Nº 453

 

GENEROSIDADE E CATEQUESE

Catequese e generosidade têm de caminhar lado a lado.
A generosidade é “filha” do amor porque liberta do egoísmo e faz com que o nosso ser se abra aos outros numa entrega desinteressada. O catequista manifesta este amor na medida em que se desinstala e dá do seu tempo, do seu esforço e do seu coração aos mais novos das nossas comunidades.
A generosidade manifesta um coração repleto de amizade porque une e torna mais próximas as pessoas umas das outras. O catequista experimenta e vive esta amizade na medida em que dá as mãos aos seus catequizandos e faz com que toda a comunidade, especialmente, os pais se interessem pela caminhada de fé dos seus filhos.
A generosidade não se dá bem com o egoísmo. O egoísta nunca pode ser catequista porque não é capaz de dar do seu tempo, da sua riqueza interior, dos seus conhecimentos e dedicação. É por isso que, geralmente, faltam muitos catequistas. Vivemos num mundo em que as pessoas se viram mais para dentro e não para fora, fecham as mãos em vez de as abrirem em sinal de dádiva e doação aos outros.
A generosidade cultiva o perdão no reconhecimento das fragilidades próprias e aceitação das riquezas dos irmãos. O catequista é aquele que sabe olhar para dentro de si e reconhecer-se pequeno e fraco e, por isso, necessitado da bondade e compreensão dos que com ele vão trilhando os caminhos do amor e da compreensão. O catequista sabe que das crianças recebe a alegria do perdão e da amizade.
A generosidade ensina a viver para a felicidade do outro e não para o ódio, para o desprezo e sofrimento. O catequista faz tudo o que está ao seu alcance para que as suas crianças sejam felizes procurando um rosto alegre e amável num coração generoso.
A generosidade faz-nos olhar para o outro como pessoa e não como máquina ou número, como se fosse mais “um”. O catequista procura humanizar a vida das suas crianças fazendo com que elas se sintam ajudadas por amor.
Estamos no início das catequeses a nível comunitário em cada uma das nossas paróquias. É tempo de apelar à generosidade de quem preste este serviço às nossas crianças, adolescentes e jovens. É tempo de apelar à generosidade dos pais e demais familiares com esta consciência de que a responsabilidade primeira da catequese é dos que se comprometeram no dia do Baptismo dos seus filhos que os educariam na fé. Que estas palavras sejam responsabilidade e acção e não se transformem em desleixo que os filhos não merecem.
Vamos todos fazer o melhor pela educação generosa da fé dos nossos mais novos.
Pe. Manuel António

XXVIII DOMINGO DO TEMPO COMUM

Tema:

A liturgia deste domingo mostra-nos, com exemplos concretos, como Deus tem um projecto de salvação para oferecer a todos os homens, sem excepção; reconhecer o dom de Deus, acolhê-lo com amor e gratidão, é a condição para vencer a alienação, o sofrimento, o afastamento de Deus e dos irmãos e chegar à vida plena.
A primeira leituraapresenta-nos a história de um leproso (o sírio Naamã). O episódio revela que só Jahwéh oferece ao homem a vida e a salvação, sem limites nem excepções; ao homem resta acolher o dom de Deus, reconhecê-l’O como o único salvador e manifestar-Lhe gratidão.
O Evangelhoapresenta-nos um grupo de leprosos que se encontram com Jesus e que através de Jesus descobrem a misericórdia e o amor de Deus. Eles representam toda a humanidade, envolvida pela miséria e pelo sofrimento, sobre quem Deus derrama a sua bondade, o seu amor, a sua salvação. Também aqui se chama a atenção para a resposta do homem ao dom de Deus: todos os que experimentam a salvação que Deus oferece devem reconhecer o dom, acolhê-lo e manifestar a Deus a
sua gratidão.
A segunda leituradefine a existência cristã como identificação com Cristo. Quem acolhe o dom de Deus torna-se discípulo: identifica-se com Cristo, vive no amor e na entrega aos irmãos e chega à vida nova da ressurreição.
(Dehonianos)
 

MEDITAR

ORAÇÃO DO CATEQUISTA

Senhor
Tu me chamaste a ser catequista
na Tua Igreja,
na Tua comunidade que também é minha.
 
Tu me confias-te a missão
de anunciar a Tua Palavra,
de denunciar o pecado
de testemunhar, pela minha própria vida,
os valores do Evangelho.
 
Recuo diante do Teu chamamento.
É pesada, Senhor, a minha responsabilidade.
Mas, se me escolheste, confio na Tua graça
 
Caminharemos juntos, Senhor,
Tu, apoiando-me, iluminando-me;
eu, colocando-me à Tua disposição,
à disposição da Igreja
preparando-me e actualizando-me sempre mais
para servir melhor o Teu povo.
 
Faz-me Teu instrumento
para que venha o Teu Reino,
Reino de amor e de paz,
de fraternidade e justiça,
Reino, onde Deus será tudo em todos. Amém  

 

Os dias prósperos não vêm ao acaso; são granjeados, como as searas, com muita fadiga e com muitos intervalos de desalento.

 

Camilo Castelo Branco

 

 

 

Usa a capacidade que tens. A floresta ficaria silenciosa se só o melhor pássaro cantasse.

Oscar Wilde

 


 

 


CATEQUESE DA CALHETA

ANO

CATEQUISTA

DIA

Srª Celestina

Terça  depois da escola

Lassalete Alves

Sexta depois da escola

10º

Pe. Manuel António

Quinta depois da escola

CATEQUESE DO NORTE GRANDE

ANO

CATEQUISTA

DIA

Nair e Lúcia

 

Gorete Silveira

Domingo depois da missa

Srª Conceição

 

Gina Silva

Sexta depois da escola

10º

Luísa Matos

Quarta depois da escola

ANO

CATEQUISTA

DIA

1º e 2º

Teresa F. e Rui Silva

 

Stefani Pamplona

 

Fátima Lemos

 

Bruno Oliveira

 

Graça Alberto

 

Márcia Morais

 

CATEQUESE DOS BISCOITOS

ANO

CATEQUISTA

DIA

Janice Mendonça

Sexta depois da escola

Joana Brasil

Segunda depois da escola

Sandra Nascimento

Terça depois da escola

Carolina Matos

Sexta depois da escola

Aldora Brasil

Segunda depois da escola

Cátia Melo

Segunda depois da escola

Angelina R e Gorete L

A combinar

INFORMAÇÕES

RECTIFICAÇÃO

Na Carta Familiar da semana passada, na secção de informações, vinha referência à receita relativamente à festa de Nª Sr.ª das Dores. Nesta informação, por lapso, dizia-se que o trabalho de manicura tinha tido a receita de 9 €. Este trabalho que foi feito por 4 jovens rendeu 94 € que foram entregues à Comissão da Igreja e não 9€ como lá aparecia. Agradeço a generosidade destas jovens. E peço desculpa pelo erro.

 

FESTA DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA

FAJÃ DA RIBEIRA D’AREIA

Dia 12 de Outubro missa e procissão de velas às 20 horas.

Festa dia 13 de Outubro com missa às 13 horas seguida de procissão.

 

FESTA DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA

MANADAS - URZELINA

Dia 12 - Procissão de velas e missa às 20 horas.

 

Dia 17

Festa de Nª Senhora da Boa Morte na Urzelina - Missa e Procissão

 


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 453

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 827

Pensamento da Semana

Dá-nos um coração claro que veja o céu aberto
e o mundo como os olhos de uma criança,
olhos de confiança e de descoberta
que nos salvem dos hábitos.

 

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas