Nº 1074

 PEQUENO TRATADO DE ORAÇÃO CONTEMPLATIVA

"A oração não consiste em dizer a Deus o que queres, mas em ouvir o que Ele quer para ti, que não é outra coisa senão partilhar o que Ele é: Tranquilidade Profunda, Bem-aventurança, Paz, Bondade, Beleza, Amor...

Não se trata de pedir coisas, senão compreender que não necessitas nada mais do que a presença de Deus…

A oração é um simples ato de se colocar na presença do Sagrado.

O tempo de oração é um parêntesis de tranquilidade na tua vida. Nunca tenhas pressa. A pressa, a ansiedade, a complicação e a dispersão são os maiores inimigos do espírito. Deves mantê-los à distância a todo o custo. Nunca te deixes levar por eles. Fica o tempo que for necessário até que reconheças a presença do Sagrado. Isto pode demorar desde alguns minutos a horas. Sê paciente e espera.

Evita fazê-lo mecânica e rotineiramente; fá-lo, não por obrigação, mas por devoção. Isso coloca-te numa atitude e atmosfera totalmente diferentes.

Um ícone, uma figura, uma imagem, um templo ou qualquer lugar de oração não é essencial; felizmente Deus está em toda a parte; mas o que tens de ver é se tu O vês em toda a parte. Se assim é, não te faz falta nenhum elemento externo de ajuda, mas tens que ser muito sincero e se não é assim, e acontece que uma imagem, um ícone, certas igrejas ou qualquer outro elemento te ajuda a evocar a presença do Sagrado, então é bom e sensato que os uses.

Acende uma vela diante do Oratório e senta-te no chão, de pernas cruzadas, sobre os calcanhares ou num banco, se assim o preferires. Podes permanecer assim alguns minutos… até o dia inteiro. Não há limite para a adoração. Lembre-te do conselho evangélico de "permanecer em oração constante".

Podes usar uma invocação simples, como por exemplo: AMOR, PAI, JESUS, DEUS…

Podes focar a tua atenção no coração. Isso enraíza a oração no corpo e limpa a mente do pensamento contínuo.

Os tempos mais propícios para a oração são o amanhecer e o anoitecer, mas podes fazê-lo a qualquer outra hora do dia ou da noite.

Com o tempo a oração tornar-se-á contínua na tua vida,

Reconhecerás a presença do Espírito pelos seus frutos. Onde aparecer uma Alegria sem motivo mundano, uma Bondade desinteressada, um Amor em estado puro e sem exceções, uma Beleza que tudo cobre com o seu manto, uma Paz interior e uma Gratidão independentes das circunstâncias externas, aí estará sem dúvida o Espírito."

(Segundo a inspiração do Espírito e a experiência pessoal de um Eremita Anónimo).

 

MEDITAR

É RIDÍCULO ESPERAR EM DEUS?

Os saduceus não eram populares entre as pessoas da aldeia. Era um setor formado por famílias ricas pertencentes à elite de Jerusalém, com tendência conservadora, tanto no modo de viver a sua religião quanto na política de buscar um entendimento com o poder de Roma. Não sabemos muito mais.

O que podemos dizer é que eles “negaram a ressurreição”. Eles a consideravam uma "novidade" típica de pessoas ingênuas. Eles não estavam preocupados com a vida após a morte. Eles  tinham uma boa vida na terra. Por que se preocupar mais?

Um dia eles aproximam-se de Jesus para ridicularizar a fé na ressurreição. Apresentam-lhe um caso absolutamente irreal, fruto de sua fantasia. Contam-lhe sobre sete irmãos que se casaram sucessivamente com a mesma mulher, para assegurar a continuidade de nome, honra e herança ao ramo masculino daquelas poderosas famílias saduceus em Jerusalém. É a única coisa que eles entendem.

Jesus critica sua visão da ressurreição: é ridículo pensar que a vida definitiva com Deus consistirá em reproduzir e prolongar a situação desta vida, e especificamente daquelas estruturas patriarcais das quais os ricos beneficiam.

A fé de Jesus na vida após a morte não consiste em algo tão ridículo: "O Deus de Abraão, Isaque e Jacó não é um Deus de mortos, mas de vivos". Jesus não pode sequer imaginar que os filhos de Deus estão morrendo; Deus não vive para a eternidade cercado pelos mortos. Tampouco pode imaginar que a vida com Deus consiste em perpetuar as desigualdades, injustiças e abusos deste mundo.

Quando vives de forma frívola e satisfeita, desfrutando do teu próprio bem-estar e esquecendo-te quem vive com dor, é fácil pensar apenas nesta vida. Pode até parecer ridículo alimentar outra esperança.

Quando se compartilha um pouco o sofrimento da maioria pobre, as coisas mudam: o que dizer de quem morre sem ter conhecido pão, saúde ou amor? O que dizer de tantas vidas desperdiçadas ou injustamente sacrificadas? É ridículo nutrir esperança em Deus?

 José António Pagola

 

Em quantos corações já tatuaste um sorriso?

Deixar pedacinhos de amor pelo caminho.

São tantas as pessoas que passam e que não os veem. Que não reparam.

Mas depois...

Há alguém que passa e que vê.

Há alguém que passa, que vê e que se demora neles por instantes.

Há alguém que passa, que vê, que se demora neles por instantes e que sorri.

Há alguém que os sente. De verdade.

Há alguém a quem um daqueles pedacinhos de amor, que deixas pelo caminho, salva o dia.

Há alguém a quem um daqueles pedacinhos de amor, que deixas pelo caminho, ilumina a vida.

Há alguém a quem um daqueles pedacinhos de amor, que deixas pelo caminho, faz o coração sorrir.

E é aí.

É exatamente nesse instante que a magia acontece: no meio de tantas pessoas a quem não muda nada, existir alguém a quem muda alguma coisa. Ou tanto.

É que, às vezes, um sorriso tatuado num dia, numa vida, num coração, muda tanto.

Sabes?

E é por essas vezes, mesmo que seja só às vezes, que ainda vale a pena. Que ainda vale a pena isto: deixar pedacinhos de amor pelo caminho. Tatuar o mundo com amor. Todos os dias.

 

E tu, em quantos corações já tatuaste um sorriso?

Daniela Barreira

 

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 

"As santas que conheci não se preocupavam com sê-lo. Tinham todas as idades e aparências. E, em comum, o passar pelo mundo com uma grande naturalidade e alegria como se nunca tivesse havido lei nem moral.

Sem pensar, cada uma delas dava mais amor do que o sol luz.

Uma, já idosa, ocupava-se de um jardinzinho e dormia num quarto do tamanho de uma casca de noz.

Outra trazia consigo a alegria como um pardal que esvoaçasse nos seus olhos claros.

Uma terceira, com quatro anos de idade, descobria, nas brincadeiras de que não se fartava, razão bastante para rir o dia inteiro."

Christian Bobin, em "Ressuscitar"


 

INFORMAÇÕES

 

Natal Solidário para ajudar o povo de Timor-Leste

No próximo dia 12 de novembro, a catequese da Ribeira Seca irá fazer uma feira no Centro Cultural da Calheta, das 10h às 15h, cuja receita reverterá para o povo de Timor-Leste (mais concretamente da zona onde se encontra em missão o Padre José Machado), a fim de se proporcionar às famílias mais carenciadas uma ceia de Natal com dignidade. Quem puder e quiser contribuir com produtos para vender na feira, pode entregar na Casa do Povo da Ribeira Seca durante a próxima semana das 9h às 17h. Contamos convosco pois quem ajuda o próximo constrói um mundo melhor.


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 1074

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº1078

Pensamento da Semana

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

Visitas


Ver Estatísticas