Nº 694

 

DOMINGO DE PENTECOSTES: “Não vos deixarei órfãos” (Jo 14, 18)

Na sua origem, a festa de Pentecostes era conhecida como a “festa das semanas” por ter lugar sete semanas após o início das colheitas dos primeiros frutos (Lv 23 15-21; Dt 16, 9-12). Teria um sentido eucarístico, de ação de graças pela colheita – logo, uma festa agrícola. É também a celebração da memória da entrega do dom da Lei no Sinai, da Antiga Aliança.

 

A Páscoa era o início das colheitas do primeiro trigo, do pão sem fermento para não o misturar com o do ano anterior.

 

O Pentecostes é a festa do pão com fermento, a plenitude da colheita que se oferece a Deus com tempo e calma de forma a saborear e celebrar a vida.

 

Assim, é a festa do trigo já colhido e do pão abundante repartido e partilhado com os mais pobres.

 

Com Jesus de Nazaré, o Pentecostes surge como uma epifania plena e definitiva do amor de Deus pelo e no ressuscitado que pelo e no ressuscitado abraça toda a humanidade, de todos os tempos, lugares e condições.

 

Para os cristãos a festa do Pentecostes marca a plenitude da Nova Aliança com a descida do Espírito Santo.

 

Lucas, ao colocar a descida do Espírito Santo sobre os discípulos reunidos em oração na Festa das Semanas, quer afirmar que o Espírito de Deus torna-se a nova Lei para os discípulos de Jesus de Nazaré.

 

O Espírito Santo substitui a antiga Lei. A Lei, antes escrita em pedra, é agora inscrita no mais íntimo de cada um e de cada uma.

 

É a vida de Deus que se comunica ao mais profundo e íntimo, fecundando os terrenos outrora inférteis e sem vida. 

 

Os discípulos estavam reunidos em oração. Só quem se encontra intimamente com Deus na oração é capaz de deixar cair as barreiras; abrir, escancarar as portas a Cristo; preencher os abismos do mundo e os abismos do coração para amar com o mesmo amor de Deus.

 

O Espírito ensina e recorda.

 

A Igreja sabe que nasce da Ressurreição de Cristo, mas encontra a sua confirmação com o sopro do Espírito Santo. No Espírito Santo, nós e Cristo vivemos juntos.

 

Nuno Monteiro  (adaptado)

 

 

DOMINGO DE PENTECOSTES

O poiso do Espírito

No encontro da manhã, perguntei aos alunos mais novos se já tinham ouvido falar do Espírito Santo. Toda a gente levantou o braço em resposta afirmativa. Pedi, então que fossem dizendo algumas coisas que soubessem sobre Ele mas ninguém se lembrava. Depois de muita insistência, um miúdo prontificou-se para falar:

- Só sei que o Espírito Santo está aqui - E apontou para o seu ombro esquerdo.

De facto, ao benzer-se, todos dizem esse nome tocando no lado esquerdo. Eu estava à espera de todas as respostas menos daquela. Foi uma boa ocasião para juntos meditarmos que afinal nós trazemos em nós o Espírito Santo, qual carga aos ombros.

À tarde, referi esta experiência aos alunos mais velhos e um deles acrescentou, com simplicidade, perante o sorriso dos colegas:

- Ah! É por isso que, quando fui crismado, o meu padrinho pôs a sua mão sobre o meu ombro e fez força para dizer que o Espírito Santo estava a pousar aí.

A partir de então todos compreenderam melhor o significado daquilo que rezavam: O Espírito do Senhor repousa em mim.

Que neste Pentecostes eu descubra que o Espírito está sobre mim para carregá-lo para onde quer que eu vá.

Pe. José David Quintal Vieira, scj

 

MEDITAR

Felizes os Perseguidos por Causa da Justiça

Felizes os que têm a capacidade de fazer rolar a pedra...
Os que levam gente atrás por terem feito diferente...
Os que acreditam na ressurreição e no nascer de um novo dia...


Porque esses têm o Reino de Deus!

Felizes os que transformam Justiça em Boa Notícia...
Os que se alegram com a justiça e se deixam tocar pelo injusto...
Os que caminham ultrapassando o medo...


Porque esses têm o Reino de Deus!

Felizes os que não alimentam mentiras...
Os que não enganam o coração ou contribuem para o mal dos dias...
Os que procuram a verdade...


Porque esses têm o Reino de Deus!

Felizes os que se sabendo fracos, procuram o melhor de si mesmos...
Os que agem em liberdade e responsabilidade para com todos...
Os que fazem o tempo cumprir-se HOJE MESMO...


Porque esses têm o Reino de Deus!

Felizes os perseguidos, os insistentes, os não desistentes, os que procuram... por causa da justiça!


Felizes os que se fazem felizes...
E levam uns quantos mais com eles...


Acredito... esse é o Reino!

Ana Ascensão

 

CONTO (554)

 

O SALVADOR

Era uma vez uma menina órfã que vivia com a avó num segundo andar. Uma noite, houve fogo e a avó morreu. Os vizinhos chamaram os bombeiros. Entretanto, viram a menina na janela do primeiro andar a gritar por socorro.

De repente, apareceu um homem com uma escada. Subiu à janela, cercada de chamas, agarrou na menina, desceu com ela ao colo, entregou-a a uma vizinha e desapareceu.

Como não tinha parentes vivos, fez-se uma reunião para ver quem ficaria com a menina.

Apresentaram-se vários pretendentes à adoção: Uma professora, um agricultor, um rico comerciante. Entretanto, a criança mantinha-se calada. O presidente da assembleia perguntou:

- Mais alguém quer falar?

Do fundo da sala, um homem, com queimaduras nas mãos, avançou e estendeu os braços para a criança. A multidão susteve a respiração. A menina exclamou:

- Este foi o homem que me salvou!

E com um salto, lançou-se-lhe ao pescoço.

O presidente declarou:

- A sessão está suspensa.

In Tutti Frutti  de Pedrosa Ferreira

Vinde, Santo Espírito

Dos céus ajudai-nos

E da Vossa Luz

Um raio mandai-nos.

 

Sois consolador

Benigno, excelente

Sois de nossas almas

Hóspede decente.

 


 

CRISMAS

O Sr. Vigário Geral da Diocese, vem Crismar os jovens que estão preparados para receber este sacramento nos seguintes dias: 26 de maio na Matriz da Calheta às 20 horas; 27 de maio na Matriz de Velas às 20 horas e 28 de maio na zona do Topo.

 


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 694

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 819

Pensamento da Semana

 

Um anjo nunca se faz conhecer, nós só sabemos que ele esteve connosco quando ele parte. Porque deixa-nos na vida um perfume, deixa-nos na vida um desassossego.

 

Erri de Luca, in Em nome da mãe

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas