Nº 401

 

SEMANA DA EDUCAÇÃO CRISTÃ

Termina a Semana da Educação Cristã que é como que o arranque de toda a actividade educativa das nossas comunidades que tem na catequese a sua maior expressão.

Já nos referimos ao tema na Carta da semana passada. Nesta vou salientar alguns aspectos que vêm na mensagem da Comissão Episcopal da Educação Cristã.

Começa por dizer que, A educação é tão importante na vida do ser humano que, sem ela, ninguém cresce harmoniosamente e ultrapassa um estilo de vida marcado pela vulgaridade. É que a educação proporciona a cada ser humano o conhecimento de si próprio, a consciência da necessidade dos outros para a sua própria realização, a abertura às dimensões espiritual e transcendente da vida, e o empenho crescente no seu próprio desenvolvimento e na construção da sociedade em que está inserido. A educação é um contributo indispensável para o desenvolvimento integral da pessoa humana”.

Depois refere as dificuldades que se encontram na educação e que não devem conduzir ao desânimo e ao enfraquecimento no seu empenho, mas devem ser superados com um compromisso e dinamismo novo de criatividade.

Como este ano é dedicado ao sacerdócio, faz-se um especial apelo a que os sacerdotes “no conjunto das suas múltiplas tarefas e constantes solicitações, dêem especial atenção à Catequese em todas as idades. Sendo, embora, a catequese de adultos ponto de referência para a catequese em todas as idades, há que dar atenção particular à infância e adolescência, nesta fase importante de lançamento de novos catecismos.

A educação cristã não se restringe à Catequese. Começa na Família e prolonga-se na Escola, que lhe presta um contributo subsidiário, sendo frequentemente apoiada, mormente nos adultos, pelos Movimentos e Associações laicais.

Por isso, é indispensável que os sacerdotes acompanhem de perto as famílias na sua tarefa educativa, oferecendo-lhes propostas de catequese de adultos, procurando empenhá-las na catequese dos filhos e motivando-as para a inscrição dos mesmos na disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica”

.Depois há uma palavra de reconhecimento às famílias - pais e avós - catequistas e outros agentes da Educação pela dedicação e competência com que desempenham o seu trabalho.

Com o empenho de todos contribuiremos para o crescimento da Igreja.

                                  Pe. Manuel António Santos

 

 

 

 

 

 

MEDITAR

QUE SOU EU SEM OS OUTROS?

A vida vive-se com os outros.

Viver com os outros significa

que tenho que partilhar tudo com eles.

Nada lhes pode acontecer por minha culpa.

Tenho de os aceitar,

acolher, querer.

 

Sem os outros,

a vida, o amor e a felicidade

não passam de utopias.

Estamos todos interligados

por uma infinidade de fios.

Uma vida depende doutra

e nenhuma se desenvolve sem as outras.

 

Só posso desenvolver-me

com a ajuda dos outros.

Preciso deles não só

porque significam muito para mim,

mas também porque posso fazer muito por eles

 

Tenho olhos para descobrir os outros.

Tenho ouvidos para os escutar

Tenho pés para me aproximar deles.

Tenho mãos para lhes estender

Tenho um coração para os amar.

                                              Phil Bosman in Felicidade

 

   

CONTO (275)

 VER DEUS

Era uma vez um rei que desejava ver Deus. Chamou os seus conselheiros e estes indicaram-lhe um pastor com fama de sábio e que poderia ajudar.

O pastor foi chamado ao palácio e o rei disse-lhe:

- Quero que me mostres Deus.

O pastor disse-lhe que olhasse para o sol durante um minuto. O rei tentou mas não pôde e protestou que o pastor queria era que ele ficasse cego. Então o pastor replicou-lhe:

- Se não podes olhar para a obra do Criador, como podes conseguir ver o Criador?

- Tens razão. Então fala-me de Deus.

- Para obteres a resposta, conta primeiro de forma regressiva de dez para trás.

O rei contou: dez, nove, oito, sete, seis, cinco, quatro, três, dois, um. E disse: «Não há mais números!»

O pastor acrescentou:

- Tens razão. O último número é «um». Deus é Único e não há outro além dele.

O rei fez-lhe então outra pergunta:

- Em que se ocupa Deus?

O pastor respondeu:

- Tira as tuas roupas reais e dá-mas.

O rei assim fez. Depois o pastor continuou:

- Agora deves sentar-te no chão.

O rei, embora com dificuldade, assim fez. Então o pastor disse:

- Deus ocupa-se a exaltar os humildes e a humilhar os soberbos.

 In TOMA E LÊ de Pedrosa Ferreira

 

 

XXVIII DOMINGO COMUM

 

TEMA

 

A liturgia do 28º Domingo do Tempo Comum convida-nos a reflectir sobre as escolhas que fazemos; recorda-nos que nem sempre o que reluz é ouro e que é preciso, por vezes, renunciar a certos valores perecíveis, a fim de adquirir os valores da vida verdadeira e eterna.

Na primeira leitura, um “sábio” de Israel apresenta-nos um “hino à sabedoria”. O texto convida-nos a adquirir a verdadeira “sabedoria” (que é um dom de Deus) e a prescindir dos valores efémeros que não realizam o homem. O verdadeiro “sábio” é aquele que escolheu escutar as propostas de Deus, aceitar os seus desafios, seguir os caminhos que Ele indica.

O Evangelho apresenta-nos um homem que quer conhecer o caminho para alcançar a vida eterna. Jesus convida-o renunciar às suas riquezas e a escolher “caminho do Reino” – caminho de partilha, de solidariedade, de doação, de amor. É nesse caminho – garante Jesus aos seus discípulos – que o homem se realiza plenamente e que encontra a vida eterna.

A segunda leitura convida-nos a escutar e a acolher a Palavra de Deus proposta por Jesus. Ela é viva, eficaz, actuante. Uma vez acolhida no coração do homem, transforma-o, renova-o, ajuda-o a discernir o bem e o mal e a fazer as opções correctas, indica-lhe o caminho certo para chegar à vida plena e definitiva.

                                                                             (Dehonianos)

 

A vida é estéril para muitos,

porque não conhecem a amizade,

porque ninguém os ama.

Por mais que procurem,

não há para eles um sinal

de simpatia ou afecto.

Para eles nunca floresce uma flor!

Apesar de tudo,

as flores fazem milagres!

Nem é necessário que sejam exóticas ou caras!

 

Flores vulgares simples:

Um sorriso, uma palavra amável,

Um gesto amigável

                                                 Phil Bosmans

 


 

INFORMAÇÕES

 

FESTA DE NOSSA SENHORA DAS DORES

A festa de Nossa Senhora das Dores da Fajã do Ouvidor teve a receita de 1.303,85€.

 

FESTA DE NOSSA ENHORA DE FÁTIMA NA FAJÃ DA RBEIRA DA AREIA

Está a decorrer o Tríduo às 20 horas.

No dia 12 após a Eucaristia que é às 20 horas, haverá procissão de velas.

 

FESTA DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA NAS MANADAS

Haverá procissão de velas no dia 12, às 20 horas, com saída da Ermida de Santa Rita, seguida de Eucaristia à chegada à Igreja.

 

FESTA DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA NA RIBEIRA DO NABO

No dia 12 pelas 19 horas, haverá eucaristia seguida de procissão de velas na Ribeira do Nabo.

 

FESTA DE NOSSA SENHORA DA BOA MORTE

Na Ermida de Nª Sr.ª da Boa Morte, na Urzelina, haverá Eucaristia às 16 horas seguida de procissão, no dia 18 de Outubro.

 


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 401

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 819

Pensamento da Semana

 

Um anjo nunca se faz conhecer, nós só sabemos que ele esteve connosco quando ele parte. Porque deixa-nos na vida um perfume, deixa-nos na vida um desassossego.

 

Erri de Luca, in Em nome da mãe

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas