Nº997

 

Rosário

No mês de maio, o povo cristão, armado de “grinaldas”, redescobre o rosto de Jesus na escola da Virgem Maria, a Rainha do Santo Rosário. Rosário é o substantivo proveniente do latim “rosarium”, roseiral, jardim de rosas, que a partir do contexto do monaquismo do século XII, com os Cartuxos e os Cistercienses, e ainda antes no século IX nos mosteiros da Irlanda, assume a conotação religiosa, marcada em especial pelo uso de colocar uma coroa ou grinalda de rosas nas imagens de Nossa Senhora, simbolizando as muitas orações perfumadas oferecidas a Maria, a que se seguiu a utilização do cordão de contas como instrumento para a recitação.

A afirmação da prática e os seus “direitos de autor” pertence a S. Domingos de Gusmão (1170-1221). Esta oração foi a consequência lógica do facto de S. Domingos recitar «mil vezes ao dia a primeira parte da Ave-Maria, meditando nos acontecimentos principais da revelação cristã, e os seus filhos desenvolveram a devoção do Santo Rosário e dela se tornaram os propagadores».

Em cerca de 800 anos de história, a oração do Rosário atraiu, envolveu e nutriu um número incontável de fiéis, revelando-se ainda hoje como forja formidável de devoção mariana, ainda mais porque é indicada sobretudo como instrumento espiritual de contraposição aos males da sociedade. Não é por acaso que neste mês de maio de trinta santuários de todo o mundo, como o de Fátima se elevará a maratona de oração do Terço como sinal profético de esperança pelo fim da pandemia.

Uma maneira simples, mas repleta de significado, diria Santa Teresa de Lisieux (1873-1897) num dos seus pensamentos dedicados à oração do Rosário, por ser uma longa cadeia que liga o Céu à Terra; uma das extremidades está nas nossas mãos e a outra nas da Virgem. «O Rosário, com efeito, apesar de caracterizado pela sua fisionomia mariana, é oração do coração cristológico. Na sobriedade dos seus elementos, concentra em si a profundidade de toda a mensagem evangélica, da qual é quase um compêndio» (S. João Paulo II, carta apostólica Rosarium Virginis Mariae).

A oração do Rosário permite a cada pessoa poder meditar e contemplar os momentos salientes da vida de Jesus, assim como a própria Maria fez continuamente em silêncio durante os dias da vida terrena. O seu sentido está aqui: «Para recitar o Rosário é preciso uma fé viva; mas antes de tudo saber fazer silêncio e meditar». Destaque-se também o que Wolfgang Amadeus Mozart escreveu sobre o Rosário: «Logo após a sinfonia, para festejar fui ao Palais Royal, comi um gelado, recitei o Rosário que tinha prometido e fui para casa».

A concluir, a propósito do problema da oração em relação à espiritualidade contemporânea, conta-se que um dos alunos de S. Boaventura de Bagnoregio lhe perguntou: «Mestre, o que pode saber de teologia aquela velhinha à beira da estrada?». Respondeu o santo: «É mais fácil encontrar uma fé sólida numa velhinha que num douto teólogo».

Roberto Cutaia (Adaptado)

 

 

MEDITAR

A Ascensão de Jesus ao profundo da minha existência

Com a Ascensão (Marcos 16, 15-20) Jesus não vai para outro lugar ou para o alto, mas segue em frente e acende a sua sarça nos cantos de cada estrada. Sobe o Senhor, não ao ventre dos céus, mas ao profundo da minha existência, mais íntimo a mim do que eu próprio (cf. Santo Agostinho).

«A Ascensão não é um percurso cósmico, mas a navegação do coração que te conduz do fechamento em ti ao amor que abraça o universo» (Bento XVI). A esta navegação do coração Jesus chama um grupinho de homens amedrontados e confusos, um núcleo de mulheres corajosas e fiéis, e confia-lhes o mundo.

Impele-os a pensar em grande e a olhar longe: o mundo é vosso. E fá-lo porque acredita neles, apesar de terem entendido pouco, apesar de terem traído e renegado, e muitos ainda duvidam.

E quanta alegria me dá sentir que confia em mim, nestas minhas mãos, neste meu coração, mais do que eu confio em mim próprio; sabe que também eu posso contagiar de céu e de natividades quem me é confiado.

Mas será tudo isto realmente possível? É-o, a acreditar no versículo conclusivo: eles partiram e pregaram em todo o lado, enquanto que o Senhor agia juntamente com eles.

Verbo extraordinário, que chega também até mim, aqui e agora: o Senhor agia em sinergia com eles, inseparáveis a sua energia e a do Senhor, uma só força, uma só linfa, uma só vida. Nunca sós. Última definição de Jesus: energia que opera contigo para a vida.

Jesus que nunca se cansa de dar vida a toda a criatura, em todo o lugar da Terra, que não te deixa: está contigo em todos os teus gestos de bondade, quando ofereces uma palavra fresca e viva, quanto constróis a paz.

Nas tuas mãos, as suas mãos; Ele o Amor em cada amor; terra profunda das tuas raízes, céu do teu céu. Existir é coexistir, em sinergia com Cristo e para os outros.

Os apóstolos impuseram as mãos aos doentes e estes ficaram curados. Impõe, põe as tuas mãos sobre alguém, como uma carícia, como um gesto de cura, com a arte da proximidade.

Não se pode sequer começar a falar de moral, de ética, de Evangelho, se não se experimenta um sentimento de cura por alguma coisa ou por alguém.

O leproso de Assis começa a curar quando Francisco o abraça; regressa homem quando é acolhido como é, ainda doente; regressa plenamente homem quando Francisco lhe impõe não só as mãos, mas o abraço, o corpo a corpo.

Se te aproximas de quem sofre e tocas, com mãos e olhos que acariciam, essa carne em que arde a dor, poderás sentir uma divina sinergia, sentir que «Deus salva, e fá-lo através das pessoas» (R. Guardini).

Ermes Ronchi

 

Pai Nosso... Mãe Nossa

 

Pai... Mãe... de olhos mansos

sabemos que estás invisível em todas as coisas.

Que o teu nome nos seja doce, a alegria de nosso mundo.

 

Traz-nos as coisas boas em que tens prazer:

Os jardins, as fontes, as crianças,

o pão e o vinho,

os gestos ternos, as mãos desarmadas,

Os corpos abraçados…

 

Sei que desejas dar-nos nosso desejo mais fundo,

desejo cujo nome esquecemos... mas tu não esqueces nunca.

Realiza pois o teu desejo para que possamos sorrir.

Que o teu desejo se realize em nosso mundo

da mesma forma que ele pulsa em ti.

 

Concede-nos contentamento nas alegrias de hoje:

o pão, a água, o sono...

Que sejamos livres da ansiedade.

 

Que nossos olhos sejam tão mansos para com os outros

como os teus são para connosco.

Porque, se formos ferozes,

não poderemos acolher a tua bondade.

 

Ajuda-nos para que não sejamos enganados pelos maus desejos

E livra-nos

daqueles que carregam a morte nos próprios olhos.

Amém

Rubem Alves, in Transparências da Eternidade

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 Se alguém chora, vai e oferece-lhe a tua dádiva de amor.

Se alguém sofre, vai e oferece-lhe o consolo e conforto do teu dom de amor.

Se alguém está só, vai e oferece-lhe o abrigo do teu coração.

Se alguém tem fome, vai e partilha o teu tesouro.

Se alguém perdeu a esperança, vai e leva-lhe a dádiva de luz que trazes dentro de ti.

Se alguém grita de dor, vai e leva-lhe o silêncio sagrado da tua dádiva.

Se alguém está doente, vai e leva-lhe o conforto da tua presença luminosa.

Se alguém se sente culpado, vai e leva-lhe o poder libertador da tua dádiva.

Se alguém se sente rejeitado, vai e acolhe-o no seio da tua dádiva de amor.

 

Paulo Costa 


 

INFORMAÇÕES

TERÇO AO ESPÍRITO SANTO

Será cantado o Terço, em louvor do Divino Espírito Santo, nos dias 19, 20 e 21, na Igreja Matriz da Calheta, às 20h00.

 

CLÍNICA DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DA CALHETA

A Direção da Associação de Bombeiros Voluntários da Calheta informa que estará na Clínica da Instituição o Dr. Brasil Toste, Otorrinolaringologista a 31 de maio; Dr. Tiago Ribeiro, Osteopata, em maio; Dr.ª Renata Gomes, Cardiologista, em junho;  Dr.ª Paula Pires, Neurologista e Neuropediatra, em finais de julho; Dr.ª Lourdes Sousa, Dermatologista em agosto; Elisabel Barcelos, Psicóloga Clinica e Formadora, nas áreas de avaliação Psicológica de Condutores (Testes psicotécnicos), Avaliação Psicológica, acompanhamento Psicológico e formação em temas ligados à Saúde Mental e /ou Psicologia, quintas e sextas-feiras; Paula Ribeirinho, Terapeuta da Fala às segundas e quartas-feiras.

Os interessados podem fazer as suas marcações para os números 295460111 ou por email: abvc.geral@gmail.com.


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº997

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 1033

Pensamento da Semana

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 «Deus espera por nós em tudo o que encontramos. 

Não se trata de reentrar na esfera íntima e esquecer tudo o resto. 

O desafio é estar em si e experimentar com todos os sentidos a realidade daquilo e daquele que vem.

O desafio é atirar-se para os braços da vida e ouvir aí o bater do coração de Deus. 

Sem fugas. Sem idealizações. Os braços da vida como ela é.»

D. José Tolentino Mendonça

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

Visitas


Ver Estatísticas