Nº 495

 

A DÁDIVA MAIS PRECIOSA

 
A vida é tão preciosa... e tão bela. Basta escutar o pulsar radiante do coração do novo dia que nasce no horizonte da esperança. Basta inebriar-me com o doce e suave aroma do teu sorriso que desperta pela manhã todos os sonhos que enterrei antes de te conhecer.
 Basta-me o teu coração como abrigo e os teus braços sempre abertos para me acolher quando as tempestades da alma obscurecem o horizonte da fé e o sol da alegria esconde-se por detrás de nuvens passageiras de dúvidas e medos opressores. Basta a recordação da melodia divina de um pássaro sonhado nas manhãs de uma qualquer primavera da nossa pura inocência. Basta a tua mão entrelaçada na minha a dizer-me que me levantarás sempre que cair e que me perdoarás todos os infortúnios das minhas imperfeições.
A vida é um dom. O amor também é um dom. Não amamos porque queremos. Não amamos porque desejamos desesperadamente amar. Amamos porque nos foi concedida essa dádiva maravilhosa, que precisamos cultivar, cuidar, tratar, vigiar, proteger... Tens de dar a tua dádiva para que ela cresça em ti. Tens de dar o teu amor para que ele viva e se renove.
 Essa dádiva única e preciosa tem de ser compartilhada se quiseres que ela permaneça contigo. Quanto mais deres, mais terás. Sentirás uma alegria inexprimível por partilhares a tua dádiva, mesmo que não recebas nada em troca. Não esperes receber algo em troca para alimentar o teu dom de amar. Acima de tudo preserva a tua dádiva de amor como um tesouro a ser compartilhado diariamente.
Se alguém chora, vai e oferece-lhe a tua dádiva de amor.
Se alguém sofre, vai e oferece-lhe o consolo e conforto do teu dom de amor.
Se alguém está só, vai e oferece-lhe o abrigo do teu coração onde habita a tua dádiva de amor.
Se alguém tem fome, vai e partilha o teu tesouro.
Se alguém desconhece esta dádiva, vai e mostra-lhe que ela existe dentro de cada um de nós.
Se alguém perdeu a esperança, vai e leva-lhe a dádiva de luz que trazes dentro de ti.
Se alguém grita de dor, vai e leva-lhe o silêncio sagrado da tua dádiva.
Se alguém está doente, vai e leva-lhe o conforto da tua presença luminosa.
Se alguém se sente culpado, vai e leva-lhe o poder libertador da tua dádiva.
Se alguém se sente rejeitado, vai e acolhe-o no seio da tua dádiva de amor.
A vida é tão preciosa... O melhor da vida? Este dom gratuito que faz pulsar o coração e é a essência da vida. Ou como alguém muito apaixonado disse: "A vida é a visão do Infinito, de todas as possibilidades e realizações que o amor pode trazer(...) Um homem só pode entregar-se nas mãos de alguém quando o amor é tão grande que o resultado dessa entrega é a liberdade total". Não se pressupõe a existência do amor sem liberdade. Liberdade para ser, para se reinventar, para romper com preconceitos, para superar falsos limites, para enfrentar todos os medos, para se transformar em luz que ilumina, inspira, cativa, estimula, edifica…
Publicada por Paulo Costa
 

XVIII DOMINGO COMUM

Tema:

Ao proclamar a frase de Jesus no Evangelho: Dai-lhes vós de comer - sempre tive a sensação de que Jesus pedia aos seus discípulos que se dessem às pessoas. O que elas precisavam não era só de pão para comer mas sobretudo de alguém que lhes falasse, lhes desse atenção, que as escutasse e acolhesse. Por isso os discípulos deviam oferecer-se às pessoas, antes de lhes servir o pão.
Ainda hoje nós teimamos em dar coisas às pessoas em vez de nos darmos. Isto vai contra aquilo que Jesus fez e continua a fazer. Sempre que celebramos a Eucaristia, no ofertório apresentamos no altar de Deus coisas: pão e vinho, frutos da terra e do nosso trabalho. Em troca recebemos não coisas mas o próprio Jesus, o Seu Corpo e Sangue. Ele não dá coisas, dá-se a si próprio.
Recordo um episódio ocorrido num grande Centro Comercial. Mãe e filho passeavam por entre a multidão. O miúdo vinha carregado de prendas. A mãe oferecera-lhe um livro, uma cassete, um jogo, um gelado etc. A certa altura mostrou-se insatisfeito, nervoso até. A mãe perguntou-lhe:
- E agora o que é que queres que eu te dê?
- Eu quero que me dês a tua mão.
E assim de mãos dadas, foram passeando felizes, indiferentes a tantas prendas e a tantas maravilhas.
Quando as pessoas se dão a si próprias, nada faltará a ninguém, porque tudo o mais virá por acréscimo.
Pe. José David Quintal Vieira, scj
 

MEDITAR

 

RECONCILIANDO-TE CONTIGO PRÓPRIO (1ª parte)

 
Quem vive reconciliado consigo próprio
consegue também criar harmonia à sua volta.
 
Quando te aceitas tal como és,
e te reconheces a ti próprio,
sentes-te mais activo no universo a que pertences.
Para que serve, então, o sucesso?
Basta que algo te alegre, para seres feliz.
A felicidade está em ti.
Não precisas de a alcançar
recorrendo ao sucesso exterior.
Se te reconciliares contigo próprio
e alcançares a harmonia interior
serás feliz, e isso começa a ver-se nos teus olhos.
 
Quando te aceitas a ti próprio,
não precisas de correr atrás do reconhecimento dos outros.
E então, também deixa de ser importante
aquilo que os outros dizem de ti.
 
Anselm Grün, em Em cada dia... um caminho para a felicidade
 

CONTO (362)

AS FORMIGAS

Um dia, as formigas inventaram um vegetal especial para decorar o interior do seu formigueiro. Assim não precisavam de vir cá fora à procura de vegetais naturais.
Com o número de formigas constantemente a crescer, foi preciso ampliar o formigueiro. Tornou-se no Grande Formigueiro. As saídas para o exterior foram fechadas com cimento.
Sucederam-se as gerações de formigas e nunca nenhuma delas se atreveu a sair desse espaço. Era para elas o Universo.
Um dia, uma formiga extraviou-se pelas galerias do formigueiro e deu com um orifício de onde vinha luz. Com o coração palpitante, sai à superfície da terra. Vê a manhã a nascer. Vê um jardim cheio de belas rosas.
Fica fascinada com a descoberta. Lança-se sobre as plantas e começa a cortar e a comer. Quando caiu a noite, regressou ao formigueiro e deu a notícia às suas companheiras, exclamando: «Lá fora há luz, jardim, flores…»
As outras não compreenderam essa linguagem e, julgando que a formiga tinha enlouquecido, mataram-na.
 
Toda a pessoa, porque tem vocação de águia, não se pode contentar em passar a vida metida num buraco a contemplar os mesmos horizontes. Terá de descobrir sempre coisas mais surpreendentes, mais belas. Coisas transcendentes.
In TUTTI FRUTTI de Pedrosa Ferreira

 

"O amor é a fruta da época de todas as estações e está ao alcance de cada mão. Qualquer um pode colhê-lo, sem limites estabelecidos."
"As palavras de Jesus: Amem uns aos outros como Eu vos amei, não devem ser apenas uma luz para nós, mas uma chama que arda dentro de nós."
"Não podemos fazer grandes coisas na terra. Tudo o que podemos fazer são pequenas coisas com muito amor".
Madre Teresa de Calcutá

 

INFORMAÇÕES

FÉRIAS

Durante o mês de Agosto as Eucaristias terão horários diferentes dos habituais. Devido ao tempo de férias e à participação de alguns sacerdotes, que acompanham os jovens a Madrid, houve a necessidade de fazer algumas alterações. Peço que prestem atenção aos horários que vão nos Boletins.
 

CLÍNICA DOS BOMBEIROS VOLUTÁRIOS DA CALHETA

 
A Direcção da Associação de Bombeiros Voluntários da Calheta informa que a médica: Dr.ª Lourdes Sousa. Dermatologista estará na Clínica desta instituição nos dias 17 e 18 de Agosto de 2011.

 

Informa também que a médica: Dr.ª Maria Graça Almeida, Ginecologista e Obstétrica, estará na Clínica desta instituição no dia 8 de Agosto de 2011.

 

As eventuais interessadas podem fazer as suas marcações para os números 295 460 110/ 295460111.

Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 495

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 819

Pensamento da Semana

 

Um anjo nunca se faz conhecer, nós só sabemos que ele esteve connosco quando ele parte. Porque deixa-nos na vida um perfume, deixa-nos na vida um desassossego.

 

Erri de Luca, in Em nome da mãe

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas