espírito de Deus, que sopra em brisa suave, mas impetuosa e nos atualiza a mensagem deixada de paz, liberdade e exigência fraterna.

Creio na Igreja, feita de pedra vivas reunidas em volta da pedra angular, corpo de Cristo, cheio de mazelas e fraquezas, mas santificado pela Cabeça e em que comunicamos na graça, dia após dia, numa comunhão que não conhece fronteiras, nem tempo.

Creio que desde agora somos semeados na Ressurreição, para a vida eterna, no perdão que o Filho nos fez participar, onde estaremos como os anjos, partilhando de possíveis missões.

mb

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 

E num “Sim” a história abre-se,

a história reabre-se,

torna-se o rio de Deus,

a torrente por onde a Graça de Deus passa.

 

Que, do fundo da nossa vida,

nós também possamos dizer “Sim”

a este Deus que vem,

que vem até nós

e vem através de nós.

Jose? Tolentino Mendonc?a


 

INFORMAÇÕES

ADORAÇÃO DO SANTÍSSIMO

Ribeira Seca - sexta-feira, 16 de dezembro entre as 17 e as 18 horas

 

CONFISSÕES PARA O NATAL:

Biscoitos - terça-feira, 13 de dezembro, depois da missa das 17 horas.

Norte Grande - terça-feira, 13 de dezembro, a partir das 14 horas.

Ribeira Seca - sexta-feira, 16 de dezembro, entre as 17 e as 18 horas.

Norte Pequeno - sexta-feira, 16 de dezembro, a partir das 17 horas.

Urzelina - domingo, 18 de dezembro às 17 horas.

 

MISSA NO SANTUÁRIO DA CALDEIRA

No próximo domingo, 18 de dezembro, às 15h30 horas.

 

FESTA DE SÃO LÁZARO

A comunidade do Norte Pequeno celebra o dia do seu Padroeiro, São Lázaro, no próximo dia 17 de dezembro. A Eucaristia é às 16 horas seguida de procissão.


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 1079

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 1087

Pensamento da Semana

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 

“Não importa o quanto às vezes seja difícil, o quanto às vezes eu me atrapalhe, o quanto às vezes eu seja a densa nuvem que esconde o meu próprio sol, quantas vezes seja preciso recomeçar: combinei comigo não desistir de mim.

Quanto mais o tempo passa, mais amorosamente, mais contente, mais compassiva, eu cumpro esse trato.”

Ana Jácome

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

Visitas


Ver Estatísticas