Nº1090

 

MENSAGEM PARA A QUARESMA DE 2023

D. Armando Esteves desafia os açorianos a aproveitarem a Quaresma para fazer um caminho de purificação em família ajudando a construir uma “casa” segura para todas as vítimas da guerra, da pobreza e dos abusos, na sua mensagem para a Quaresma de 2023, assente no capítulo 25 do Evangelho de São Mateus, para “que algo mude à nossa volta”.

“Quantos sofrem por não terem casa ou a verem ameaçada! São as casas destruídas pelas bombas na guerra na Ucrânia ou pelos terramotos na Turquia e Síria, ambos a deixarem milhões de irmãos nossos sem casa nem pão. São os aumentos de juros e o agravamento das prestações que ameaçam a insolvência de muitas das nossas famílias e até a eventualidade de terem de entregar as casas ao banco. Basta

A partir do itinerário cristão proposto em cada Quaresma – conversão pela penitência, oração, jejum e caridade- e tendo como exemplo o despojamento dos Romeiros Quaresmais, que percorrem os caminhos das ilhas de São Miguel, Terceira, São Jorge e Graciosa, e a caridade cristã de quem os acolhe, nas suas casas, oferecendo-lhes teto e comida, o bispo de Angra convida as comunidades e famílias entrar nesta dinâmica, lembrando que mais importante do que salientar as dificuldades é empenhar-se na resolução dos problemas.

 “Foi decidido destinar a Renúncia Quaresmal, através da Cáritas Internacional, às vítimas do terramoto na Síria. Todos sabemos o que significa um terramoto nos Açores, também o povo açoriano já foi sujeito de semelhante ajuda fraterna, até de outros países. Agora vamos pensar neles e nas suas casas e vidas a reconstruir”.

 “Convido cada cristão da nossa diocese e em especial as famílias a uma experiência de caminho (…) para se interrogarem sobre a qualidade do amor no ambiente familiar e o grau de fidelidade aos compromissos pessoais, familiares e profissionais.

A mensagem para a Quaresma, já de olhos postos na Páscoa, termina com uma palavra de esperança.

“Os olhos da fé dizem-me que a Igreja, nos tempos difíceis, sempre encontrou uma vida mais autêntica e surgiram grandes renovadores”.

“A Igreja surgirá mais forte porque mais humilde, mais santa porque mais capaz de identificar os próprios limites e pecados, mais evangelizadora porque mais sincera, mais purificada, numa palavra, mais evangélica.

(Excertos da Mensagem)

 MEDITAR

As tentações da Igreja hoje

A primeira tentação acontece no “deserto”

Depois de um longo jejum, entregue ao encontro com Deus, Jesus sente fome. É então quando o tentador lhe sugere agir pensando em si mesmo e esquecendo o projeto do Pai: “Se és o Filho de Deus, diz que essas pedras se convertam em pão”. Jesus, desfalecido, mas cheio do Espírito de Deus, reage: “Não só de pão vive o homem, mas de toda a palavra que vem de Deus”. Não viverá a procurar o seu próprio interesse. Não será um Messias egoísta. Multiplicará o pão quando vir os pobres passarem fome. Ele se alimentará da Palavra viva de Deus.

Sempre que a Igreja procura o seu próprio interesse, esquecendo o projeto do Reino de Deus, desvia-se de Jesus. Sempre que nós os cristãos colocamos o nosso bem-estar antes das necessidades dos últimos, afastamo-nos de Jesus.

A segunda tentação acontece no “templo”

O tentador propõe a Jesus que faça a sua entrada triunfal na cidade santa, descendo do alto como Messias glorioso. A proteção de Deus está assegurada. Os seus anjos “cuidarão” dele. Jesus reage rapidamente: “Não tentará o Senhor, teu Deus”. Não será um Messias triunfador. Não colocará Deus ao serviço da sua glória. Não fará “sinais do céu”. Apenas sinais para curar doentes.

Sempre que a Igreja coloca Deus ao serviço de sua própria glória e “desce do alto” para mostrar sua própria dignidade, desvia-se de Jesus. Quando os seguidores de Jesus procuram “parecer bem” em vez de “fazer o bem”, nos afastamos dele.

A terceira tentação acontece numa “montanha altíssima”

Dela se divisam todos os reinos do mundo. Todos estão controlados pelo diabo, que faz a Jesus uma oferta assombrosa: lhe dará todo o poder do mundo. Apenas uma condição: “Se te prostrares e me adorares”. Jesus reage violentamente: “Vai embora, Satanás”. “Só ao Senhor, teu Deus, adorarás”. Deus não o chama para dominar o mundo como o imperador de Roma, mas para servir os que vivem oprimidos pelo seu império. Não será um Messias dominador, mas um servidor. O reino de Deus não se impõe com poder, oferece-se com amor.

A Igreja tem hoje que afugentar todas as tentações de poder, glória ou dominação, gritando como Jesus: “Vai-te, Satanás”. O poder mundano é uma oferta diabólica. Quando nós, cristãos, o procuramos, afastamo-nos de Jesus.

 

José António Pagola

 

 

O amor é paciente

O amor é paciente. Paciente porque começa por esperar que o descubramos em nós, paciente porque espera que aprendamos a conhecer o outro, paciente porque não nos condena pelos erros que cometemos em seu nome… paciente porque, apesar de tudo, nunca nos abandona.

 O amor espera e permite-nos resistir às muitas ofensas dos que julgam louca a nossa fé de que somos mais do que passageiros no mundo.

 A paciência é uma oração. Um amor que se está a fazer verdade a cada hora que passa. Valentia pura sem que o pareça ser.

 Amar alguém exige que lhe demos tempo para que lide com os seus problemas, à sua maneira, que não desesperemos por compreender o que, de tão fundo, não nos consegue comunicar e também que não desistamos de encontrar forma de suprir as suas necessidades.

 Amar é ser paciente com as falhas, originalidades e diferenças do outro. É aceitá-las, muito mais do que tentar fazê-lo mudar para se tornar à nossa semelhança.

 Compreensão, respeito e confiança levam muito tempo a construir.

 Aprende a esperar. Com atenção e firmeza. Com amor é possível que te tornes o herói da tua vida e da de muitos outros. Não tenhas pressa, a impaciência é um desamor, uma frustração, uma derrota!

 O amor é invencível porque é paciente e eterno.

 

José Luís Nunes Martins

 

PENSAMENTO DA SEMANA

Tantos são os que correm atrás da riqueza sem descanso.

Toda a noite fazem contas, durante o dia galopam.

Passam a vida num frenesim constante, cheio de fadigas.

Não sabem que sobre o teto das suas casas o céu é azul.

Tai Fu Ku (século XIII)


 INFORMAÇÕES

PROCISSÃO DE PASSOS - VELAS

Dia 4 de março - 19 horas, missa seguida de Procissão da mudança.

Dia 5 de março - 13 horas, Procissão do encontro seguida de missa

 

ADORAÇÃO DO SANTÍSSIMO

BISCOITOS - terça-feira, 28 de fevereiro - entre as 17 horas e as 18 horas. 

MANADAS - quinta-feira, 2 de março  - entre as 10 horas e as 11 horas. 

RIBEIRA SECA - sexta-feira, 3 de março - entre as 17 horas e as 18 horas. 

 

PEDITÓRIO

A comissão dos tremoços do lugar dos Biscoitos para o ano de 2023,  informa que nos próximos domingos, dias 5 e 12 de março, irá realizar o habitual peditório na freguesia da Calheta, iniciando o mesmo pelo lugar dos Biscoitos.

Desde já agradece toda a colaboração para manter viva esta tradição.


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº1090

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 1156

Pensamento da Semana

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 

A inteligência, sem amor, faz-te cruel. 
A amabilidade, sem amor, faz-te hipócrita. 
A fé, sem amor, faz-te fanático. 
O dever, sem amor, faz-te mal-humorado. 
A cultura, sem amor, faz-te distante. 
A ordem, sem amor, faz-te complicado. 
A agudeza, sem amor, faz-te agressivo 
O apostolado, sem amor, faz-te estranho. 
A amizade, sem amor, faz-te interessado. 
O possuir, sem amor, faz-te avarento. 
A responsabilidade, sem amor, faz-te implacável. 

José Miguel

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

Visitas


Ver Estatísticas