Nº 721

 

Advento: ABC da Escola da Vida
Estamos a iniciar mais um ano novo, ano litúrgico.

 

São, assim, distintos, os calendários que regulam a nossa vida: há o calendário civil, que começa em janeiro; há o calendário escolar, que começo em setembro. Começa também em setembro o calendário político e, de certo modo, o calendário laboral, terminadas as férias de verão.

 

Agora, em finais de novembro, iniciamos um novo calendário litúrgico.

 

Este ano compreende também doze meses, no entanto não está dividido em quatro estações, mas em tempos de diferente duração. Neste calendário não manda o clima, nem se divide em solstícios e equinócios. No ano litúrgico manda a história das relações de Deus com os homens. O seu auge é a Páscoa ou o Tríduo Pascal com a celebração da morte e ressurreição do Senhor.

 

Outro grande momento é o Natal, em que Deus, depois de Se fazer anunciar, monta a Sua tenda entre nós. Finalmente, como coroação da Páscoa, aparece a grande festa de Pentecostes como dom de Deus para a Igreja de todos os tempos.

 

O ano litúrgico é a grande escola de vida. No santuário do tempo, somos conduzidos para a eternidade. Nesta escola temos Cristo como Mestre e Senhor da história. O livro inspirador é a Palavra de Deus. Os sacramentos são os exercícios ou as etapas de progressão. O nosso alimento é a Eucaristia e a nossa força a oração. A comunidade é a nossa turma. O amor é a nossa farda ou distintivo. A Virgem Maria e os santos são os nossos tutores. E o trabalho de casa é a nossa santificação, a evangelização e a caridade para com os pobres nossos irmãos. Nesta escola de vida é preciso empenho para que não se repita em vão mais um ano, mas ao contrário seja sinal de avanço para a eternidade.

 

A primeira série de lições deste novo ano litúrgico constitui o Advento, porque também no ABC desta escola se começa com a letra A. É tempo de introdução: Vem, Senhor Jesus! Que o Mestre nos encontre preparados, atentos e dispostos a aprender com Ele.

 

Neste regresso à escola há uma palavra de ordem: Canta e caminha! É uma expressão de Santo Agostinho que nos indica como viver este Advento.

 

 David Vieira, scj
 I DOMINGO DO ADVENTO
Erguer-se
Começamos um novo ano litúrgico, com o tempo do Advento. É um convite à preparação para o Natal, dando tempo e atenção a Deus. A palavra de ordem é: Erguei-vos e levantai a cabeça, porque Deus está próximo. Esta é a atitude própria de uma sentinela.

 

Um bom pároco observou que todos os dias, das duas às três horas da tarde, no silêncio da sua Igreja, vinha um soldado para a frente do altar e lá ficava imóvel, calado e em sentido. Um dia, perguntou-lhe:

 

- O que fazes todos os dias aqui, assim parado? Não tens nada mais para fazer?

 

- Uma hora de sentinela para o meu Deus! - respondeu com franqueza o soldado - Todos os grandes deste mundo têm guardas... e o Rei dos Reis não terá nenhum? Eu quero fazer de sentinela e sinto-me orgulhoso a ponto de não me cansar.

 

Erguei-vos que vem o Senhor!

 

Quando um convidado aparece ao fundo de uma sala, toda a gente se levanta para o cumprimentar e em sinal de respeito, por ele e por si. A posição vertical é típica do homem, exprime a sua dignidade, marcando a diferença entre todos os outros seres vivos.

 

Neste tempo, sabendo que Deus está próximo, levantemo-nos para o saudar, façamos uma guarda de honra. É preciso marcar a diferença.

 

Pe. José David Quintal Vieira, scj
 
MEDITAR
 
A COMEÇAR POR MIM
Quantos milagres realizamos pelas atitudes de humanidade.
Na família, um abraço de um pai ou de uma mãe mudaram o rumo da vida do filho.
Na escola, quantas transformações surpreendentes porque um professor usou de tolerância ante um ato precipitado de um aluno.
No hospital, o encargo de cuidar dos doentes e que leva a suavizar a dor.
Em qualquer lugar, o estar atento à vida, aos acontecimentos, aos sinais de sofrimento do próximo e que desperta o nosso coração para o amor.
São os gestos de acolhimento, ternura, compreensão, tolerância, perdão… que ficam a germinar nos corações onde caíram.
As pessoas, seja qual for a sua idade, vão-se transformando para melhor quando sentem que são amadas.
O tempo é de frio, mas o Natal, humanamente, é mais quente pela atenção e cuidado aos problemas dos outros: às suas tristezas, às doenças, às suas carências, os que vivem sós.
É preciso ter a vontade e a liberdade de acolher o dom de Jesus, deixar que ele nos transforme o coração e se faça vida nos nossos gestos e palavras.
Um Natal apenas de presentes... de enfeites e músicas… de festas, comes e bebes... ou um Natal cristão?
O Natal será realmente cristão, se Jesus Cristo tiver lugar em nosso coração. Caso contrário, a sua vinda será inútil.
Hélio Domingues
 
CONTO (581)
 
UM SORRISO AO AMANHECER
Raul Follereau, amigo dos leprosos, conta que na leprosaria um doente todos os dias, ao amanhecer, se arrastava para junto do muro e olhava para o exterior.
Isto todos os dias. Curioso, Follereau foi ver. Do outro lado do muro todos os dias aparecia uma senhora, idosa e enrugada e com um olhar de doçura. A mulher não falava. Dirigia apenas uma mensagem silenciosa. O sorriso. O rosto do homem iluminava-se e respondia com outro sorriso. O leproso, alimentado com aquele sorriso, podia suportar outro dia de dor solitário.
Follereau perguntou-lhe quem era essa mulher. O leproso respondeu:
- É a minha mulher. Antes de vir para aqui, ela cobria-me toda a cara com uma pomada para me curar, exceto num pequeno espaço, o suficiente para colocar os lábios e me dar um beijo. Depois fez todos os esforços para eu não sair de casa e ficar junto dela. Mas foi inútil, pois só aqui na leprosaria eu poderia ser curado da minha doença. Trouxeram-me para aqui e ela veio comigo. Não a deixaram entrar. Por isso, vem todas as manhãs ver-me ao longe. Do outro lado do muro. Não diz nada. Apenas sorri para mim durante alguns momentos. Quando cada dia volto e a vejo, sinto-me vivo. Sei que alguém me ama muito. Só ela me dá gosto de continuar vivo.
 In Alegre Manhã de Pedrosa Ferreira
 

 

A Partilha é o segredo da abundância. As coisas importantes da vida, são aquelas que se multiplicam quando a gente as divide.

Rui Santiago cssr


 

INFORMAÇÕES
 
EUCARISTIA NA CALDEIRA DE SANTO CRISTO
Como o Jubileu Extraordinário da Misericórdia tem início no dia 8 de dezembro, nesse dia haverá Eucaristia no Santuário da Caldeira de Santo Cristo pelas 15 horas.

 

 
FESTA DE SANTA BÁRBARA
TRÍDUO - 2 e 3 de dezembro - Eucaristia às 19 horas.
                    4 de Dezembro - Confissões às 19 horas seguidas de Eucaristia.
 
FESTA dia 6 de dezembro - Eucaristia de festa às 15 horas seguida                                                      de Procissão e Jantar

 


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 721

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 819

Pensamento da Semana

 

Um anjo nunca se faz conhecer, nós só sabemos que ele esteve connosco quando ele parte. Porque deixa-nos na vida um perfume, deixa-nos na vida um desassossego.

 

Erri de Luca, in Em nome da mãe

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas