Nº 745

 

ESPÍRITO DE DEUS 
No princípio, Deus criou o céu e a terra. Ora, a terra estava vazia e vaga, as trevas cobriam o abismo e o sopro de Deus agitava a superfície das águas. (Gn 1, 1-2)

 

O Espírito de Deus escapa-nos, sem nos fugir. Por isso é vento, sopro, hálito que nos dá Vida desde o começo da Criação, e não um qualquer sopro controlado que somos capazes de gerar.

 

Procuremos ser gente leve, que não oferece resistência ao sopro de Deus, deixando que na nossa história, o Espírito Santo possa inscrever gestos criadores de um mundo novo.

 

E aconteceu naqueles dias que Jesus veio de Nazaré da Galileia e foi batizado por João no rio Jordão. E, logo que saiu da água, ele viu os céus rasgarem-se e o Espírito, como uma pomba, descer até ele e uma voz veio dos céus: “Tu és o meu filho muito amado, em ti pus todo o meu encanto.” (Mc 1, 9-11)

 

O Espírito de Deus escapa-nos, sem nos fugir. Por isso é como uma pomba que rasga os céus e nos desperta para a escuta da voz de Deus, e não como uma rola aprisionada numa gaiola.

 

Procuremos ser gente cuja vida ganha asas para anunciar a Esperança da Boa Notícia de novos céus e nova terra inaugurados na vida de Jesus.

 

Disse Jesus à samaritana: “Aquele que bebe da água deste poço terá sede novamente, mas quem beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede. Pois a água que eu lhe der tornar-se-á nele fonte de água viva a jorrar para a vida eterna.” (Jo 4, 13-14) 

 

O Espírito de Deus escapa-nos, sem nos fugir. Por isso é como água em torrente, água em movimento, água viva que irrompe caminhos, e não como água parada que conseguimos conter.

 

Procuremos ser gente em quem o Espírito se torna fonte de água viva para matar as tantas sedes de justiça, de paz e alegria.

 

Uma vez à mesa com eles, Jesus tomou o pão, abençoou-o, partiu-o e deu-lhes. Então os seus olhos abriram-se e reconheceram-no. Ele, porém, desapareceu da vista deles. Então disseram um para o outro: “Não nos ardia o coração como um fogo, quando ele nos falava pelo caminho e nos explicava as Escrituras?” (Lc 24, 30-32)

 

O Espírito de Deus escapa-nos, mas dele não conseguimos escapar. Por isso é como fogo indomável, vivo e ativo, que nos consome o coração e nos conduz a fazer memória da presença de Jesus connosco, e não como chama de uma vela que facilmente se apaga.

 

Procuremos ser gente que se deixa inflamar pelo fogo do Espírito de Deus, que nos consome e nos impele no cuidado fraterno e na atenção amorosa aos irmãos.

 

 Daniel Ferreira

 

 
DOMINGO DE PENTECOSTES
O segredo de Deus

 

Alguém veio dizer-me que o Espírito Santo é em nós, o que o açúcar é no chá. Acontece algumas vezes que não achamos bom o chá. Descobrimos então a causa disso quando se chega ao fundo da chávena: era o açúcar. Havia açúcar lá, mas estava todo no fundo. Teria sido necessário mexer. Talvez o que esteja a faltar à nossa vida também tenha ficado no fundo. A nossa vida talvez não tenha o sabor esperado porque não temos a coragem de ir ao fundo das coisas. Fazemos caretas como ao tomar o chá sem açúcar. Precisamos de fazer o esforço de mexer a vida, de tocar nos segredos de Deus em nós, para que o Seu Espírito possa adoçar o todo que somos.

 

Assim o Espírito Santo é este segredo de Deus em nós. O Espírito está aí mas é preciso mexer.

 

O Patriarca Atenágoras escreveu que sem o Espírito Santo, Deus fica longe; Cristo permanece no passado; o Evangelho é letra morta, a Igreja é uma simples organização; a autoridade é um poder; o culto, uma velharia. Mas, no Espírito, o cosmos é enobrecido; Cristo torna-se presente; o Evangelho faz-se vida; a Igreja realiza a comunhão…

 

É preciso mexer o que Deus pôs dentro de nós.
David Quintal Vieira, scj
 
MEDITAR
 

 

SENÃO ISTO
 

 

"Deus da Vida, da minha Vida também,
meu Senhor e meu Dono, meu Amor…
Deus que me abraças e envolves
com o Corpo feito de Vento da Ruah,
Espírito Santo de tantos Nomes, 
Corpo feito de Água, Corpo feito de Fogo, Corpo feito de Ternura,
Corpo feito de tudo o que possa envolver cada recanto meu
e tomar a forma do meu corpo
para me animar da Vitalidade do Seu…

 

 

 

Deus que não me deixas.
Nunca acabarei de perceber o Teu cuidado,
o Teu Amor, a Tua Graça. 

 

 

 

És grande: confundes-me!
És bom: surpreendes-me.
És Deus: salvas-me.

 

 

 

Meu Senhor e meu Dono,
Pai do Messias galileu que Te chamava
Abba
e me chamou “amigo” e “irmão",
de dentro da Tua Ruah,
Esta que me enviaste agora como Anjo da Consolação,
não Te peço senão isto: ajuda-me a ser parecido com Jesus."

 

Indje
 
CONTO (604)
 
O SALVADOR
Era uma vez uma menina órfã que vivia com a avó num segundo andar. Uma noite, houve fogo e a avó morreu. Os vizinhos chamaram os bombeiros. Entretanto, viram a menina na janela do primeiro andar a gritar por socorro.
De repente, apareceu um homem com uma escada. Subiu à janela, cercada de chamas, agarrou na menina, desceu com ela ao colo, entregou-a a uma vizinha e desapareceu.
Como não tinha parentes vivos, fez-se uma reunião para ver quem ficaria com a menina.
Apresentaram-se vários pretendentes à adoção: Uma professora, um agricultor, um rico comerciante. Entretanto, a criança mantinha-se calada. O presidente da assembleia perguntou:
- Mais alguém quer falar?
Do fundo da sala, um homem, com queimaduras nas mãos, avançou e estendeu os braços para a criança. A multidão susteve a respiração. A menina exclamou:
- Este foi o homem que me salvou!
E com um salto, lançou-se-lhe ao pescoço.
O presidente declarou:
- A sessão está suspensa.
In Tutti Frutti  de Pedrosa Ferreira

 

Vem, ó Espírito Santo,
E da tua luz celeste
Soltando raios piedosos
Nossos ânimos reveste.
 
Pai carinhoso dos pobres,
Distribuidor da riqueza,
Vem, ó luz dos corações,
Amparar a natureza.
 
Vem, Consolador supremo,
Das almas hóspede amável
Suavíssimo refrigério
Do mortal insaciável.
 
És no trabalho descanso,
Refresco na calma ardente;
És no pranto doce alívio
De ânimo penitente.
 
Suave origem do bem,
Ó fonte da luz divina
Enche nossos corações,
Nossas almas ilumina.
 
Sem o teu celeste influxo,
No mortal nada há perfeito;
A tudo quanto é nocivo
Está o homem sujeito.
 
Hino da Liturgia das Horas

 

INFORMAÇÕES
 
MUSEU FRANCISCO LACERDA

 

Inauguração da exposição Imagem Peregrina 1948-1993, dia 18 de maio 2016, Dia Internacional dos Museus, pelas 19h30, na sala de exposições temporárias deste museu.

 

 

 

BISPOS CONSAGRAM TODAS DIOCESES A Nª Sr.ª de FÁTIMA

 

Os bispos católicos de Portugal consagraram a 13 de maio em Fátima as dioceses do país ao “ao Imaculado Coração de Maria” e rezaram por uma “sociedade justa e solidária”.

 

A iniciativa, assinalou o encerramento da visita da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima às comunidades católicas do país, com mais de 22 mil quilómetros percorridos de norte a sul de Portugal, para além das ilhas.

 

“Animados pela vossa promessa, queremos hoje renovar, diante da vossa imagem, a consagração das nossas dioceses ao vosso Coração Imaculado, tal como o fizeram, pela primeira vez há 85 anos, neste mesmo dia, os bispos portugueses”, disse o presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, D. Manuel Clemente.

 

A consagração das Dioceses de Portugal aconteceu antes da procissão do Adeus, evocando a “presença protetora” da Virgem Maria, em particular para as famílias, nas suas dificuldades.

 

Os bispos rezaram ainda pelos “mais frágeis” da sociedade e recordaram em particular “os pobres e excluídos”, bem como “as vítimas de todas as formas de violência”.

 

OC (Adaptado)

 

 

Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 745

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 827

Pensamento da Semana

Dá-nos um coração claro que veja o céu aberto
e o mundo como os olhos de uma criança,
olhos de confiança e de descoberta
que nos salvem dos hábitos.

 

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas