Nº 715

DAR O QUE TEMOS É POUCO

   Quem apenas dá o que tem dá sempre pouco. Cada um de nós é muito mais do que aquilo que possui. Assim, mais do que dar o que temos, devemos dar o que somos.

Quem dá o que é irradia o bem da sua existência, semeia-se enquanto bondade… faz-se mais e melhor.

Há quem tenha tudo e não seja nada. Julgando que o seu valor está no que possui, exibe os seus bens como se fossem condecorações... desprezando não só o que é, mas, e ainda mais importante, o que poderia ser.

Nunca é bom depender do que não depende de nós.

Hoje confundem-se desejos com necessidades. Na verdade, não são sequer comparáveis, na medida em que os desejos buscam uma satisfação inalcançável. Pois assim que se sacia um desejo, logo outro, maior, toma o seu lugar. São vontades estranhas à nossa paz e capazes de alimentar contra nós uma guerra sem fim.

Vivendo com o essencial, sobrará o suficiente para atender às privações dos outros. Mas, perguntarão alguns, não se deverá poupar para o que possamos precisar amanhã? Não. O amanhã trará mais e novas necessidades.

Só quem confia se dá, dando tudo, porque a sua esperança é maior do que os seus medos. Só quem acredita constrói o amanhã como um tempo melhor. Fazendo do seu presente um presente na vida dos outros.

Alguns dão pouco do muito que têm e, ainda assim, esperam que tudo lhes seja retribuído, de uma forma qualquer... um sorriso, um obrigado, ou até uma lembrança para muito tempo. Mas quem espera algo da esmola que dá, está a trocar, não a dar.

Os verdadeiros sentimentos não se compram nem se trocam. Dão-se e… aceitam-se.

Outros dão o pouco que têm. Confiam… neles próprios e nos outros (cada um de nós), acreditam mesmo que somos bons e que os ajudaremos quando precisarem. Por isso dão, por isso se dão… por isso são bons.

É preciso uma coragem enorme para pedir, para receber, para aceitar e… para viver assim… confiando na vida.

Não é fácil dar-se. Por vezes, dói. Muito.

É sempre bom dar, melhor ainda se for antes que alguém o peça. Afinal, queiramos ou não, chegará o dia em que tudo quanto temos terá de ser dado.

O que sou e posso ser depende apenas das minhas ações.

Existe um infinito de sonhos que se estende diante de mim…  Essa é a minha missão. Dar ao mundo o melhor que sou.

 

José Luís Nunes Martins

 

XXIX DOMINGO DO TEMPO COMUM

O primeiro e o último

Isto faz-me lembrar três exemplos:

Uma professora bibliófila ensinou-me que são as letras grandes que dão o nome aos livros mas são as letras pequenas que fazem os livros. Se procurarmos só as letras grandes, seremos livros apenas com título mas vazios por dentro.

Mais vale um livro sem título do que um título sem livro, ou seja, sem conteúdo.

Em segundo lugar, o Pe. António Vieira alertava, no seu tempo: "Antigamente os ministros estavam às portas da cidade para servir o povo. Hoje as cidades estão às portas dos ministros para servi-los." E todos nós somos ministros ou servidores.

Finalmente, conheci um Padre italiano que se chamava Primo, Primeiro de nome e primeiro de facto. Era sempre o primeiro em tudo. Mas na verdade era o último a perder a paciência, o último a ter medo, o último a escapar-se. Os seus amigos eram os primeiros a protestar, os primeiros a fugir... E ele, apesar de Primo, foi toda a vida o último.

Pe. José David Quintal Vieira, scj

 

MEDITAR

 

SENHOR, ABRE OS MEUS SENTIDOS

Senhor, abre os meus lábios,

e a minha boca anunciará o Teu louvor.

 

Senhor, abre os meus olhos,

e verei a Tua obra e as necessidades das pessoas.

 

Senhor, abre os meus ouvidos,

e escutarei a Tua palavra e o clamor dos pobres.

 

Senhor, abre o meu nariz,

e distinguirei o que está vivo do que está morto.

 

Senhor, abre o meu entendimento,

e Te escutarei e compreenderei a Tua palavra.

 

Senhor, abre o meu coração,

e Te darei espaço para Te procurar

e encontrar em todas as coisas.

 

Senhor, abre as minhas mãos,

e Te receberei e Te entregarei

à humanidade com alegria.

iMissio

 

CONTO (575)

 

CONSERVAR O GARFO

Era uma vez uma mulher a quem diagnosticaram uma doença grave, dando-lhe apenas um mês de vida.

Enquanto punha todas as suas coisas em «ordem», chamou o padre para lhe comunicar os seus últimos desejos.

Disse que cânticos gostaria que fossem cantados no seu funeral, que leituras bíblicas se deveriam ler e como queria ser sepultada.

Disse-lhe:

- Desejo que me coloquem nas mãos frias o Novo Testamento, pois foi a palavra de Jesus que me iluminou durante a vida.

Quando o sacerdote estava para se ir embora, chamou-o e disse ainda:

- Padre, desejo uma outra coisa.

O sacerdote perguntou:

- O que deseja?

- É algo muito especial. Quero ser enterrada com um garfo na mão direita.

O sacerdote ficou surpreendido com tal pedido.

Então a mulher explicou:

- Durante os anos em que participei em refeições de festa, lembro-me que, quando os pratos iam sendo tirados da mesa, alguém se inclinava e dizia baixinho: «Conserve o garfo». Diziam isso porque o melhor estava para vir.

Vinham no fim deliciosos bolos que se comiam com o garfo. Padre, sei que depois da minha morte o melhor está para vir: é o banquete que Deus tem reservado para todos nós, os seus filhos muito amados.

O sacerdote comoveu-se ao ver a fé desta mulher. Despediu-se dela, com a promessa que cumpriria todos os seus desejos.

Durante o funeral, as pessoas interrogavam-se por que é que ela tinha um garfo na mão. O sacerdote, na homilia, contou o que ela tinha dito, dias antes, e acrescentou:

- Esta mulher morreu com a esperança de que o melhor estava para vir. Tinha a certeza de que Deus tem preparado para os seus eleitos o melhor que possamos imaginar. Felizes os convidados para este banquete final.

 

 In  CONTOS+MENSAGENS  de Pedrosa Ferreira

 

 

O Evangelho propõe-nos uma inversão de valores: São os discípulos a pedir que Deus faça a sua vontade em vez de procurarem fazer a vontade de Deus. É Jesus a dizer que só é grande quem for servo; só é o primeiro quem se colocar em último lugar, servindo em vez se procurar ser servido.

Afinal, o melhor de mim não é para mim.

 

Nascemos para manifestar a glória do Universo que está dentro de nós. Não está apenas num de nós, está em todos nós. E conforme deixamos a nossa própria luz brilhar, inconscientemente damos, às outras pessoas, oportunidade para fazerem o mesmo. E conforme nos libertamos do nosso medo, a nossa presença, automaticamente, liberta os outros.

Nelson Mandela

 

 


INFORMAÇÕES

 

ADORAÇÃO DO SANTÍSSIMO

Manadas - quinta feira, 22 de outubro das 17 às 18 horas

Ribeira Seca - sexta feira, 23 de outubro das 18 às 19 horas

VISITA AOS DOENTES

Ribeira Seca - terça feira, 20 de outubro a partir das 10h00

Manadas - quinta feira, 22 de outubro a partir da 15h00

 

 

CLÍNICA DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DA CALHETA

A Instituição informa que estão nesta Clinica os seguintes  médicos: Dr. Brasil Toste, Otorrinolaringologista, no dia 18 de outubro; a Dr.ª Maria Graça Almeida,  Ginecologista-Obstetra,  no dia 5 de novembro; a Dr.ª Paula Pires,  Neurologista e Neuropediatra, nos dias 16 e 17 de novembro; a Dr.ª Renata Gomes, Cardiologista,  em dezembro de 2015;  Dr.ª Alexandra Dias, Pediatra em dezembro de 2015(data ainda por estabelecer). Os eventuais interessados podem fazer as suas marcações para os números 295 460 110 / 295460111

MUDANÇA DE HORA

No próximo fim de semana muda a hora. À uma hora da manhã de sábado para domingo os relógios devem ser atrasados em sessenta minutos.

 

 


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 715

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 827

Pensamento da Semana

Dá-nos um coração claro que veja o céu aberto
e o mundo como os olhos de uma criança,
olhos de confiança e de descoberta
que nos salvem dos hábitos.

 

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas