Nº 449

 

ABRIR JANELAS

 

Enquanto escrevo, permanece atrás de mim uma janela que dá a luz que me permite ver o ecrã do meu computador que, curiosamente, também tem janelas.

As janelas são aberturas nas paredes das nossas casas que nos permitem ver e arejar, que dão para fora, para o vazio. Fazem-nos apreciar a vida e as histórias que correm lá fora, ou simplesmente contemplar o céu, saborear o vento, ouvir a multiplicidade de sons.

As gentes que passam têm histórias para contar, os veículos que circulam transportam pessoas que têm os seus afazeres e mercadorias precisas para as casas.

A janela abre-se para os outros e para o mundo.

As janelas são necessárias e foram feitas para abrir. Elas dão-nos novos horizontes e conduzem-nos para mais além.

Vamos iniciar um novo ano escolar e é necessário abrir estas janelas da vida das escolas para criar estímulos e oportunidades, vontades de permanecer em descoberta do novo e do belo.

A escola é lugar de construção. Toda a construção requer empenho e responsabilidade, mas na medida que vai crescendo nos seus alicerces, paredes, portas, janelas… dá alegria pelo erguer de algo novo e que dependeu do esforço dos participantes. Se estou na construção e não colaboro, não dou o meu contributo e esforço, vou exigir que outros o façam. Chegados à beleza da construção realizada vemos a alegria e felicidade transparecer nos rostos daqueles que contribuíram para a sua edificação.

Só que a escola é mais cativante porque se trata de pessoas que têm vontade de ser mais e, por isso, de construir uma vida alegre e feliz e assim a abertura de todos os que dela fazem parte é necessária para o bom sucesso escolar.

Todos temos de abrir as janelas que existem cá dentro para que esta vida escolar seja uma realidade cativante e com sucesso.

As janelas da vontade para a colaboração todas as vezes que forem necessárias.

As janelas da inteligência para dar do que temos e receber do que não temos.

As janelas da responsabilidade para não nos afastarmos daquilo que depende do empenho, colaboração e esforço de cada um e não deitarmos para cima de outros o que nos compete.

As janelas do bem, da alegria, do diálogo, do perdão. Acima de tudo a janela do amor que deve circular e crescer na escola e à sua volta.

 Pe. Manuel António

XXIV DOMINGO DO TEMPO COMUM

Tema:

A liturgia sugere-nos, hoje, uma reflexão sobre o lugar que o dinheiro e os outros bens materiais devem assumir na nossa vida. De acordo com a Palavra de Deus que nos é proposta, os discípulos de Jesus devem evitar que a ganância ou o desejo imoderado do lucro manipulem as suas vidas e condicionem as suas opções; em contrapartida, são convidados a procurar os valores do “Reino”.

Na primeira leitura, o profeta Amós denuncia os comerciantes sem escrúpulos, preocupados em ampliar sempre mais as suas riquezas, que apenas pensam em explorar a miséria e o sofrimento dos pobres. Amós avisa: Deus não está do lado de quem, por causa da obsessão do lucro, escraviza os irmãos. A exploração e a injustiça não passam em claro aos olhos de Deus.

O Evangelho apresenta a parábola do administrador astuto. Nela, Jesus oferece aos discípulos o exemplo de um homem que percebeu como os bens deste mundo eram caducos e precários e que os usou para assegurar valores mais duradouros e consistentes… Jesus avisa os seus discípulos para fazerem o mesmo.

Na segunda leitura, o autor da Primeira Carta a Timóteo convida os crentes a fazerem do seu diálogo com Deus uma oração universal, onde caibam as preocupações e as angústias de todos os nossos irmãos, sem excepção. O tema não se liga, directamente, com a questão da riqueza (que é o tema fundamental da liturgia deste domingo); mas o convite a não ficar fechado em si próprio e a preocupar-se com as dores e esperanças de todos os irmãos, situa-nos no mesmo campo: o discípulo é convidado a sair do seu egoísmo para assumir os valores duradouros do amor, da partilha, da fraternidade.

(Dehonianos)

 

Chamo-te


Chamo-Te porque tudo está ainda no princípio
E suportar é o tempo mais comprido.

Peço-Te que venhas e me dês a liberdade,
Que um só de Teus olhares me purifique e acabe.

Há muitas coisas que não quero ver.

Peço-Te que sejas o presente.
Peço-Te que inundes tudo.
E que o Teu reino antes do tempo venha
E se derrame sobre a Terra
Em Primavera feroz precipitado.

Sophia de Mello Breyner Andresen

 

CONTO (319)

 

O ARGUEIRO E A TRAVE

Um dia, o imperador mandou chamar um dos seus vassalos, que era conhecido como muito cruel, muito mau. Disse-lhe:

- Ordeno-te que vás pelo mundo à procura de uma pessoa realmente boa.

Ele foi e encontrou muita gente. Falou com todos e, passado  algum tempo, regressou e disse ao imperador:

- Senhor, fiz o que mandaste e não encontrei uma pessoa boa. São todos egoístas e maus.

Esse vassalo, como era egoísta e mau, viu os outros com uns óculos escuros e achou que eram todos como ele.

O imperador mandou, em seguida, chamar um outro vassalo, conhecido pela sua bondade e compreensão. Disse-lhe:

- Ordeno-te que vás pelo mundo à procura de uma pessoa realmente má.

Ele obedeceu e encontrou muita gente. Falou com todos e, passado algum tempo, regressou e disse ao imperador:

- Senhor, fiz o que mandaste. Vi pessoas que por vezes não se comportam muito bem, mas não consegui encontrar uma pessoa realmente má. Todos têm um bom coração.

Este vassalo, como era bom, viu os outros com uns óculos de cores alegres e achou que todos, apesar de alguns defeitos normais em todo o ser humano, eram bons como ele.

in, Bom dia, alegria de Pedrosa Ferreira

 

Ama e faz o que quiseres; seja que te cales, cala-te por amor; seja que fales, fala por amor; seja que tu corrijas, corrige por amor; seja que tu perdoes, perdoa por amor.

 

(Santo Agostinho, In Io. Ep. tr. 7, 8)     


 

 

VENDE-SE

Vende-se terra de semeadura e arvoredo com uma área total de 776.000 m2, localizada nas Travessas, freguesia da Ribeira Seca, mais conhecida por “Ferreira da Marceneira, o coração da Ribeira Seca”, concelho de Calheta de São Jorge. Tem uma frente para o caminho / estrada regional e tem uma excepcional vista para o Pico.

Os interessados podem contactar para os Estados Unidos, n.os (408) 258-1347 ou 295417380 de São Jorge. Podem enviar a proposta por correio para: Gorretti Silveira / 3759 Marchant Court. / San Jose, CA 95127 / U.S-A.

 

BAZAR FAJÃ GRANDE

A comissão de festas do Bom Jesus da Fajã Grande pede a todos os que quiserem colaborar com prémios para o bazar podem entregá-los à Sr.ª Rosa Paiva ou à Vera Paiva. Desde já agradece a colaboração que for dada.

 

FESTA DE SÃO MATEUS

URZELINA

Dia 19 de Setembro - Eucaristia de festa às 17 horas seguida de procissão.

 

FESTA DE NOSSA SENHORA DAS DORES

FAJÃ DO OUVIDOR

Tríduo - 15, 16 e 17 de Setembro às 20 horas

Festa dia 19 de Setembro: - Eucaristia de festa às 13 horas

                                                        - Procissão às 19h00

 

 


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 449

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 819

Pensamento da Semana

 

Um anjo nunca se faz conhecer, nós só sabemos que ele esteve connosco quando ele parte. Porque deixa-nos na vida um perfume, deixa-nos na vida um desassossego.

 

Erri de Luca, in Em nome da mãe

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas