Nº 1116

 COMO POSSO EU DIZER A "MINHA FÉ"?

Entre muita gente tenho vindo a descobrir que a Fé e a Vida não se podem desligar. Acontecem-me como gémeas siamesas. São inseparáveis. Por isso, os inúmeros rostos e nomes que me habitam a vida são os mesmos que me têm vindo a testemunhar o Jesus de Nazaré ressuscitado e Vivo entre nós...

São esses, Homens e Mulheres que, de muitos modos, me ensinam que a Fé não é de TER mas de VIVER; que a Fé é ação, procura, recomeço - sem angústias… nem pressas… nem preguiças…

O jeito de Ser e de Estar deles, diz-me que a Fé é Encanto pela Vida e pela Criação; é Simplicidade no gesto e Entrega a uma permanente atitude de Cuidado pelo outro… que a Fé é uma Sabedoria, um Atrevimento, uma Ternura, uma Coragem, um sentido de Acolhimento tão NOVOS que é pouco dizer que um tal jeito de viver é coisa de boas pessoas.

Os olhos com que olham TUDO e TODOS são tão OUTROS que… isso não é de TER… pertence a outra esfera - à esfera da Liberdade de quem se despossui de si e das coisas… tem a ver com aquele “Felizes vós…” das Bem-aventuranças… Tem a ver com o DOM!

Dom de Deus? Intuo que SIM, já que, como anjos (sem asas), me vão visitando os dias, de muitas maneiras.

Eles são ao mesmo tempo os mensageiros da Boa Notícia e o TESTEMUNHO do Princípio lá numa Galileia onde radica também a minha História… Um TESTEMUNHO precioso ligeiramente diferente daquele que passa de mão no Atletismo. Este traz uma tatuagem gravada na própria carne: “NUNCA MENOS que o AMOR”…e, também, a memória de vitórias e derrotas…

O TESTEMUNHO aqui não é “uma coisa”, o TESTEMUNHO aqui tem forma de GENTE!

A Boa Notícia de Jesus não chegou até mim embrulhada em rendas, insígnias e incenso para não se deteriorar numa viagem de vinte séculos...

A Fé chegou e continua a chegar-me como TESTEMUNHO… para que eu O PASSE… para que eu O SEJA…

Como posso eu dizer a “minha” Fé?

Glória Marques (adaptado)

 

MEDITAR

O convite desafiante de Jesus para segui-Lo

Se alguém quiser vir atrás de mim ... Viver uma história com ele, tem um começo tão leve e libertador: se alguém quiser. Se quiser. Irás ou não irás com Ele, uma escolha, sem imposição; com Ele "mestre de homens livres", "fonte de vidas livres" (D.M. Turoldo), se quiser. Mas as condições são estonteantes.

A primeira: negar-se a si mesmo. Um verbo perigoso se mal interpretado. Negar-se a si mesmo não significa anular-se, rebaixar-se, mortificar aquelas coisas que te tornam único. Significa: para de pensar sempre só em ti, em girar sempre à tua volta. O nosso segredo não está em nós, está para além de nós. Martin Buber sintetiza assim o caminho do homem: «a partir de ti, mas não para ti». Porque quem olha só para si próprio nunca se ilumina.

A segunda condição: tomar a própria cruz e acompanhá-lo até o fim. Uma das frases mais famosas, mais citadas e mais incompreendidas do Evangelho. A cruz, esse sinal muito simples, apenas duas linhas, pode ver-se num pássaro em voo, num homem de braços abertos, no arado que corta o útero da mãe terra.

Uma imagem que habita os olhos de todos, que se pendura ao pescoço de muitos, que marca picos de montanhas, cruzamentos, campanários, ambulâncias, que habita os discursos como sinónimo de infortúnio e de morte.

Mas o seu significado profundo é outro. A cruz é uma loucura. Um "suicídio por amor", afirmou Alain Resnais. Jesus fala de uma cruz que daqui em diante surge no horizonte e ele sabe que a sua paixão por Deus e pelo homem o leva a esse desfecho, paixões que ele não pode trair: seria para ele mais mortal do que a própria morte.

Toma a tua cruz, escolhe para ti alguma coisa da minha vida. Dele, o corajoso que ousa tocar os leprosos e desafiar os algozes prontos para matar a adúltera; o forte que afasta bois e mercadores do templo; o muito terno que se comove com dois pardais; o rabi que gosta de banquetes e do nascer do sol no deserto; o pobre que nunca entrou nos palácios dos poderosos senão como prisioneiro; o livre que não se deixou comprar por ninguém; sem qualquer servo, mas no entanto chamado de Senhor; o manso que não ganhou nenhuma batalha e conquistou o mundo.

Se quiserem vir atrás de mim ...

Mas porquê segui-lo? Porquê ir atrás dele? É o drama de Jeremias: chega de Deus, cansei-me Dele, é demais. Quem não sofreu com isso? Mas bem-aventurado aquele que continua como o profeta: no meu coração era como um fogo, esforçava-me para o conter, mas não conseguia. Sem esse fogo (sarça ardente, lâmpada ou simples fósforo na noite), posso ganhar o mundo, mas perder-me-ia a mim mesmo.

Ermes Ronchi

 

 

O AMOR DEPOIS DO AMOR

Tempo virá

em que com exultação

te saudarás a ti próprio, chegado

à tua porta, no teu próprio espelho.

E cada um sorrirá dando as boas-vindas ao outro,

e dirá: senta-te aqui e come.

Amarás de novo o estranho que era o teu eu.

Oferece vinho, oferece pão. Devolve o coração

a si próprio, ao estranho que te amou

durante toda a vida, que tu ignoraste, trocando-o

por outro, e que te conhece de cor.

Tira da prateleira as cartas de amor,

as fotografias, as notas desesperadas,

retira do espelho a tua imagem.

Senta-te. É festa: a tua vida está à mesa.

Derek Walcott

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 

Há barreiras em que é preciso ser pequeno para passar...

Há limites em que é preciso pensar menos para vencer...

Há fronteiras em que é preciso ser muito livre para atravessar...

Há regras diante das quais é preciso amar muito para desobedecer...

 

E até se ouve, vinda do fim, uma voz que nos segreda que só vivemos uma vez... Felizes aqueles em cujo íntimo esta voz se torna uma fonte de Sabedoria.

 

Rui Santiago Cssr


 INFORMAÇÕES

 

                       FESTA DE NOSSA SENHORA DO SOCORRO

BISCOITOS

            Tríduo - 5, 6 e 7 de setembro às 19 horas.

            Confissões - dia 7 de setembro das 18 às 19 horas.

            Festa -  10 de setembro:

                      - Eucaristia de festa às 12 horas. Procissão às 17h30 minutos.

 

                            FESTA DE NOSSA SENHORA DE LURDES

FAJÃ DOS CUBRES

Tríduo - 6, 7 e 8 de setembro às 19h30 horas.

Festa - 10 de setembro:

              - Eucaristia de festa às 11 horas, a seguir as arrematações e procissão.

 

 

BAZAR ERMIDA BOM JESUS

Todas as pessoas que quiserem colaborar com donativos para o Bazar da Ermida do Bom Jesus da Fajã Grande, favor entregar os prémios à Vera Paiva ou Susana Paiva.

A Festa do Bom Jesus será nos dias 22 a 24 de setembro.


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 1116

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 1140

Pensamento da Semana

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 

"O amor é a fruta da época de todas as estações e está ao alcance de cada mão. Qualquer um pode colhê-lo, sem limites estabelecidos."

 

"Não podemos fazer grandes coisas na terra. Tudo o que podemos fazer são pequenas coisas com muito amor".

 

Madre Teresa de Calcutá

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

Visitas


Ver Estatísticas