Nº 1049

 

Qual é o significado da tua vida?

Como chegaste a ser quem és? Para onde queres ir? Já estás a caminho?

É importante que assumas que este mundo é teu. Tens o direito absoluto de estar aqui. Tens também dever de te dedicar a algo mais do que apenas passar o teu tempo a sobreviver. As tuas ações podem ter um enorme impacto, mesmo em vidas que nunca conhecerás. O mundo de todos depende também de ti. Não julgues que és insignificante, porque não o és.

A tua vida tem um propósito. Podes não o descobrir ou não o querer assumir, mas o que na verdade importa é que a tua existência supõe uma missão, um objetivo que te fará feliz, não só depois de o alcançares, mas assim que começares a lutar por ele. Trata de saíres do conforto da indecisão e arrisca-te a ser mais.

Se não tens esperança em ti, ou já terás morrido ou então estás desperdiçar o tempo que te é dado. Sabes, não há nada mais valioso na vida do que a própria vida. O tempo que nos é dado a cada dia é o maior dom a que podemos aspirar.

A esperança é a prova absoluta de que há algo pelo qual vale a pena lutar. A minha vida é feita do aqui e agora, tanto quanto é também constituída por todos os horizontes que estão ao meu alcance.

O desprendimento é essencial a uma vida plena. Não nos devemos preocupar com o que não conseguimos controlar. O que me acontece pode ter um sentido que eu não conheço. Mas cabe-me sempre dar-lhe uma resposta e essa é da minha responsabilidade.

É sábio e bom confiar que tudo o que nos rodeia é governado por algo mais profundo e belo do que a lógica do acaso sem sentido.

Nenhum de nós está sozinho na vida. Não se julgue que conhecer o sentido da vida é compreender-se, porque é muito mais do que isso. Passa por compreender o mundo e os outros, encontrando o lugar de cada um de nós na verdade do mundo…

A felicidade é uma espécie de alegria que não passa, enraizada na certeza do sentido da minha vida.

A vida é um desejo enorme de… mais vida. Sentes isso?

 

José Luís Nunes Martins

 

MEDITAR

 Uma forma de amar

Os cristãos começaram a sua expansão numa sociedade em que havia diferentes termos para expressar o que hoje chamamos amor. A palavra mais usada era filia, que designava o afeto para uma pessoa próxima e era usada para falar da amizade, carinho ou o amor aos parentes e amigos. Falava-se também de eros para designar a inclinação agradável, o amor apaixonado ou simplesmente o desejo orientado para aqueles que produzem em nós prazer e satisfação.

Os primeiros cristãos abandonaram praticamente esta terminologia e colocaram em circulação outra palavra quase desconhecida, ágape, a que deram um conteúdo novo e original. Não queriam que o amor inspirado por Jesus fosse confundido com qualquer coisa. Daí o seu interesse em formular bem o «mandamento novo do amor»: «Um novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei».

 A forma de amar de Jesus é inconfundível. Não se aproxima das pessoas procurando o seu próprio interesse ou satisfação, a sua segurança ou bem-estar. Só pensa em fazer o bem, acolher, dar o melhor que tem, oferecer amizade, ajudar a viver. Assim o recordarão anos mais tarde nas primeiras comunidades cristãs: «Passou toda a sua vida a fazer o bem».

 É por isso que o seu amor tem um caráter serviçal. Jesus coloca-se ao serviço daqueles que mais podem necessitar dele. Abre espaço no seu coração e na sua vida para aqueles que não têm lugar na sociedade nem na preocupação das pessoas. Defende os fracos e os pequenos, os que não têm poder para se defender a si próprios, os que não são grandes ou importantes. Aproxima-se daqueles que estão sozinhos e indefesos, aqueles que não conhecem o amor ou a amizade de ninguém.

O habitual entre nós é amar aqueles que nos apreciam e realmente nos amam, ser afetuosos e atentos com os nossos familiares e amigos, e depois viver indiferente àqueles que sentimos como estranhos e alheios ao nosso pequeno mundo de interesses. No entanto, o que distingue o seguidor de Jesus não é um «amor» qualquer, mas precisamente essa forma de amor que consiste em nos aproximarmos daqueles que podem necessitar de nós. Não o deveríamos esquecer.

José Antonio Pagola (adaptado)

 Maria de Nazaré

Há pessoas de quem não nos é contado o passado,

mas sabemos que abriram futuros ao mundo.

Há maneiras de viver que semeiam na história

de muitas pessoas coisas boas e esperançosas.

 

Há pessoas tão bonitas que o mais importante que temos a dizer delas é o que elas deixaram de herança no mundo.

Há maneiras de viver tão fecundas que nem a morte pode com elas!

 

ERA UMA VEZ uma pessoa assim,

uma mulher bonita,

que viveu na Galileia e se chamava Maria.

Não nos foi contada nenhuma história do seu passado.

O seu feito mais famoso foi ter sido Mãe.

A obra mais famosa da sua vida é o seu filho Jesus.

As mães entendem isto muito bem.

Rui Santiago cssr, in Contar

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 Quem sabe do medo é quem sente,

quem sabe da dor é quem tem

quem sabe do amor é quem se entrega

quem sabe da solidão é a vida

quem sabe da vida é a morte

quem sabe da mentira é quem mente

e quem sabe da verdade é a liberdade.


Alice no País do Pensamento


 

INFORMAÇÕES

 FESTAS DO ESPÍRITO SANTO DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DA CALHETA

A Santa Casa da Misericórdia da Calheta vai celebrar a sua festa com os irmãos e benfeitores no dia 29 de maio.

A Eucaristia e Coroação serão às 11 horas e depois teremos as “sopas do Espírito Santo” na Sociedade Estímulo para os irmãos, familiares e convidados.

Se alguém quiser contribuir com géneros ou dinheiro, pode fazê-lo entregando os donativos na Santa Casa da Misericórdia ou aos elementos da Mesa Administrativa.

O terço será no Lar mas apenas para os utentes e colaboradores atendendo ao momento presente de Covid-19.

A mesa agradece a colaboração de todos.

 

CATEQUESE DA RIBEIRA SECA

A Catequese da Ribeira Seca informa que o almoço realizado no passado dia 8 de maio para angariação de fundos para ajudar Timor-Leste, juntamente com outros donativos, rendeu 1.755€. Agradecemos a todas as pessoas que ajudaram, quer oferecendo ingredientes para a confeção da refeição, quer os que arduamente trabalharam nestes dois dias, bem como a todas as pessoas que fizeram as suas reservas e aos que ofereceram donativos. Agradecemos à Direção da Sociedade União Popular a cedência do espaço para a realização do evento. Sem o apoio de todos nada disto seria possível. Quem ajuda o próximo constrói um Mundo melhor!


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 1049

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 1056

Pensamento da Semana

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 

Há três tipos de pessoas misericordiosas...

 

As primeiras dão os seus bens para complementar, com o que lhes é supérfluo, a penúria dos outros.

As segundas distribuem todos os seus bens e, para eles, daí por diante, tudo fica em comum com os outros.

Quanto às terceiras, não somente dão tudo, como também «se dão a si mesmos totalmente».

 

Isaac de l'Étoile (?-c. 1171), monge cisterciense,

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

Visitas


Ver Estatísticas