Nº 765

OS ANJOS

Por estes dias, a igreja celebrou a festa dos Anjos. Uns da guarda e outros que aparecem na Bíblia como mandados de Deus em auxílio das pessoas.

Como o padroeiro da Ribeira d’Areia, lugar pequeno e de pouca gente, o qual o Papa Francisco chamaria de periferia, tem como padroeiro São Miguel Arcanjo, um dos mandados de Deus em nosso auxílio, lembrei-me de uma pergunta que me fizeram, esta gente nova que me interpela todos os dias.

O Senhor Padre acredita em anjos?

- Sim acredito. Acredito naqueles que não têm asas e que nos acompanham todos os dias. Têm vários nomes e missões na nossa vida. Chamam-se pai e mãe, irmãos, tios e tias, amigos, vizinhos, professores, médicos, auxiliares de educação e sei lá que mais.

São os que nos amparam e animam, ajudam nas nossas dificuldades, estão prontos a dar um bom conselho ou uma palavra de reprimenda, dão-nos sorrisos e carinho. Dão-nos paz interior e estão  sempre ao nosso lado quando nos espreita o perigo.

São aqueles que não esperaram nada em troca, não são interesseiros mas dão-se com toda a bondade e sentido de serviço. Esperam sempre o melhor para nós e esse melhor é como se fosse feito a eles mesmo quando o sentem dentro do sofrimento e da tristeza.

São anjos que caminham a nosso lado, que nos acompanham sem nós darmos por isso. Vão silenciosos com o desejo de nos amparar quando caímos nas malhas do mundo e nos perigos, que constantemente nos espreitam e aliciam.

Aprecio estes anjos porque estão sempre prontos mesmo quando nos esquecemos e os magoamos. Sei que estão lá  sentados ou de pé, sempre desejando o regresso  e com o abraço do perdão e da compreensão. Não esperam a justificação porque o que importa é voltar, novamente, para a vida nova de procura de felicidade.

Os anjos da nossa vida têm estes nomes e tomam estas atitudes. São anjos alegres quando veem a nossa alegria e animam-nos nas nossas tristezas e dificuldades. Esquecem-se de si mesmos para fazer existir o que tem falta.

Estes anjos não vêm nos calendários e não são nomeados, mas conhecemos os seus nomes e temos de ser gratos por fazerem parte de nossas vidas.

Pe. Manuel António 

XXVIII DOMINGO TEMPO COMUM

A primeira leitura apresenta-nos a história de um leproso (o sírio Naamã). O episódio revela que só Jahwéh oferece ao homem a vida e a salvação, sem limites nem exceções; ao homem resta acolher o dom de Deus, reconhecê-l’O como o único salvador e manifestar-Lhe gratidão.

O Evangelho apresenta-nos um grupo de leprosos que se encontram com Jesus e que através de Jesus descobrem a misericórdia e o amor de Deus. Eles representam toda a humanidade, envolvida pela miséria e pelo sofrimento, sobre quem Deus derrama a sua bondade, o seu amor, a sua salvação. Também aqui se chama a atenção para a resposta do homem ao dom de Deus: todos os que experimentam a salvação que Deus oferece devem reconhecer o dom, acolhê-lo e manifestar a Deus a sua gratidão.

A segunda leitura define a existência cristã como identificação com Cristo. Quem acolhe o dom de Deus torna-se discípulo: identifica-se com Cristo, vive no amor e na entrega aos irmãos e chega à vida nova da ressurreição.

Dehonianos

 

MEDITAR

 

Confissão de fé do Povo de Deus

Mulheres e homens,

de muitos sangues,

porém de um só coração

e numa mesma Pátria Grande,

Te confessamos e Te amamos

como o Coração do Céu

e o Coração da Terra,

em todos os tempos adorado

por todas as culturas,

caminho em todos os caminhos dos Povos.

 

Confiamos na força e no júbilo do teu Espírito,

que nos sustenta e nos impulsa

e nos faz cantar e dançar

e nos leva pelas veredas da utopia,

apesar da dor

e contra o império da destruição.

Sabemos que vencerá os ídolos da morte,

adorados no lucro e na prepotência,

assassinos de milhões de vidas,

meninas e adultas,

em nosso continente e em todo o Terceiro Mundo.

Cremos que nos amas,

porque és o Amor.

Sabemos que nos queres sempre mais semelhantes a Ti,

Vida, Presença e Comunhão,

mulheres novas e homens novos,

na comunidade fraterna de teu Povo,

a caminho da Terra sem males,

o novo Céu e a nova Terra

que nos tens preparado como herança.

Dom Pedro Casaldáliga

 

A liturgia deste domingo mostra-nos, com exemplos concretos, como Deus tem um projeto de salvação para oferecer a todos os homens, sem exceção; reconhecer o dom de Deus, acolhê-lo com amor e gratidão, é a condição para vencer a alienação, o sofrimento, o afastamento de Deus e dos irmãos e chegar à vida plena.

Quando percebemos que a importância dos bens materiais depende do valor que nós próprios lhe damos, com certeza olharemos para eles de outra maneira, fazendo-nos sentir livres e felizes… É outra lógica, outra escala de valores, como dizia Epicuro: “Queres ser rico? Pois não te preocupes em aumentar os teus bens, mas sim em diminuir a tua cobiça.”

Grão de Mostarda

 


 

FESTAS DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA
 
FAJÃ DA RIBEIRA D’AREIA
Tríduo -  Dia 10 e 11 de outubro missa às 19:30 horas.
                   Dia 12 missa às 19h30 seguida de procissão de velas.
 
Festa - Dia 13 de outubro com missa às 12 horas seguida de procissão.
 
MANADAS - Dia 12   - Às 19:30 horas missa seguida de procissão de velas.
 
VELAS - DIA 13 - Às 20 horas missa seguida de procissão de velas
 
RIBEIRA SECA - Dia 13 com eucaristia às 19h30 seguida de procissão de velas até ao Passal.
 
FORMAÇÃO PARA CATEQUISTAS
No dia 11 de outubro, às 20 horas, no Salão Paroquial da Boa Hora, haverá uma formação para catequistas feita pelo Pe. José Cardoso Almeida, conhecedor desta realidade catequética e que vem apresentar uma nova modalidade de catequese para os últimos anos, mas que pode ser uma boa resposta para as dificuldades que temos tido nos últimos anos neste sector da nossa vida cristã.
Todos os catequistas que puderem estar presentes, mesmo com algum sacrifício, que venham ao encontro.
 
AGRADECIMENTOA Comissão Administrativa da Ribeira Seca, informa que a dádiva dos lavradores recolhida no dia 13 de maio de 2016, dia de Nª Sr.ª de Fátima, rendeu 888,10 €. Agradecemos a generosidade de todos.VENDEM-SE

 

 

Pastos contíguos com 58 alqueires, situados no caminho para o Loural, junto à Ribeira do Cedro, (Pastos dos Sabinos) com os artigos prediais nº 2375 e 2376. Aceitam-se propostas para o número de telemóvel 966733540.MISSA NO SANTUÁRIO DA CALDEIRA DE SANTO CRISTONo próximo domingo, 16 de outubro, haverá a habitual missa no Santuário da Caldeira de Santo Cristo às 16 horas. ADORAÇÃO DO SANTÍSSIMO

 

 

 

RIBEIRA SECA - Quinta feira, 13 de outubro das 18h30 às 19h30
MANADAS - Sexta feira, 14 de outubro das 17 às 18 horas, seguida de missa.

Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 765

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 819

Pensamento da Semana

 

Um anjo nunca se faz conhecer, nós só sabemos que ele esteve connosco quando ele parte. Porque deixa-nos na vida um perfume, deixa-nos na vida um desassossego.

 

Erri de Luca, in Em nome da mãe

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas