Nº 1031

 

ELE CONTINUA A CHAMAR

Ele continua a chamar. Insiste em sussurrar levemente na nossa vida para que no meio de tanta turbulência possamos sentir a presença do Seu amor que se propõe, mas que nunca se impõe. Vai dando sinais do Seu Verbo conjugando a Sua misericórdia em todos os tempos da nossa vida. Usa a gramática necessária para que à frente de qualquer pecado surja sempre o sujeito.

 Ele continua a chamar. Não usa alcunhas. Usa o nosso nome demonstrando a nossa unicidade. Olha-nos verdadeiramente. Torna-nos especiais, não porque somos os melhores, mas porque não consegue perder de Si o olhar encantador de um Pai que se derrete ao ver os Seus filhos. Para Ele não interessa como são, nem o que fazem, porque haverá sempre uma nova saída para os nossos becos sem saída. Nunca haverá coisa alguma que ultrapasse a lógica do Seu amor imenso e gratuito. Não quer com isto dizer que para Ele vale tudo, mas quer, isso sim, afirmar que toda e qualquer vida continua a merecer a oportunidade de ser digna e de começar de novo. N'Ele há sempre muito mais. N'Ele o menos da nossa vida torna-se o Seu tudo e desse pouco crescemos a olhos vistos.

 Ele continua a chamar. Prossegue com a Sua palavra de Vida para que todos e todas possam saborear a beleza, de receber no silêncio das suas vidas, a certeza de que sendo amados tudo pode ser transformado. Jesus continua a chamar não para fazer uma maior angariação de sócios ou militantes. Jesus continua a chamar para que o maior risco das nossas vidas seja arriscar na Sua liberdade. Livre para amar e ser amado. Livre para perdoar e ser perdoado. Livre para ser-se partida e chegada.

 Ele continua a chamar para que o pecador conheça o amor. Ele continua a chamar para que todos possam receber na escuridão dos seus cantos e recantos a Sua e(terna) Luz.

 Ele continua a chamar. Consegues escutá-Lo com a tua vida?

 

Emanuel António Dias

 

MEDITAR

POR QUE ACREDITAR?

Existem muitos homens e mulheres que um dia foram batizados pelos seus pais e hoje eles não saberiam exatamente como definir a sua posição perante a fé. Talvez a primeira pergunta que surge no seu íntimo seja muito simples: por que acreditar? A vida muda alguma coisa porque acredito ou não mudaria nada se não acreditasse? A fé serve para alguma coisa?

Estas questões surgem de sua própria experiência. São pessoas que, aos poucos, afastaram Deus de suas vidas. Hoje Deus não conta nada para eles quando se trata de guiar e dar sentido à sua existência.

Quase sem perceber, um ateísmo prático se enraizou em seu ser. Eles não estão preocupados se Deus existe ou deixa de existir. Tudo isso lhes parece um problema estranho, que é melhor deixar de lado para organizar a vida de forma mais realista.

Deus não lhes diz nada. Eles acostumaram-se a viver sem Ele. Eles não sentem nostalgia ou vazio por sua ausência. Eles abandonaram a fé e tudo está a correr tão bem ou melhor nas suas vidas do que antes. Por que acreditar?

Esta pergunta só é possível quando alguém "foi batizado com água", mas não descobriu o que significa "ser batizado com o Espírito de Jesus Cristo". Quando alguém continua a pensar erroneamente que ter fé é acreditar numa série de coisas enormemente estranhas que nada têm a ver com a vida e ainda não conhece a experiência viva de Deus.

Encontrar Deus significa saber que somos recebidos por Ele no meio da solidão; sentir-se confortado na dor e na depressão; nos reconhecermos perdoados de pecados e mediocridade; sentir-se fortalecido na impotência e expiração; sendo levado a amar e criar vida no meio da fragilidade.

Por que acreditar? Para viver a vida mais plenamente; colocar tudo na sua verdadeira perspetiva e dimensão; para experimentar até os eventos mais triviais e insignificantes com mais profundidade.

Por que acreditar? Ousar ser humano até ao fim; para não afogar o nosso desejo de vida até ao infinito; defender a nossa liberdade sem entregar o nosso ser a nenhum ídolo; permanecer aberto a todo o amor, à verdade, à ternura que há em nós. Para nunca perder a esperança no ser humano ou na vida.

 José António Pagola

 

 

Conto: O aluno que sonhou mais do que o professor

Certa vez, numa escola, um professor pediu aos alunos que retratassem os seus sonhos numa redação.

O aluno mais humilde da sala escreveu na redação que queria um rancho, para ter muitos bois e muito dinheiro para a sua família.

Quando recebeu a nota, o menino ficou chocado: tinha recebido um «Insuficiente»! 

Então, foi ter com o professor e perguntou-lhe:

- Porque me deu «Insuficiente»?

O professor respondeu:

- O que escreveste não é real, não é possível. És muito pobre para obter tudo isso... Refaz a tua redação, que eu mudo a tua nota.

O rapaz foi para casa desolado. Pensou durante todo o dia, mas não lhe ocorria mais nada para desejar. Foi ter com o pai e perguntou-lhe:

- Pai, o que faço?

O pai disse-lhe:

- O que te parece melhor? Queres trocar o teu sonho pela nota? Só tu podes tomar a decisão.

O rapaz pegou na folha e, sem fazer qualquer alteração, entregou a redação ao professor, dizendo:

- O senhor pode manter a sua opinião. Dê a nota que achar que eu mereço. Eu manterei o meu sonho!

Publicado por Fernando Félix Ferreira

 

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 

Às vezes passam dias e dias e parece que nada acontece, ou que não somos visitados por nada, e isso tem a ver com o facto de não abrirmos o coração à música da alegria que nos visita.

Esperamos sempre Deus no máximo e esquecemo-nos de que Ele nos visita no mínimo. Quando os monges budistas dizem que Deus está no grão de arroz, há nisso uma grande verdade. É no pequeno, até no insignificante, no mais quotidiano, que Deus nos visita.

 

José Tolentino Mendonça


 

INFORMAÇÕES

MISSA NO SANTUÁRIO DA CALDEIRA

No próximo domingo, 16 de janeiro, às 15h30 horas.

 

RECEITAS

Cortejos do Menino Jesus: Portal 700.00€ e Calheta 308,00€

 

CLÍNICA DENTÁRIA DOS BOMBEIROS DA CALHETA

Informa que estarão a dar consulta nos seguintes dias: Dr.ª Sílvia Dionísio, dentista, a partir de 4 de janeiro; Dr.ª Sónia Tavares, endodontista (especialista em desvitalização) 12,13 e 14 de janeiro; Dr. António Mano Azul e Dr. Gonçalo Costa (especialistas em cirurgia e próteses fixas) a 28 de janeiro.

  

CLÍNICA DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DA CALHETA

A Direção da Associação de Bombeiros Voluntários da Calheta informa que estará na Clínica da Instituição o Dr. César Gonçalves, Clínica Geral, às terças e quartas; Dr. Brasil Toste, Otorrinolaringologista, 22 de janeiro; Dr.ª Renata Gomes, Cardiologista, em janeiro; Dr.ª Lourdes Sousa, Dermatologista, fevereiro ou março; Dr.ª Paula Pires, Neurologista e neuropediatra, ainda por estabelecer;  Dr. Tiago Ribeiro, osteopata (massagem terapêutica), às quartas e sextas; Elisabel Barcelos, Psicóloga Clinica e Formadora, nas áreas de avaliação Psicológica de Condutores (Testes psicotécnicos), Avaliação Psicológica, acompanhamento Psicológico e formação em temas ligados à Saúde Mental e /ou Psicologia, às segundas e quintas; Paula Ribeirinho, Terapeuta da Fala às segundas e quartas.

Os interessados podem fazer as suas marcações para os números 295460111 ou por email: abvc.geral@gmail.com.


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 1031

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 1076

Pensamento da Semana

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 

NO PRINCÍPIO ERA O SILÊNCIO

A palavra emerge do silêncio e devolve-nos ao silêncio. O silêncio, por sua vez, é o ventre da palavra; o silêncio faz nascer a palavra.

A palavra é a presença do nosso coração, é a doação, o presente do nosso coração.

A verdadeira palavra que emerge do silêncio da eternidade é sempre uma palavra que salva, liberta e deixa em liberdade. A palavra que brota do silêncio nunca se impõe, nunca atropela, nunca oprime.

A Palavra vale o que vale o coração, é uma revelação do coração, vale o que vale o silêncio de quem a proclama. No coração, há tudo o que é necessário para viver.

José Fernández Moratiel, in Desde el silencio

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

Visitas


Ver Estatísticas