Nº 711

OS MILAGRES NÃO SE FAZEM NOTAR

                Quando se faz um bem, importa cuidar das aparências, revelando apenas o essencial. O ideal atinge-se quando tudo parece fruto do acaso! O mal procura sempre criar grandezas pomposas em torno dos seus gestos. A vaidade é um sinal claro de um mal que pretende disfarçar-se.

                O amor e a inteligência exigem delicadeza. Só através dela se atingem as profundidades.

Mesmo quando são grandes os milagres passam despercebidos. Há gente que não sabe que é sagrado o chão que pisa, que não se dá conta de que o fundamento da sua existência não é o que parece…

                A força bruta pode muito pouco. Os milagres parecem muitas vezes insignificâncias. Quem não viu já coisas pequenas revelarem-se enormes e coisas grandiosas sem qualquer valor?

                Não se trata de um disfarce, uma fraude ou um engano. Mas apenas o bem cuidando de não se manifestar de forma evidente como seu autor.

                Importa aprender a olhar. Distinguir os aspetos subtis e delicados de cada coisa, reconhecer as relações, as diferenças e as harmonias.

                É preciso que o coração aprenda a estar atento.

                Os milagres não são tão raros quanto se julga. As árvores crescem e as flores brotam todos os dias, sempre sem qualquer alvoroço. É a beleza pura, apenas.

                Todos os dias, há gente a nascer e gente a morrer... enquanto tantos outros julgam que no mundo continua tudo igual... a criação é uma constante do tempo.

                O que começa por ser uma mera suspeita, pode revelar-se, quando se é capaz de ver até ao fundo, um milagre. Uma espécie de enigma que se aprende a desvendar e, depois, a admirar.

                O bem está no coração e nas mãos dos que sabem sonhar, viver e amar. Longe das aparências enganadoras e vaidosas. A liberdade humana tem os olhos bem abertos e não tem asas nem rodas nos pés. Apenas a sua vontade de criar, de dar ao mundo um mundo melhor.

                Fazer acontecer um milagre é possível a qualquer um de nós. Alimentar um faminto, acolher com um olhar aquele que é invisível aos outros, sorrir quando se chora, dar a mão a quem sofre... acolher no íntimo dos nossos silêncios aqueles que mais precisam do nosso amor.

                Nada acontece ao acaso. Não há fado nem sorte.

                Frágil é quem não sabe o que quer.

                A sabedoria conhece e usa a dose certa em cada gesto. A perfeição é sempre simples, mínima e subtil. Ainda assim, apesar de toda a sua divina delicadeza, há milagres

que se repetem até alcançarem o seu propósito!

 

José Luís Nunes Martins (Adaptado)

 

XXV DOMINGO DO TEMPO COMUM

Servo dos servos

- Pensa nos girassóis. Inclinam-se para o sol mas se vires alguns demasiado inclinados significa que estão mortos! Estás a servir, mas não és criado. Servir é uma arte superior. Deus é o primeiro servidor...

Se alguém quiser ser o primeiro, seja o último e o servo de todos. Talvez para evitar dúvidas, os Evangelhos referem-se nada mais nada menos que seis vezes a estas palavras do Mestre.

Na comunidade cristã, quem ocupa o primeiro lugar deve prescindir de todos os sinais de grandeza. A comunidade não é o lugar apropriado para alcançar posições, para dominar sobre os outros, para se impor. É o lugar onde cada um, conforme os dons recebidos de Deus, celebra a própria grandeza servindo os irmãos.

Não há lugares altos ou baixos, mas a justa dimensão, que nos define diante de Deus e dos homens. A importância do lugar está em ocupá-lo bem. Não é o lugar que me eleva a mim, mas eu que elevo o lugar. O meu lugar é Cristo. Onde Ele estiver, quero estar também.

Pe. José David Quintal Vieira, scj

 

MEDITAR

 

Louvado sejas, ó meu Senhor,

pelo irmão Fogo,

pelo qual alumias a noite:

e ele é belo, e jucundo, e robusto e forte.

 

pela nossa irmã a mãe Terra,

que nos sustenta e governa,

e produz variados frutos,

com flores coloridas, e verduras.

 

por aqueles que perdoam por teu amor

e suportam enfermidades e tribulações.

Bem-aventurados aqueles

que as suportam em paz,

pois por ti, Altíssimo, serão coroados.

 

por nossa irmã a Morte corporal,

à qual nenhum homem vivente pode escapar.

Ai daqueles que morrem em pecado mortal!

Bem-aventurados aqueles

que cumpriram a tua santíssima vontade,

porque a segunda morte não lhes fará mal.

 

e dai-Lhe graças

e servi-O com grande humildade.

 

Cântico do Irmão Sol ou Cântico das Criaturas

 

CONTO (571)

 

O AUTOCARRO E O COMBOIO

Na praça da estação de caminho-de-ferro, um autocarro esperava os viajantes que deviam chegar no comboio das 9 da manhã. Este chegou com pontualidade e, durante os minutos em que o comboio aguardava que lhe dessem o sinal de partida e o autocarro ia recebendo os passageiros e as bagagens, os dois iniciaram esta conversa:

- Querido autocarro, tu, sim, fazes o que te dá na gana; podes circular com plena liberdade; vais por onde te apetece; se te apetece virar à esquerda ou à direita, nada nem ninguém te impede; tu és realmente livre. Tens muita sorte! Eu, pelo contrário, estou sempre preso a estas vias de ferro; que desgraça a minha se tentasse sair destes carris que marcam inexoravelmente o meu caminho!

- Tens muita razão, velho amigo comboio! Eu posso escolher a minha rota e mudá-la quantas vezes quiser; posso descobrir lugares novos, horizontes insuspeitos; inclusive, se me apetecer, paro numa pradaria verde e descanso um pouco enquanto os meus ocupantes almoçam. É verdade, mas nem tudo é tão simples. Sabes a quantidade de perigos a que estou exposto em cada instante? Devo estar muito atento em cada passo que dou; os outros veículos passam por mim por todos os lados. Ai de mim se me distraio um segundo! E se saio da estrada? E se me aproximo demasiado da valeta? E se me aparece um automóvel de frente? A catástrofe pode ser monumental.

- É verdade, não tinha pensado nisso. A minha submissão à via reduz a minha liberdade, mas aumenta a minha segurança. Posso circular quilómetros e quilómetros com os olhos fechados, por assim dizer, e posso alcançar velocidades de sonho… sempre que não saio dos meus carris. Não sou dono da minha direção; o meu itinerário é marcado pelos outros, e as mudanças de agulhas solucionam-me as encruzilhadas que me poderiam fazer hesitar.

Sim, velho comboio. Acontece-nos como às pessoas, sabes? Quanto mais liberdade, mais riscos, maiores perigos, mais responsabilidade face às decisões. É muito bonito ser livre, mas também é muito difícil . O preço a pagar pela liberdade é altíssimo, mas vale a pena. O diálogo foi interrompido pelo apito do chefe da estação que dava o sinal de partida ao expresso Lisboa-Porto. Ao mesmo tempo, alguém dentro do autocarro perguntava em voz alta: Por onde vamos passar?

 

In  De valor em valor… voamos mais alto!

 

 

Louvai e bendizei o meu Senhor,

Louvado sejas, ó meu Senhor,

Louvado sejas, ó meu Senhor,

Louvado sejas, ó meu Senhor,

No filme La Vita è Bella há uma cena em que Guido presta provas para empregado de mesa. Para mostrar que percebe de cortesia, inclina o tronco a 50, 90º e mais. É repreendido pelo tio:

“Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já têm a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.”

 

 Fernando Teixeira de Andrade

 


INFORMAÇÕES

 

RECEITA - 1.305,00€DO BAZAR DA FESTA DA RIBEIRA DO NABO

 

FESTA DE SANTA RITA

MANADAS

Dia 27 de setembro - Eucaristia de festa às 16 horas  seguida de procissão.

 

FESTA DO BOM JESUS

FAJÃ GRANDE

Tríduo: 23, 24 e 25 de setembro às 20 horas.

Festa dia 27 de setembro:

                               - Eucaristia de festa às 16 horas seguida de procissão.

 


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 711

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 819

Pensamento da Semana

 

Um anjo nunca se faz conhecer, nós só sabemos que ele esteve connosco quando ele parte. Porque deixa-nos na vida um perfume, deixa-nos na vida um desassossego.

 

Erri de Luca, in Em nome da mãe

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas