Nº 982

 

50 lições de vida da pandemia

- A vida humana é o valor supremo e nada é mais importante do que ela.

- A saúde é a realidade mais valiosa para o nosso bem-estar e qualidade de vida.

- Somos todos feitos da mesma matéria e todos estamos sujeitos à doença e à morte.

- Parar é importante para refletirmos nas coisas verdadeiramente importantes.

- É essencial termos consciência da vulnerabilidade das pessoas mais idosas.

- É importante viajar rumo ao nosso interior, na descoberta do nosso ser mais profundo.

- O tempo é um bem precioso que pode e deve ser sempre bem aproveitado.

- O otimismo e o sentido de humor são armas para vencer as adversidades.

- Os médicos, enfermeiros e instituições de saúde são imprescindíveis para a sociedade.

- Os verdadeiros heróis são aqueles que tudo fazem para dar vida aos demais.

 

- Abraçar as pessoas é muito importante, faz-nos bem e humaniza-nos.

- Sorrir é essencial para aproximar as pessoas e tornar a vida mais bonita e colorida.

- Muitas vezes, a melhor maneira de amar e ajudar uma pessoa é não estar perto dela.

- Não conseguimos viver sem amigos e fazemos tudo para nos relacionarmos com eles.

- São fundamentais as iniciativas de solidariedade a favor das pessoas mais vulneráveis.

- A humanidade vive num ritmo elevadíssimo e é urgente desacelerar.

- Podemos viver bem com menos bens materiais e com mais afetos.

- Toda a humanidade está no mesmo barco e somos responsáveis uns pelos outros.

- A globalização e a interdependência dos povos são uma realidade incontestável.

- Temos uma enorme capacidade de adaptação, empreendedorismo e criatividade.

 

- A nossa casa será sempre o nosso refúgio e o melhor lugar do mundo.

- A nossa família, com as suas virtudes e defeitos, é muito importante para nós.

- A oração une as famílias de todo o mundo na fé, na esperança e no amor.

- O trabalho doméstico e a participação de todos nas tarefas do lar são fundamentais.

- É bom e necessário ter mais tempo para as brincadeiras entre pais, filhos e irmãos.

- Só Aquele que é o Caminho, a Verdade e a Vida nos pode verdadeiramente salvar.

- É ótimo fazer coisas em família: conversar, ver séries, cozinhar, cuidar da casa, etc.

- É bom poder ter mais tempo para ler, escrever, pesquisar, aprender, jogar, etc.

- É estimulante a oportunidade de passear e conhecer melhor a nossa terra.

- Deus é o princípio e o fim de todas as coisas e só Ele confere sentido à existência.

Paulo Costa (continua na próxima Carta Familiar)

 

MEDITAR

A fé não é saber coisas, mas sangue e vida

As pessoas ficavam maravilhadas com o seu ensinamento (cf. Marcos 1,21-28), como quando no deserto do sempre igual nos deparamos com o inaudito. Maravilhava-se, e a escuta desarmava-se.

O motivo: porque ensinava com autoridade. Jesus é autorizado porque é credível, nele mensagem e mensageiro coincidem: diz aquilo que é, e é aquilo que diz. Não recita um papel. Ele é acrescimento de vida, respiração ampla, horizonte livre.

Não ensinava como os escribas… Os escrivas são inteligentes, estudaram, conhecem bem as Escrituras, mas escutam-na apenas com a cabeça, numa leitura que não move o coração, não o acende, não se torna pão e gesto.

Muitas vezes também nós somos como escribas connosco próprios, basta-nos juntar o Evangelho à razão, parece-nos que o compreendemos, muitas vezes dá-nos gosto, mas a existência não muda. A fé não é saber coisas, mas fazê-la tornar-se sangue e vida.

Jesus ensinava como quem tem autoridade. O mundo tem uma necessidade desesperada de mestres autorizados. Mas nós, quem escutamos? Escolhemos com cuidado os nossos mestres e com humildade, caminhando no passo de quem vai mais à frente.

De quem aprender? De quem nos ajuda a crescer em sabedoria e graça, isto é, na capacidade de espanto infinito. Devemos escolher quem dá asas. Os verdadeiros mestres não são aqueles que colocam laços à minha vida ou novas estacas, mas aqueles que me darão asas, que me permitirão transformá-las, que as alisam, alongam, tornam fortes. Dão-ma a capacidade de voar.

Na sinagoga de Cafarnaum ocorre, depois, o primeiro milagre. Um endemoninhado está a pregar na comunidade, é visita habitual ao sábado. Tinha ouvido pregações… Pode passar-se toda uma vida indo todos os sábados à sinagoga, todos os domingos à igreja, rezar e escutar a Palavra, e ainda assim manter dentro de si um espírito doente, uma alma distante que não se deixa alcançar. Pode viver-se toda uma vida como cristãos de domingo sem nunca deixar-se tocar pela Palavra de Deus, sem que faça verdadeiramente nova a vida.

Belas e envolventes as duas perguntas que se seguem: que tens Tu, Jesus, a ver connosco, com a nossa vida quotidiana? Tu estás no rito do domingo, estás na igreja, ou no alto dos Céus; mas que tens Tu a ver com a nossa vida de todos os dias?

Queres saber se acreditas? Se isto te muda a vida. Vieste para nos arruinar, pergunta a Jesus o homem com espírito maligno. A resposta é “sim!”: veio para arruinar as espadas, que se tornam foices; é a ruina das lanças, que se tornam arados, das duras conchas que aprisionam as pérolas. «Minha doce ruina» (D.M.Turoldo), que arruínas máscaras e medos, e tudo o que arruína o humano.

Ermes Ronchi

 

Carta a ti, que estás cansado!

Avizinham-se, novamente, notícias difíceis. Não sabemos se temos coração para as encaixar. Para as receber. Colados ao ecrã, esperamos que venha alguém engravatado e bem vestido dizer-nos o que já sabemos:

Está difícil. Não há alternativa. É preciso mais isto e mais aquilo.

Não sei se ouvimos realmente ou se já nos colocámos em piloto automático. Baixamos a cabeça, gesticulamos com a vida toda que estremece mais uma vez.

Estamos em perigo. Estamos nas mãos uns dos outros e até os meus alunos de doze anos conseguem compreender isso. Tu não consegues porquê?

Estamos nas mãos uns dos outros e somos a força uns dos outros.

A minha máscara é a tua máscara.

As minhas mãos são as tuas mãos.

As minhas lágrimas são as tuas lágrimas.

A minha vida é a tua vida.

Nunca tivemos uma oportunidade tão profunda para nos juntarmos. Temos aqui a janela para fazer a diferença. Temos, nas nossas mãos, o poder de controlar grande parte desta situação que agora vivemos.

Lembras-te quando querias mudar o mundo? Ir por aí para salvar gente e pedaços de terra perdidos onde não mora (quase) ninguém?

Lembras-te daquela vontade de deixar marca nesta terra, neste chão que pisas todos os dias?

Lembras-te das vezes em que pediste a Deus que te ajudasse a fazer melhor?

Eis a tua oportunidade:

Lavar as mãos. Usar máscara como deve ser. Proteger tudo e todos com a simples vontade de querer fazer o que está certo.

Desta vez já sabemos mais. Sabemos melhor. Já aqui estivemos.

Sozinhos não somos muito. Mas juntos… somos tudo.

Marta Arrais

 PENSAMENTO DA SEMANA

 

Sê bondoso para com as pessoas que cruzam o teu caminho.
Quem olha para si e para os outros com benevolência e tolerância
não se deixa tolher pelos seus próprios erros.
Agarra-se ao bem e acredita nele,
mesmo que sofra muitas desilusões.
A fé na bondade de cada um atrai o melhor que há nas pessoas,
pois reconhece o bem que há em todos.

Anselm Grün


 

INFORMAÇÕES

COMISSÃO DA IGREJA DA RIBEIRA SECA

A comissão da Igreja de São Tiago da Ribeira Seca, informa que está a organizar uma angariação de fundos para a Igreja no dia 14 de Fevereiro - Domingo Gordo. Vai fazer uma venda de filhoses a seguir à Missa. Haverá donetes, filhoses tradicionais, filhoses de forno e cada uma terá o custo simbólico de 1€. Quem estiver interessado poderá fazer a sua encomenda através do número 960 207 012, por mensagem para a página do Facebook da Paróquia de São Tiago, ou diretamente aos membros da comissão. Aceitam-se reservas até dia 7 de Fevereiro. Desde já agradecemos a atenção e contamos com a colaboração de todos!


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 982

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

nº 1015

Pensamento da Semana

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 

Educar é produzir um homem feliz e sábio. Educar é produzir um homem que ama o espetáculo da vida. Desse amor, emana a fonte da inteligência. Educar é produzir uma sinfonia em que rimam dois mundos: o das ideias e o das emoções.

 

Há dois tipos de educação: a que informa e a que forma. A educação que informa ensina o homem a conhecer o mundo em que habita; a educação que forma vai além, ensina-o também a conhecer o mundo que ele é.

Augusto Cury

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

Visitas


Ver Estatísticas