Nº 476

 

CARTA A MEU PAI

 
Olá Pai!!!
Não é fácil escrever-te uma carta. Não estás habituado a estas coisas. Mas, já te explico o que me leva a escrever-te, este ano, uma carta no Dia do Pai.
Hoje, todos os alunos da minha escola, são convidados a escrever uma carta ao seu pai, quando são mais pequeninos dizemos-lhes para fazerem um postal ou um desenho para oferecerem aos seus pais neste dia. Alguns até fazem uma poesia.
Dizem coisas muito bonitas e fazem desenhos muito giros e imagino a alegria deles quando entregam ao pai o seu trabalhinho. Penso que os pais ficam todos babados e assim “cheios de vaidade” com os seus filhos. Os olhos brilham e ficam todos contentes porque sabem que são importantes para os seus filhos.
Quando me fazias companhia neste mundo e me acompanhas-te no meu crescimento e dos meus irmãos, não se falava no Dia do Pai e não fazíamos desenhos em postais mas, podes crer que nunca perdi o desenho da tua coragem e determinação que ficou no meu coração. Lembro-me bem do teu sorriso e do teu ar sério. Às vezes, estavas rebentando para rir à gargalhada com as brincadeiras que fazíamos. Acho que era muito giro. Às vezes brincavas connosco os jogos daquele tempo. Lembro-me de jogares às escondidas e de saltares à corda…
Gostava de ouvir a tua voz. Achava que era muito suave e segura. Não me lembro de falares alto. Não sei como conseguias manter tanta serenidade naquela casa cheia de gente. Olha, hoje temos de falar muito alto, talvez seja por causa da televisão, ou dos jogos… Há qualquer coisa que não entendo muito bem… Gostava quando contavas as histórias que lias naqueles livros muito grandes, como gostava de te ouvir quando cantavas pela casa.
Olha pai, achava muita graça às refeições quando falavas do trabalho que era preciso fazer e, desde os mais pequenos aos mais velhos, havia alguma coisinha. Olhavas muito à idade e, então, havia coisas para os mais pequenos e coisas para os mais velhos. Qualquer dia ainda hei-de falar-te mais nessas coisas porque penso que era importante para crescermos com a responsabilidade que querias para os teus filhos.
Uma coisa que era muito importante para ti era estudar. Quando tinhas um tempinho lá vinhas passar uma conta, ouvir a leitura e a tabuada, fazer um ditado e corrigir a cópia… Todos sabemos como eram importantes estas coisas para ti…
Olha pai! Agora não ouço a tua voz, mas quando nos davas os teus conselhos   ensinavas-nos coisas úteis para a nossa vida futura. Engraçado! Nunca dizias muitas coisas mas todas eram importantes e, talvez por isso, elas ainda bailem cá dentro…
Hoje quis escrever esta carta, assim pequenina, para te dizer uma coisa que naquele tempo não te dizíamos: «gosto muito de ti e tenho saudades tuas». Sei que estás sempre a meu lado.
Um abraço, Pai.
 
Pe. Manuel António

II DOMINGO DA QUARESMA

Tema:

No segundo Domingo da Quaresma, a Palavra de Deus define o caminho que o verdadeiro discípulo deve seguir: é o caminho da escuta atenta de Deus e dos seus projectos, da obediência total e radical aos planos do Pai.
O Evangelho relata a transfiguração de Jesus. Recorrendo a elementos simbólicos do Antigo Testamento, o autor apresenta-nos uma catequese sobre Jesus, o Filho amado de Deus, que vai concretizar o seu projecto libertador em favor dos homens através do dom da vida. Aos discípulos, desanimados e assustados, Jesus diz: o caminho do dom da vida não conduz ao fracasso, mas à vida plena e definitiva. Segui-o, vós também.
Na primeira leitura apresenta-se a figura de Abraão. Abraão é o homem de fé, que vive numa constante escuta de Deus, que sabe ler os seus sinais, que aceita os apelos de Deus e que lhes responde com a obediência total e com a entrega confiada. Nesta perspectiva, ele é o modelo do crente que percebe o projecto de Deus e o segue de todo o coração.
Na segunda leitura, há um apelo aos seguidores de Jesus, no sentido de que sejam, de forma verdadeira, empenhada e coerente, as testemunhas do projecto de Deus no mundo. Nada – muito menos o medo, o comodismo e a instalação – pode distrair o discípulo dessa responsabilidade.
(Dehonianos)
 

MEDITAR

 

A BONDADE IRRADIA

«Bondosa é a pessoa que tem boas intenções em relação a nós.
Dela irradia calor.
No seu olhar e nas palavras bondosas,
sente-se que o seu coração é bondoso,
que o bem toma conta dele.

A bondade irradia de uma alma que é boa em si,
que está em harmonia consigo mesma.
Quem sente a sua alma como boa também acredita na bondade alheia.
Como ele vê a bondade no outro,
ele também o tratará bem.
Por sua atitude bondosa, ele desperta o núcleo bom no outro.»
Anselm Grün, em O Pequeno livro da verdadeira felicidade
 

CONTO (344)

CHEIRA A DEUS

Perguntaram a um homem de Espírito em que consistia isso de experimentar e viver a fé. Ele, sem pensar duas vezes, respondeu:
- Consiste em cheira a Deus.
Vendo a estranheza que causou a sua resposta, aclarou-a melhor contando esta história:
«Um dia, Deus chamou três pessoas e ofereceu a cada uma um pequeno frasco que tinha perfume de Vida Eterna.
A primeira delas, espantada por tal oferta do próprio Deus, foi arranjar um fio de ouro para dependurar o pequeno frasco ao pescoço. Esse recordar-lhe-ia Deus e faria tê-Lo sempre presente.
A segunda correu depressa para sua casa, derramou o perfume num recipiente e começou a analisar a sua composição química até obter a fórmula.
A terceira personagem abriu o pequeno frasco, derramou todo o perfume sobre a cabeça e partiu a perfumar o mundo».
Terminada a história, perguntou:
- Qual dos três deixou de cheirar como homem para cheirar a Deus?
Os que o escutavam responderam evidentemente que o terceiro. E ele acrescentou:
- Pois é nisso que consiste experimentar e viver a fé: cheirar a Deus.
in, ALEGRE MANHÃ de Pedrosa Ferreira

 

O DOM DA SOLIDÃO
"O nosso mundo vive cheio de solidão negativa, sem perceber nem aceitar esse dom, essa necessidade, de estar só para poder recolher-se e organizar-se, para poder dar e dar-se.

Oferece-nos, pelo contrário, dois álibis, para enganar a solidão: o trabalho e o divertimento. A ocupação e a satisfação talvez nos façam esquecer, mas deixam-nos cada vez mais longe de nós mesmos e dos outros."

Vasco Pinto de Magalhães, s.j. in Não há soluções, há caminhos

 

INFORMAÇÕES

 

PROCISSÃO DE PASSOS NA URZELINA

No próximo Sábado, 26 de Abril, teremos a mudança da imagem do Senhor dos Passos da Igreja Paroquial para a Ermida às 20 horas.
A procissão de Passos no Domingo será após a Eucaristia das 14.30 horas.
 

BANCO DE ROUPA.

A Santa Casa da Misericórdia da Calheta tem um “Banco de Roupa” que está à disposição de toda a população. É roupa usada que foi tratada e posta por ordem.           Neste tempo de tantas dificuldades, os que quiserem podem procurar o edifício onde funciona o escritório da Santa Casa da Calheta. Existe lá roupas praticamente para todas as idades. 
 

MUDANÇA DA HORA
 

 

 

No próximo fim de semana a hora muda. De Sábado para Domingo os relógios devem ser adiantados sessenta minutos.

 

 

MISSIONÁRIO DA LIAM

De 22 a 25 de Março estará nesta ilha o Pe. Eduardo Osório, dos Missionários do Espírito Santo, para diversas actividades.

 


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 476

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 827

Pensamento da Semana

Dá-nos um coração claro que veja o céu aberto
e o mundo como os olhos de uma criança,
olhos de confiança e de descoberta
que nos salvem dos hábitos.

 

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas