Nº1092

 ERA UMA VEZ O AMOR…

 

“Somos salvos por quem não se salva a si mesmo. Não há outra maneira de sermos salvos. Por isso, temos um Salvador, porque é o único que não caiu na tentação de se ‘safar’ a si mesmo” (P. Rui Santiago cssr)

«Salvou os outros e não conseguiu salvar-Se a Si mesmo», comentava-se junto Daquele crucificado, sem perceber nada da sua história.

Exatamente porque Ele se dispõe a amar-nos, Ele não pode salvar-se a si mesmo. Porque o que é próprio do amor é esse deixar de pensar em si. É esse abandono, é essa pobreza radical, é essa entrega, em que o outro, o outro, é colocado no centro. Nós estamos no centro do gesto de Jesus. Da sua história de amor, da sua entrega.

O amor, essa entrega de nós para lá do cálculo e da retenção, a ponto de não conseguirmos viver para nós próprios.

O amor, essa descoberta de que ou nos salvamos com os outros (porque aceitamos o risco de viver para os outros) ou gastamos inutilmente o nosso tesouro.

O que se comentava junto da cruz, naquele dia, não era um insulto, mas o maior dos elogios feitos a Jesus. Compreender isso é, de alguma maneira, acolher o sentido verdadeiro da Páscoa.

O que a cruz nos grita, o que a cruz nos diz é: ama até ao fim, ama até ao fim, consuma a tua vida, consuma, realiza, plenifica a tua existência. Não vivas a 50%, a 40%.

A Sophia de Mello Breyner dizia: “Meia verdade é como comer meio pão, é como receber meio salário, é como habitar meia casa.”

Às vezes nós vivemos de meias verdades e não vivemos essa verdade total, essa verdade plena que é a lição do Crucificado para nós. Ele diz: “Tenho sede.” Porque Ele continua a ter sede, a ter sede daquilo que cada um de nós hoje pode realizar. Agora é a nossa vez, agora é o nosso lugar, agora é o nosso caminho.»

 

D. José Tolentino Mendonça (excertos de textos e homilias)

 

MEDITAR

Qual era a religião de Jesus Cristo?

No relato do Evangelho segundo São João (Jo 4, 5-42), cansado do caminho, Jesus senta-se perto da nascente de Jacob, perto da aldeia de Sicar. Logo uma mulher samaritana chega para saciar a sua sede. Espontaneamente, Jesus começa a falar com ela sobre o que carrega no seu coração.

A certa altura da conversa, a mulher coloca-lhe os conflitos entre judeus e samaritanos. Os judeus fazem peregrinações a Jerusalém para adorar a Deus. Os samaritanos sobem ao Monte Garizín, cujo cume pode ser visto do poço de Jacob. Onde Deus deve ser adorado? Qual é a verdadeira religião? O que pensa o profeta da Galileia?

Jesus começa por esclarecer que o verdadeiro culto não depende de um determinado lugar, por mais venerável que seja. O Pai no céu não está ligado a lado nenhum, não é propriedade de nenhuma religião. Não pertence a nenhuma pessoa em concreto.

Não podemos esquecer isto. Para conhecer Deus não é necessário ir a Roma ou fazer uma peregrinação a Jerusalém. Não há necessidade de entrar numa capela ou visitar uma catedral. Desde a prisão mais secreta, desde a sala de cuidados intensivos de um hospital, desde qualquer cozinha ou local de trabalho podemos levantar os nossos corações a Deus.

Jesus não fala com a mulher samaritana de «adorar Deus». A sua linguagem é nova. Até três vezes fala-lhe de «adorar o Pai». Por isso é que não é necessário subir a uma montanha para nos aproximarmos um pouco mais de um Deus distante, desentendido dos nossos problemas, indiferente aos nossos sofrimentos. O verdadeiro culto começa por reconhecer a Deus como Pai querido que nos acompanha de perto ao longo das nossas vidas.

Jesus diz-lhe algo mais. O Pai procura «verdadeiros adoradores». Não está à espera de grandes cerimónias dos seus filhos, celebrações solenes, incensos e procissões. O que deseja são corações simples que o adorem «em espírito e em verdade».

«Adorar o Pai em espírito» é seguir os passos de Jesus e deixarmo-nos conduzir como ele pelo Espírito do Pai, que sempre o envia aos últimos. Aprender a ser compassivos como é o Pai. Jesus diz de forma clara: «Deus é Espírito, e aqueles que o adoram devem fazê-lo em espírito». Deus é amor, perdão, ternura, alento que dá vida… e aqueles que o adoram devem assemelhar-se a ele.

«Adorar o Pai na verdade» é viver na verdade. Voltar uma e outra vez à verdade do evangelho. Ser fiel à verdade de Jesus sem nos encerrarmos nas nossas próprias mentiras. Depois de vinte séculos de cristianismo, aprendemos a adorar o verdadeiro Deus? Somos os verdadeiros adoradores que o Pai procura?

José António Pagola

 

O TESOURO DO CORAÇÃO

Se encontrares um tesouro no teu coração

ninguém te roubará nada,

e o teu olho será a porta

onde irei penetrar e adormecer descansado;

E a tua boca produzirá

palavras que não serão apenas palavras,

serão mãos estendidas aos pobres,

serão fome e sede curadas.

 

Irei penetrar nos teus olhos

a caminho do teu coração.

Quando eu chegar lá,

serei curado pela batida pura,

pela bondade e compreensão.

 

Se encontrares uma fonte,

dá de beber ao pobre.

Se encontrares uma árvore,

dá de comer ao pobre.

Se encontrares o tesouro no teu coração,

dá amor ao pobre.

Paulo Morgado

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 

Esta é a lição mais importante e útil que podemos aprender: conhecer-nos a nós mesmos como realmente somos, admitir abertamente as nossas fraquezas e fracassos, e ter um conceito humilde de nós mesmos por causa deles. Não nos firmar em nós mesmos e sempre ter pensamentos bons e respeitosos sobre os outros é grande sabedoria e perfeição.

 

 Thomas Kempis


 

INFORMAÇÕES

 

ADORAÇÃO DO SANTÍSSIMO

BISCOITOS - terça-feira, 14 de março, entre as 17 horas e as 18 horas. 

MANADAS - quinta-feira, 16 de março, entre as 10 horas e as 11 horas. 

RIBEIRA SECA - sexta-feira, 17 de março, entre as 17 horas e as 18 horas. 

 

CELEBRAÇÃO DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA NA RIBEIRA SECA

Dia 13 de março, às 17h 30. Oração do Terço, celebração da Eucaristia e Procissão no interior da igreja 

 

MISSA NO SANTUÁRIO DA CALDEIRA

No próximo domingo, 19 de março, às 15h30 horas.

 

Convocatória - BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DA CALHETA

Assembleia Geral da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários da Calheta a realizar no dia 31 de Março do corrente ano, pelas 19h com a seguinte ordem de trabalho:

 - Apreciação, discussão e votação do relatório de contas, relatório de atividades e parecer do Conselho Fiscal, respeitante ao exercício findo a trinta e um de Dezembro de dois mil e vinte e dois;

 - Outros assuntos de interesse para a Associação.

 


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº1092

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 1140

Pensamento da Semana

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 

"O amor é a fruta da época de todas as estações e está ao alcance de cada mão. Qualquer um pode colhê-lo, sem limites estabelecidos."

 

"Não podemos fazer grandes coisas na terra. Tudo o que podemos fazer são pequenas coisas com muito amor".

 

Madre Teresa de Calcutá

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

Visitas


Ver Estatísticas