Nº997

 

Rosário

No mês de maio, o povo cristão, armado de “grinaldas”, redescobre o rosto de Jesus na escola da Virgem Maria, a Rainha do Santo Rosário. Rosário é o substantivo proveniente do latim “rosarium”, roseiral, jardim de rosas, que a partir do contexto do monaquismo do século XII, com os Cartuxos e os Cistercienses, e ainda antes no século IX nos mosteiros da Irlanda, assume a conotação religiosa, marcada em especial pelo uso de colocar uma coroa ou grinalda de rosas nas imagens de Nossa Senhora, simbolizando as muitas orações perfumadas oferecidas a Maria, a que se seguiu a utilização do cordão de contas como instrumento para a recitação.

A afirmação da prática e os seus “direitos de autor” pertence a S. Domingos de Gusmão (1170-1221). Esta oração foi a consequência lógica do facto de S. Domingos recitar «mil vezes ao dia a primeira parte da Ave-Maria, meditando nos acontecimentos principais da revelação cristã, e os seus filhos desenvolveram a devoção do Santo Rosário e dela se tornaram os propagadores».

Em cerca de 800 anos de história, a oração do Rosário atraiu, envolveu e nutriu um número incontável de fiéis, revelando-se ainda hoje como forja formidável de devoção mariana, ainda mais porque é indicada sobretudo como instrumento espiritual de contraposição aos males da sociedade. Não é por acaso que neste mês de maio de trinta santuários de todo o mundo, como o de Fátima se elevará a maratona de oração do Terço como sinal profético de esperança pelo fim da pandemia.

Uma maneira simples, mas repleta de significado, diria Santa Teresa de Lisieux (1873-1897) num dos seus pensamentos dedicados à oração do Rosário, por ser uma longa cadeia que liga o Céu à Terra; uma das extremidades está nas nossas mãos e a outra nas da Virgem. «O Rosário, com efeito, apesar de caracterizado pela sua fisionomia mariana, é oração do coração cristológico. Na sobriedade dos seus elementos, concentra em si a profundidade de toda a mensagem evangélica, da qual é quase um compêndio» (S. João Paulo II, carta apostólica Rosarium Virginis Mariae).

A oração do Rosário permite a cada pessoa poder meditar e contemplar os momentos salientes da vida de Jesus, assim como a própria Maria fez continuamente em silêncio durante os dias da vida terrena. O seu sentido está aqui: «Para recitar o Rosário é preciso uma fé viva; mas antes de tudo saber fazer silêncio e meditar». Destaque-se também o que Wolfgang Amadeus Mozart escreveu sobre o Rosário: «Logo após a sinfonia, para festejar fui ao Palais Royal, comi um gelado, recitei o Rosário que tinha prometido e fui para casa».

A concluir, a propósito do problema da oração em relação à espiritualidade contemporânea, conta-se que um dos alunos de S. Boaventura de Bagnoregio lhe perguntou: «Mestre, o que pode saber de teologia aquela velhinha à beira da estrada?». Respondeu o santo: «É mais fácil encontrar uma fé sólida numa velhinha que num douto teólogo».

Roberto Cutaia (Adaptado)

 

 

MEDITAR

A Ascensão de Jesus ao profundo da minha existência

Com a Ascensão (Marcos 16, 15-20) Jesus não vai para outro lugar ou para o alto, mas segue em frente e acende a sua sarça nos cantos de cada estrada. Sobe o Senhor, não ao ventre dos céus, mas ao profundo da minha existência, mais íntimo a mim do que eu próprio (cf. Santo Agostinho).

«A Ascensão não é um percurso cósmico, mas a navegação do coração que te conduz do fechamento em ti ao amor que abraça o universo» (Bento XVI). A esta navegação do coração Jesus chama um grupinho de homens amedrontados e confusos, um núcleo de mulheres corajosas e fiéis, e confia-lhes o mundo.

Impele-os a pensar em grande e a olhar longe: o mundo é vosso. E fá-lo porque acredita neles, apesar de terem entendido pouco, apesar de terem traído e renegado, e muitos ainda duvidam.

E quanta alegria me dá sentir que confia em mim, nestas minhas mãos, neste meu coração, mais do que eu confio em mim próprio; sabe que também eu posso contagiar de céu e de natividades quem me é confiado.

Mas será tudo isto realmente possível? É-o, a acreditar no versículo conclusivo: eles partiram e pregaram em todo o lado, enquanto que o Senhor agia juntamente com eles.

Verbo extraordinário, que chega também até mim, aqui e agora: o Senhor agia em sinergia com eles, inseparáveis a sua energia e a do Senhor, uma só força, uma só linfa, uma só vida. Nunca sós. Última definição de Jesus: energia que opera contigo para a vida.

Jesus que nunca se cansa de dar vida a toda a criatura, em todo o lugar da Terra, que não te deixa: está contigo em todos os teus gestos de bondade, quando ofereces uma palavra fresca e viva, quanto constróis a paz.

Nas tuas mãos, as suas mãos; Ele o Amor em cada amor; terra profunda das tuas raízes, céu do teu céu. Existir é coexistir, em sinergia com Cristo e para os outros.

Os apóstolos impuseram as mãos aos doentes e estes ficaram curados. Impõe, põe as tuas mãos sobre alguém, como uma carícia, como um gesto de cura, com a arte da proximidade.

Não se pode sequer começar a falar de moral, de ética, de Evangelho, se não se experimenta um sentimento de cura por alguma coisa ou por alguém.

O leproso de Assis começa a curar quando Francisco o abraça; regressa homem quando é acolhido como é, ainda doente; regressa plenamente homem quando Francisco lhe impõe não só as mãos, mas o abraço, o corpo a corpo.

Se te aproximas de quem sofre e tocas, com mãos e olhos que acariciam, essa carne em que arde a dor, poderás sentir uma divina sinergia, sentir que «Deus salva, e fá-lo através das pessoas» (R. Guardini).

Ermes Ronchi

 

Pai Nosso... Mãe Nossa

 

Pai... Mãe... de olhos mansos

sabemos que estás invisível em todas as coisas.

Que o teu nome nos seja doce, a alegria de nosso mundo.

 

Traz-nos as coisas boas em que tens prazer:

Os jardins, as fontes, as crianças,

o pão e o vinho,

os gestos ternos, as mãos desarmadas,

Os corpos abraçados…

 

Sei que desejas dar-nos nosso desejo mais fundo,

desejo cujo nome esquecemos... mas tu não esqueces nunca.

Realiza pois o teu desejo para que possamos sorrir.

Que o teu desejo se realize em nosso mundo

da mesma forma que ele pulsa em ti.

 

Concede-nos contentamento nas alegrias de hoje:

o pão, a água, o sono...

Que sejamos livres da ansiedade.

 

Que nossos olhos sejam tão mansos para com os outros

como os teus são para connosco.

Porque, se formos ferozes,

não poderemos acolher a tua bondade.

 

Ajuda-nos para que não sejamos enganados pelos maus desejos

E livra-nos

daqueles que carregam a morte nos próprios olhos.

Amém

Rubem Alves, in Transparências da Eternidade

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 Se alguém chora, vai e oferece-lhe a tua dádiva de amor.

Se alguém sofre, vai e oferece-lhe o consolo e conforto do teu dom de amor.

Se alguém está só, vai e oferece-lhe o abrigo do teu coração.

Se alguém tem fome, vai e partilha o teu tesouro.

Se alguém perdeu a esperança, vai e leva-lhe a dádiva de luz que trazes dentro de ti.

Se alguém grita de dor, vai e leva-lhe o silêncio sagrado da tua dádiva.

Se alguém está doente, vai e leva-lhe o conforto da tua presença luminosa.

Se alguém se sente culpado, vai e leva-lhe o poder libertador da tua dádiva.

Se alguém se sente rejeitado, vai e acolhe-o no seio da tua dádiva de amor.

 

Paulo Costa 


 

INFORMAÇÕES

TERÇO AO ESPÍRITO SANTO

Será cantado o Terço, em louvor do Divino Espírito Santo, nos dias 19, 20 e 21, na Igreja Matriz da Calheta, às 20h00.

 

CLÍNICA DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DA CALHETA

A Direção da Associação de Bombeiros Voluntários da Calheta informa que estará na Clínica da Instituição o Dr. Brasil Toste, Otorrinolaringologista a 31 de maio; Dr. Tiago Ribeiro, Osteopata, em maio; Dr.ª Renata Gomes, Cardiologista, em junho;  Dr.ª Paula Pires, Neurologista e Neuropediatra, em finais de julho; Dr.ª Lourdes Sousa, Dermatologista em agosto; Elisabel Barcelos, Psicóloga Clinica e Formadora, nas áreas de avaliação Psicológica de Condutores (Testes psicotécnicos), Avaliação Psicológica, acompanhamento Psicológico e formação em temas ligados à Saúde Mental e /ou Psicologia, quintas e sextas-feiras; Paula Ribeirinho, Terapeuta da Fala às segundas e quartas-feiras.

Os interessados podem fazer as suas marcações para os números 295460111 ou por email: abvc.geral@gmail.com.


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº997

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 1014

Pensamento da Semana

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 

Agarra-te à Esperança com força, com toda a força de que és capaz...

Quem Espera, vive de olhos postos num Novo Dia que vem. E assim, com a vida iluminada por essa Esperança, quem Espera vence obstáculos, derruba barreiras, ergue-se das quedas e caminha feliz.

Não importam as feridas abertas nem as cicatrizes para quem acredita na cura e sabe que sempre é tempo de recomeçar.

Agarra-te à Esperança... e se a sentires apagar-se, renova-a, pois quem não Espera, não Vive.

De Coração para coração

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

Visitas


Ver Estatísticas