Nº 692

 

SEMANA DA VIDA de 10 a 17 de Maio

VIDA COM DIGNIDADE Opção pelos mais fracos

Porque a vida humana é o primeiro e mais estimável dos bens, é urgente lutar por novos rumos e construir uma verdadeira cultura da vida (Cfr. Ev 95).

 

A Semana da Vida, este ano com o tema VIDA COM DIGNIDADE – OPÇÃO PELOS MAIS FRACOS, inscreve-se neste esforço de rumos novos, procurando suscitar o reconhecimento do sentido e valor da vida humana em todos os seus momentos e condições, com uma atenção muito especial à gravidade do aborto e da eutanásia, sem descurar outros momentos e aspetos da vida.

 

O Papa Francisco advertiu-nos recentemente contra o esquecimento dos outros e o desinteresse perante os problemas, tribulações e injustiças que sofrem, e denunciou esta atitude egoísta, que atingiu uma dimensão mundial tal que podemos falar de uma globalização da indiferença

Ao contrário, apelou à solidariedade para não ficarmos surdos ao clamor dos pobres, que podem ser pessoas, multidões ou povos inteiros, reclamando respeito pelos direitos humanos (Cfr EG 190). E apontando o caminho da opção pelos pobres, própria de Deus e recebida de Jesus Cristo, lembrou que estes são os necessitados de bens materiais e todos os atingidos na sua dignidade, porque excluídos, maltratados, violentados, indefesos… (Cfr EG 212), com os quais Jesus se identifica: «Sempre que fizeste isto a um destes meus irmãos mais pequeninos, a mim o fizeste» (Mt 25, 40).

 

Entre estes seres frágeis, de que a Igreja quer cuidar com predileção, diz Francisco, estão também os nascituros, os mais inermes e inocentes de todos, a quem hoje se quer negar a dignidade humana para poder fazer deles o que apetece, tirando-lhes a vida e promovendo legislações para que ninguém o possa impedir (EG 213).

 

O Papa Francisco reafirma que a defesa da vida nascente está intimamente ligada à defesa de qualquer direito humano, que um ser humano é sempre sagrado e inviolável, e que é fim em si mesmo e nunca meio para resolver outras dificuldades, e salienta que, sem esta base, caem os fundamentos dos direitos humanos porque, nesse caso ficam sujeitos às conveniências dos poderosos.

 

Nem é opção progressista pretender resolver os problemas, eliminando uma vida humana (EG 214).

 

 

VI DOMINGO DA PÁSCOA

Tal pai, tal filho

Um miúdo foi ao barbeiro e, ao ser interrogado como queria que lhe cortassem o cabelo, respondeu prontamente:

 

- Careca, como o meu pai.

 

E todos os presentes disseram em coro:

 

- Tal pai tal filho...

 

Este garoto revia-se no pai e não tinha dificuldade em fazer dele o seu melhor amigo e o modelo a imitar.

 

Quem ama, copia os gestos da pessoa amada, assume os seus critérios de vida, imita-lhe as expressões. O amor leva sempre à identificação com o outro. Cada um é aquilo que ama. Se ama a terra será terra também, mas se ama a Deus torna-se divino. É por isso que Jesus Cristo diz no Evangelho de hoje:

 

- Assim como o Pai Me amou, também Eu vos amei...É este o meu mandamento: que vos ameis uns aos outros como eu vos amei.

 

Em primeiro lugar Ele assume a dinâmico do amor do Pai, identificando-se com Ele. Depois convida os seus discípulos a fazerem o mesmo.

 

Segundo a nossa lógica humana, Jesus devia dizer: Eu amei-vos, agora deveis amar-Me na mesma medida. Mas a lógica de Deus é diferente: eu amei-vos, agora fazei o mesmo aos outros. Só assim provareis que me tendes amor, se vos amardes tal como vos amei.

 

Pe. José David Quintal Vieira, scj

 

MEDITAR

 

LOUVOR A DEUS PELO DOM  DA CRIAÇÃO

 

 

 

Deus Santo,

 

queria dizer-vos obrigado por esta Terra generosa, bonita e fecunda que nos destes.

 

 

Ao mesmo tempo queria pedir-vos perdão pelo nosso egoísmo 

 

e pelo modo irresponsável como nos relacionamos com este dom do teu amor.

 

 

A nossa ganância e inconsciência já destruíram em grande parte o equilíbrio ecológico, 

 

pondo assim em perigo a vida das gerações futuras.

 

 

Na base deste nosso pecado está a procura de um progresso descontrolado.

 

A poluição que criámos está a afetar seriamente o equilíbrio de todo o ecossistema.

 

 

Estamos a converter o Mar e a Terra num vasto reservatório de lixos tóxicos.

 

Com este procedimento estamos a criar níveis perigosos de poluição,

 

a qual já está a ter efeitos perigosos no nosso ecossistema:

 

efeito estufa, destruição da camada de ozono e chuvas ácidas.

 

 

As nossas crianças têm cada vez mais problemas respiratórios,

 

pois o ar que respiramos é cada vez de pior qualidade.

 

Os nossos rios já quase não nos oferecem água limpa para podermos beber e tomar banho.

 

 

Deus Santo,

 

perdoai este nosso pecado contra a Terra e contra Vós que sois o seu Criador.

 

Ajudai-nos a ser agradecidos por este dom magnífico que pusestes ao nosso dispor.

 

 

Ajudai-nos a amar e cuidar com respeito este dom generoso, bonito e fecundo 

 

que nos dá tantos frutos para nos alimentarmos.

 

Ámen.

 

Calmeiro Matias

 

 CONTO (552)

                AS PALAVRAS

Um dia, as palavras aborreceram-se com as pessoas e decidiram fazer greve. Estavam fartas de ninguém as escutar. As palavras falavam entre si, mas nunca escutavam o que diziam os outros. E, como é sabido, uma palavra não escutada cai no chão e parte-se.

É como ver pedaços de palavras por todas as partes: nas famílias, nos grupos de jovens, nos parlamentos, nas igrejas, em toda a parte.

Quando chegou o dia da greve, todas as pessoas ficaram de repente mudas. Não havia palavras para ninguém.  Por mais esforços que fizessem, não conseguiam falar. Tinham de utilizar gestos, mas não os entendiam porque não estavam habituados a tal linguagem.

O tempo foi passando e as pessoas não tiveram mais remédio senão prestar atenção uns aos outros, o que nem sempre é fácil.

Quando as palavras viram que as pessoas tinham sentido a sua falta, decidiram pôs fim à greve. Foi uma grande alegria quando as pessoas puderam usar de novo as palavras. Sentiram como elas são importantes para a convivência e para o diálogo.

In Tutti Frutti  de Pedrosa Ferreira

Pela flor pelo vento pelo fogo

Pela estrela da noite tão límpida e serena

Pelo nácar do tempo pelo cipreste agudo

Pelo amor sem ironia - por tudo

Que atentamente esperamos

Reconheci tua presença incerta

Tua presença fantástica e liberta

 

Sophia de Mello Breyner Andresen, in Livro Sexto

 


INFORMAÇÕES

 

MUSEU FRANCISCO LACERDA

O Museu Francisco de Lacerda convida o publico em geral para a apresentação da peça O Urso, uma comédia de costumes, do Grupo de Teatro “A Jangada”, da ilha das Flores, no dia 10 de maio, domingo, pelas 21h00, na Casa dos Tiagos, na vila do Topo.

 

 

CLÍNICA DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DA CALHETA

A Direção da Associação de Bombeiros Voluntários da Calheta informa a vinda dos seguintes médicos: Dr.ª Maria Graça Almeida, Ginecologia-Obstetrícia no dia 21 de  maio;  Dr. José Abreu Freire, Mamografia e Ecografia, em junho (dias ainda por estabelecer; Dr.ª Rute Couto, Cardiologista, nos dias 6 e 7 de junho;  Dr.ª Alexandra Dias, Pediatra, em junho (dias ainda por estabelecer); Dr. Brasil Toste  Otorrinolaringologista em junho de 2015 (dias ainda por estabelecer) 

Os interessados podem fazer as suas marcações para os números 295 460 110/ 295460111.

 

FESTA DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA

FAJÃ DA RIBEIRA D’AREIA

Dia 13 de maio - missa às 13 horas seguida de procissão.

 

URZELINA

Dia 12 de maio – missa às 20 horas seguida de procissão de velas.

 

 

 

 

 


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 692

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 827

Pensamento da Semana

Dá-nos um coração claro que veja o céu aberto
e o mundo como os olhos de uma criança,
olhos de confiança e de descoberta
que nos salvem dos hábitos.

 

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas