Nº 1134

 

CANÇÃO DA INFÂNCIA

"Quando a criança era criança andava e balouçava os braços.

Queria que o regato fosse um rio, o rio uma corrente e esta poça o mar.

Quando a criança era criança não sabia que era criança.

Tudo estava cheio de vida, e a vida era uma só vida.

Quando a criança era criança não tinha opiniões sobre nada.

Não tinha vícios.

Sentava-se com as pernas cruzadas e de súbito desatava a correr,

tinha um remoinho no cabelo e não fazia caretas quando a fotografavam.

Quando a criança era criança era o tempo destas perguntas:

Porque sou eu e não sou tu?

Porque estou aqui, e não aí?

Quando começou o tempo, e quando acaba o espaço?

A vida debaixo do sol é apenas um sonho?

Isto que eu vejo, ouço e cheiro é apenas uma ilusão ou o mundo defronte do mundo?

O mal existe mesmo, ou são as pessoas que são más?

Como se explica que eu, que sou eu, não existisse antes de existir, e que um dia este que eu sou não seja mais este que sou hoje?

Achava muitas pessoas bonitas e agora acha apenas algumas, poucas.

Tinha uma ideia exata do Paraíso e agora mal o imagina.

Não concebia o nada e agora estremece com a sua ideia.

Quando a criança era criança brincava com entusiasmo e agora fica igualmente excitada mas só quando se trata da sua profissão.

Quando a criança era criança as uvas caíam nas suas mãos como só as uvas ainda caem hoje.

As avelãs faziam-lhe aftas na língua e ainda fazem.

No cimo de cada montanha desejava uma montanha mais alta.

E em cada cidade desejava uma cidade maior. ainda é assim.

Chegava às cerejas no topo das cerejeiras com a mesma exaltação que sente hoje.

Era tímida com os estranhos e ainda é.

Quando a criança era criança atirou um pau a uma árvore como se fosse uma lança e essa lança ainda oscila na árvore agora."

Peter Handke

 

MEDITAR

O presente mais precioso dos Magos? A sua própria viagem

Epifânia, festa dos que buscam Deus, dos longínquos, que se puseram a caminho seguindo o seu profeta interior, em palavras como as de Isaías. "Levanta a cabeça e olha." Dois lindos verbos: levantar, erguer os olhos, olhar para cima e ao redor, abrir as janelas da sua casa ao grande sopro do mundo. E olha, procura uma fresta, um canto do céu, uma estrela polar, e lá de cima interpreta a vida, partindo de objetivos elevados.

O Evangelho narra a busca de Deus como uma viagem, ao ritmo da caravana, ao ritmo de uma pequena comunidade: caminham juntos, atentos às estrelas e atentos uns aos outros. Olhando para o céu e ao mesmo tempo para os olhos de quem caminha ao lado, abrandando o passo à medida do outro, de quem tem mais dificuldade.

Depois, o momento mais surpreendente: a viagem dos Magos está repleta de erros: perdem a estrela, encontram a cidade grande em vez da pequena aldeia; perguntam a um assassino de crianças sobre o menino; procuram um palácio e encontraram uma casa pobre. Mas têm a paciência infinita para recomeçar.

O nosso drama não é cair, mas render-se às quedas. E eis que viram a criança nos braços de sua mãe, e se prostraram e ofereceram presentes. O presente mais precioso que os Magos trazem não é o ouro, é a sua própria viagem.

Deus quer que O desejemos. Deus tem sede da nossa sede: a nossa dádiva maior. Entrando, viram o Menino e sua mãe e O adoraram. Adoraram um menino. Lição misteriosa: não o homem da cruz, nem o glorioso ressuscitado, nem o sábio com palavras de luz, nem um jovem em pleno vigor, simplesmente uma criança.

Não só no Natal Deus é como nós, não só é Deus-connosco, mas é um Deus pequenino entre nós. E dele não se pode ter medo e não nos podemos afastar de uma criança que ama. Informem-se bem sobre o Menino e depois façam-mo saber para que eu também vá adorá-Lo!

Herodes é o matador de sonhos ainda em faixas, está dentro de nós, é aquele cinismo, aquele desprezo que destrói os sonhos e as esperanças.

Gostaria de resgatar estas palavras da sua profecia de morte e repeti-las ao amigo, ao teólogo, ao artista, ao poeta, ao cientista, ao homem da rua, a qualquer um: Encontraste o Menino?

Peço-te, procura ainda, afincadamente na história, nos livros, no coração das coisas, no Evangelho e nas pessoas; busca com cuidado de novo, fixando o abismo do céu e o abismo do coração, e depois conta-me como se conta uma história de amor, para que eu também vá adorá-Lo, com os meus sonhos salvos de todos os Herodes da história e do coração.

Ermes Ronchi

 

O TRABALHO DO NATAL

Quando a canção dos anjos se cala

Quando a estrela no céu se apaga

Quando os reis e os príncipes regressam a casa

E os pastores recolhem os rebanhos,

Começa o trabalho do Natal:

Encontrar os perdidos,

Curar os feridos,

Alimentar os famintos,

Libertar os cativos,

Reconstruir as nações,

Construir a paz entre as pessoas,

Alegrar os corações…

E refletir a Luz de Cristo,

Todos os dias, de todas as formas, em tudo o que fazemos e dizemos.

Aí então começa o trabalho do Natal.

Howard Thurman (adaptado)

 

A sabedoria de cada dia 

Viver com coragem e amor é um desafio de cada dia. 

Procurar a paz dentro de nós e sermos a paz no lugar onde nos encontramos é um desafio de todas as horas. 

Mas, cada dia é um recomeço, traz a oportunidade de um novo olhar, de uma nova escolha, de uma nova criação. 

E, se escutarmos a verdade que habita dentro de cada um, o caminho será mais íntegro e divino. 

Agradecermos o que nos chega é abrir a nossa alma ao convite mais bonito da existência; quem eu quero ser? Pois a vida em si mesma é uma bênção. 

Se formos capazes de nos questionar, se formos capazes de olhar o mundo

(incluindo o nosso), de abrir a nossa mente e o nosso coração ao outro, podemos viver esta experiência da vida de forma profunda, apaixonada e verdadeira. 

A cada coração que se alegra, a cada coração que espera, tudo chega. 

Todos somos convidados a fazer parte. Mesmo que por caminhos diferentes, todos somos um. 

Que este novo ano nos traga a sabedoria de recomeçar, todos os dias, com coragem, amor e paz. 

Carla Correia

 

 

PENSAMENTO DA SEMANA

  

"As nossas trevas têm necessidade de estrelas"

Paul Claudel

 

"O Senhor quer que também nós cheguemos a ser estrelas; que também em nós aconteça esta explosão transformadora da fé, por meio da qual é irradiada a luz que Ele depositou em nós para que encontremos o caminho e cheguemos a ser indicadores do caminho para os outros."

 

Bento XVI


 

INFORMAÇÕES

ATIVIDADE DA CATEQUESE

À semelhança dos anos anteriores, o tema da nossa catequese é a solidariedade. Neste sentido, vamos organizar uma feira de usados, com vários tipos de artigos e uma sala de chá, no próximo dia 14 de janeiro, entre as 14 e as 17 horas, na Sociedade União Popular. As receitas irão reverter a favor do povo de Timor, mais concretamente, das localidades onde reside o Sr. Padre José Manuel Machado.


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 1134

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 1143

Pensamento da Semana

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 

Desci do Tabor.

Não estás lá…

Estás na Palavra Viva que escuto com amor.

Estás no Pão que me fortalece a Alma.

Estás no irmão doente e só, que apenas anseia que eu o escute.

 

E eu… apenas preciso de me prostrar perante Ti!

O Sacrário! A Custódia …

O Pão Eucarístico… migalhas de Ti, Meu Jesus…

 

Hoje, dou-Te graças pelo conselho bom, meu Deus.

Que eu saiba sempre escutar o Teu Filho muito Amado...

e levar Jesus a todos e trazer todos a Jesus.

Liliana Dinis

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

Visitas


Ver Estatísticas