Nº 881

 

SANTO E FELIZ NATAL

 

Natal: palavra feita, ou a fazer?

Deus nascido, ou a nascer?

Flor, espinho ou fruto?

Humano produto de humana condição,

ou certeza de um Deus que é nosso irmão?

Ah, não me pergunteis o que é Natal.

Bem o sentis e sabeis

nesse clarão de alma diferente,

nessa vontade de ser cordeiro,

de se fazer irmão de toda a gente,

de dar presentes sem ter dinheiro

e de se dar em todos os presentes

Lopes Morgado

 

São os Votos dos Padres:

Manuel António Santos

António Duarte Azevedo

Alexandre Medeiros

Ruben Pacheco

 

IV DOMINGO DO ADVENTO

O sono de Maria

"Esta noite sonhei, José, que toda a gente estava a preparar uma grande Festa. Limpavam tudo, decoravam as casas e compravam roupa nova. Saíam às compras e adquiriam muitos presentes. Não pude compreender bem o que se passava mas creio que se tratava de um aniversário natalício. Creio até que se tratava do nascimento do nosso Filho.

O que mais me surpreendeu, José, é que esses presentes não eram para Ele. Envolviam-nos em lindos papéis que atavam com preciosas fitas e colocavam-nos debaixo de uma árvore. Sim, José, devias ver essa árvore brilhante! Toda a gente estava feliz e emocionada com as ofertas. Trocavam prendas uns com os outros mas… não ficou nada para o nosso Filho.

Pareceu-me que nem O conhecem pois nunca mencionavam o Seu nome. Não te parece estranho que as pessoas se cansem tanto para celebrar o aniversário de Alguém desconhecido? Se Jesus batesse à porta seria apenas um intruso.

Tudo estava tão lindo, José, e todo o mundo feliz, mas eu senti vontade de chorar.

Que tristeza para Jesus não ser desejado na sua própria festa de anos.

Estou contente porque foi apenas um sonho, mas que terrível seria se tudo isto fosse a realidade!"

Boas Festas e não se esqueçam de colocar Jesus no centro do Natal!

Pe. José David Quintal Vieira, scj

 

MEDITAR

Nasce de novo!...

Em nome das mães que velam por seus filhos noite dentro,

sentadas à cabeceira da cama para dar alento;

Em nome das crianças que são maltratadas, violadas, vendidas

e crescem sem um ninho onde se sintam acolhidas;

Em nome das mulheres prostituídas, traficadas

e que são feridas na sua dignidade;

Em nome dos homens explorados no trabalho,

com horários pesados e pouco remunerados;

Em nome dos que passam fome e que ao relento dormem;

Em nome dos refugiados e imigrantes, que partem para terras tão distantes;

Em nome de todos os que não têm um teto para viver

nem uma lareira para se aquecer;

Em nome dos idosos abandonados e sozinhos

que não têm o sorriso nem dos seus vizinhos;

Em nome dos doentes mentais gozados e banidos,

que são tantas vezes escondidos;

Em nome dos que fazem do dinheiro o seu trono,

como se do mundo fossem donos;

Em nome dos povos que vivem em guerra,

destruição e luta que tudo lhes leva;

Em nome dos que vivem aflições

e andam sem esperança nos corações;

Em nome dos que perderam entes queridos,

e no processo de luto ficam perdidos;

Em nome da mãe natureza maltratada,

que se vê em tantos sítios desfigurada;

Em nome do cosmos que habitas,

e onde dele quiseste fazer participar o Homem, em quem acreditas:

 

Nasce de novo, Filho de Deus,

e traz o verdadeiro Amor àqueles que são os teus!

 Cristina Duarte

 

A boa educação é tudo

Sem maiores preocupações com o vestir, o médico conversava descontraído com o enfermeiro e o motorista da ambulância, quando uma senhora elegante chega e de forma ríspida, pergunta:

– Vocês sabem onde está o médico do hospital?

Com tranquilidade o médico respondeu:

– Boa tarde, senhora! Em que posso ser útil?

Ríspida, retorquiu:

– Será que o senhor é surdo? Não ouviu que estou à procura do médico?

Mantendo-se calmo, ele replicou:

– Boa tarde, senhora! O médico sou eu, em que posso ajudá-la?

– Como? O senhor? Com essa roupa?

– Ah, Senhora! Desculpe-me! Pensei que a senhora estivesse à procura de um médico e não uma vestimenta….

– Oh! Desculpe doutor! Boa tarde! É que… Vestido assim, o senhor nem parece um médico…

– Veja bem as coisas como são… - disse o médico. - As vestes parecem não dizer muitas coisas, pois quando a vi chegar, tão bem vestida, tão elegante, pensei que a senhora fosse sorrir educadamente para todos e depois daria um simpaticíssimo "boa tarde!"; como se vê, as roupas nem sempre dizem muito…

Moral da história: Um dos mais belos trajes da alma é a educação. São más "vestimentas" a falta de educação, a arrogância, a falta de humildade, as pessoas que se julgam donas do mundo e da verdade, e outras manias ou defeitos de carácter.

Fraternitas Movimento

 

PENSAMENTO DA SEMANA

A Salvação de Deus não é um raio que nos cai em cima cheio de poder e estrondo, mas um Menino que nos vem parar ao colo.

Rui Santiago cssr in "Teologia da Beleza"


 

INFORMAÇÕES

 

 

 CORTEJOS DE OFERENDAS

Dia 25 de dezembro - Fajã dos Vimes.

Dia 30 de dezembro - Portal

Dia 1 de janeiro - Biscoitos - Loural - Ribeira Seca.

Dia 6 de janeiro - Manadas - Calheta - Urzelina

Dia 13 de janeiro - Er.da de S.to António.


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 881

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

nº 1015

Pensamento da Semana

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 

Educar é produzir um homem feliz e sábio. Educar é produzir um homem que ama o espetáculo da vida. Desse amor, emana a fonte da inteligência. Educar é produzir uma sinfonia em que rimam dois mundos: o das ideias e o das emoções.

 

Há dois tipos de educação: a que informa e a que forma. A educação que informa ensina o homem a conhecer o mundo em que habita; a educação que forma vai além, ensina-o também a conhecer o mundo que ele é.

Augusto Cury

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

Visitas


Ver Estatísticas