Nº 793

 

VOTOS

DE

SANTA

E

FELIZ

 

PÁSCOA!

 

 

 

Oh nova Páscoa! Oh festa do triunfo

      De Cristo glorioso

      Que nos veio salvar!

 

Oh nova Páscoa! Alegria do mundo!

      A vida nos abriu

      Suas portas de glória

 

Oh nova Páscoa! A sala do festim

      Encheu-se de convivas

      Celebrando o Senhor!

 

Oh nova Páscoa! Os batizados vêm

      Com túnicas de festa

      Às bodas do Cordeiro!

 

Oh nova Páscoa! O vencedor da morte,

      Jesus Ressuscitado

      Nos dá a vida eterna.

 

 

Liturgia das Horas

 

 

 

 

DOMINGO DE PÁSCOA

A liturgia deste domingo celebra a ressurreição e garante-nos que a vida em plenitude resulta de uma existência feita dom e serviço em favor dos irmãos. A ressurreição de Cristo é o exemplo concreto que confirma tudo isto.

A primeira leitura apresenta o exemplo de Cristo que “passou pelo mundo fazendo o bem” e que, por amor, Se deu até à morte; por isso, Deus ressuscitou-O. Os discípulos, testemunhas desta dinâmica, devem anunciar este “caminho” a todos os homens.

O Evangelho coloca-nos diante de duas atitudes face à ressurreição: a do discípulo obstinado, que se recusa a aceitá-la porque, na sua lógica, o amor total e a doação da vida nunca podem ser geradores de vida nova; e a do discípulo ideal, que ama Jesus e que, por isso, entende o seu caminho e a sua proposta (a esse não o escandaliza nem o espanta que da cruz tenha nascido a vida plena, a vida verdadeira).

A segunda leitura convida os cristãos, revestidos de Cristo pelo batismo, a continuarem a sua caminhada de vida nova até à transformação plena (que acontecerá quando, pela morte, tivermos ultrapassado a última barreira da nossa finitude).

Dehonianos

 

MEDITAR

Tu és o Caminho, Jesus,
não daqueles que se fazem com os pés, mas com a Vida inteira.
És o Caminho para a Casa do Pai, que é a nossa Casa para sempre.
A verdade, Jesus, é que nos esquecemos vezes demais
de que vivemos sempre a Caminho…
Dá-nos a sabedoria de não paralisarmos a nossa Vida em muitas coisas,
ocupações urgentes e compromissos inadiáveis
que nos roubam todo o embalo de que precisamos quando andamos a Caminho…
Dá-nos um Coração livre e corajoso.


não daquelas que se compram e vendem
e que cada um defende com unhas e dentes para provar que tem razão,
ainda que para isso tenha que violentar ou agredir.

Tu és a Verdade que se vive, não uma dessas verdades que se sabem…
A Verdade do Evangelho não é uma coisa nova para acreditar,
mas uma Boa Notícia que muda a nossa maneira de viver
e nos faz cada vez mais parecidos contigo.
Isso é que é a Verdade, não é?...


não aquela que enchemos de afazeres e complicações todos os dias,
mas o mais íntimo daquilo que o nosso Coração deseja e necessita para ser Feliz.

Tu és a própria Vida de Deus, plena de Amor e Bondade,
a comungar continuamente connosco e a derramar em nós o Espírito Santo,
que é como que o Sangue de Deus a circular em nós
e a fazer-nos viver como teus discípulos e como filhos de Deus-Pai.

Tu és a Vida, Jesus, porque desde a tua ressurreição,
aquilo a que chamamos “morte” tornou-se o definitivo chegar a Casa,
àquela que, no fundo, sabendo-o ou não, todos procuramos a Vida inteira:
o “lugar” de ser amado sem limites,
ser perdoado sem condições
e poder amar sem enganos.
Tu és a Vida, Jesus,
Tu és a Verdade, Jesus,

 

Rui Santiago cssr

 

CONTO (649)

 

O CRUCIFIXO

Um homem, numa rua estreita, olhava piedosamente para um crucifixo de madeira exposto numa montra.

Estava tão atento que, durante alguns instantes, não notou que uma criança estava a seu lado, também ela a contemplar.

Quando a viu, perguntou-lhe:

- Diz-me, meu menino, sabes o que representa esta imagem?

A criança respondeu:

- Claro que sei. É Nosso Senhor. Mataram-no, crucificando-o numa cruz.

O homem felicitou-a:

- Muito bem. Vejo que conheces a vida de Jesus.

A criança respondeu:

- Foi a minha mãe que me ensinou. Quando era muito novo, perguntei-lhe quem era aquela pessoa pregada numa cruz. E foi ela que me disse que era Jesus. E ensinou-me a rezar-lhe.

O homem respondeu:

- Estou contente com as coisas que sabes. Adeus.

O homem continuou o seu caminho. Pouco depois, sentiu que alguém corria atrás dele. Olhou para trás. Era a criança. Ao chegar junto dele, parou e disse-lhe:

- Senhor, esqueci-me de lhe dizer o mais importante: Jesus foi crucificado. Mas, três dias depois, ele ressuscitou! Está vivo!

«Salvou os outros e não conseguiu salvar-Se a Si mesmo», comentava-se junto Daquele crucificado, sem perceber nada da sua história.

Exatamente porque Ele se dispõe a amar-nos, Ele não pode salvar-se a si mesmo. Porque o que é próprio do amor é esse deixar de pensar em si. É esse abandono, é essa pobreza radical, é essa entrega, em que o outro, o outro, é colocado no centro. Nós estamos no centro do gesto de Jesus. Da sua história de amor, da sua entrega.

José Tolentino

 


INFORMAÇÕES

 

ADORAÇÃO DO SANTÍSSIMO

Ribeira Seca - quinta-feira, 20 de abril, das 18 às 19 horas.

Manadas - sexta-feira, 21 de abril, das 18 às 19 horas.

CELEBRAÇÃO NOSSA SENHORA DE FÁTIMA

No dia 18 de abril,  (terça-feira), celebração em louvor de Nossa Senhora de Fátima, na Ribeira Seca, às 19 horas com recitação do Terço, Eucaristia e procissão no interior da igreja.

 

GESTO DE SOLIDARIEDADE

Aproxima-se a entrega das declarações de IRS, e com ela uma oportunidade de um gesto solidário.

Ajude a Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários da Calheta - São Jorge com 0,5% do seu IRS, sem alterar em nada os seus impostos e sem qualquer custo.

Basta preencher 9 algarismos e colocar uma cruz no Modelo 3 da Declaração do IRS.

Ao preencher o  quadro 11 do Modelo 3, campo 1101 com o NIF 512 015 449, está a destinar a Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários da Calheta 0,5% do valor do seu imposto liquidado que pertenceria ao Estado.

Preencha a declaração e divulgue  junto dos seus familiares, amigos e colegas.

 

FESTAS DO ESPÍRITO SANTO DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DA CALHETA

A Santa Casa da Misericórdia da Calheta vai celebrar a sua festa com os irmãos e benfeitores no próximo domingo, 23 de abril.

De 16 a 22 de abril, pelas 20 horas, teremos o terço, no Lar de Idosos da Santa Casa, em louvor do Divino Espírito Santo.

No domingo a Coroação é às 11 horas e depois teremos o jantar, na Casa do Povo da Calheta para os irmãos, familiares e convidados.

Se alguém quiser contribuir com géneros ou dinheiro, pode fazê-lo entregando os donativos na Santa Casa da Misericórdia ou aos elementos da Mesa.

A Mesa agradece toda a colaboração.

 


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 793

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 819

Pensamento da Semana

 

Um anjo nunca se faz conhecer, nós só sabemos que ele esteve connosco quando ele parte. Porque deixa-nos na vida um perfume, deixa-nos na vida um desassossego.

 

Erri de Luca, in Em nome da mãe

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas