Nº 420

 

RAÍZES

 

A memória de um povo são as suas raízes e povo que não tem memória não tem raízes.

É bom comemorar os que estão na génese da história, que a ergueram e a sustentaram com o seu empenho, com a sua dedicação, com os seus sacrifícios e, tratando-se de um povo, cultura e sociedade maior deve ser o apreço que lhe dedicamos.

Uma das raízes que fundamentam este povo Jorgense é o Pe. Manuel Azevedo da Cunha, patrono da Escola Básica Integrada da Calheta. No dia 19 de Fevereiro,   durante a manhã, a comunidade escolar mergulhou o seu pensamento nesta figura que deve ser uma referência para todos os que lutam e querem o bem de um povo.

Ele começa por oferecer os seus escritos à “… comunidade estudiosa Calhetense”. Depreende-se que o valor de um povo está no saber e tudo  deve ser feito para que ele seja facultado a todos para  um bom desempenho pessoal e comunitário.

Dedicado especialmente ao ensino, chegou a fazer da sua própria casa lugar de ensino quando lhe foram fechadas as portas públicas onde o mesmo devia ser incentivado e acarinhado. As dificuldades não se ficaram por aqui havendo do Bispo de então suspensão do ministério eclesiástico por dar tanta importância ao ensino.

Singular na sua maneira de lidar com a questão do saber dedica particular interesse aos seus alunos chegando a referi-los no começo do seu livro, bem como os cargos sociais que desempenhavam.

“Para alem de mestre, foi também compositor e musicólogo de reconhecido mérito.

Mas foi sobretudo à investigação histórica e etnográfica que consagrou quase toda a sua vida”.

Ao ler as suas “Notas Históricas”, encontramos comentários de índole social e religiosa fora de série que manifestam o desejo de uma sociedade sem preconceitos, mais justa e feliz.

Desta figura poderíamos partir para tantos outros sacerdotes dedicados a este povo Jorgense em épocas muito difíceis que permaneceram nos seus lugares experimentando  os dissabores da vida.

Estas raízes não podem ser esquecidas senão corremos o risco de não  termos história que é o alicerce de um povo.

Está de parabéns esta escola que quis reconhecer aquele que é a raiz fundamental do ensino neste conselho. Parabéns aos alunos que foram distinguidos com os prémios de honra os alunos: Gonçalo Nunes; Débora Reis; Tiago Nunes; Maria Inês Silvas; Mariana Seabra; Patrícia Azevedo; Ana Machado; Pedro Capelas; Mariana Fernandes; Mariana Oliveira; Delmar Cabral e em especial à aluna Mariana Fernandes que recebeu o prémio de mérito.

                                                                                           Pe. Manuel António

I Domingo da Quaresma

Tema:

No início da Quaresma, a Palavra de Deus apela a repensar as nossas opções de vida e a tomar consciência dessas “tentações” que nos impedem de renascer para a vida nova, para a vida de Deus.

A primeira leitura convida-nos a eliminar os falsos deuses em quem às vezes apostamos tudo e a fazer de Deus a nossa referência fundamental. Alerta-nos, na mesma lógica, contra a tentação do orgulho e da auto-suficiência, que nos levam a caminhos de egoísmo e de desumanidade, de desgraça e de morte.

O Evangelho apresenta-nos uma catequese sobre as opções de Jesus. Lucas sugere que Jesus recusou radicalmente um caminho de materialismo, de poder, de êxito fácil, pois o plano de Deus não passava pelo egoísmo, mas pela partilha; não passava pelo autoritarismo, mas pelo serviço; não passava por manifestações espectaculares que impressionam as massas, mas por uma proposta de vida plena, apresentada com simplicidade e amor. É claro que é esse caminho que é sugerido aos que seguem Jesus.

A segunda leitura convida-nos a prescindir de uma atitude arrogante e auto-suficiente em relação à salvação que Deus nos oferece: a salvação não é uma conquista nossa, mas um dom gratuito de Deus. É preciso, pois, “converter-se” a Jesus, isto é, reconhecê-l’O como o “Senhor” e acolher no coração a salvação que, em Jesus, Deus nos propõe.

(Dehonianos)

 

MEDITAR

 

Felizes os Mansos

 

É mais fácil estar no ódio do que na bondade.

Somente os fortes - fortes pela graça do Senhor –

podem manter-se verdadeiramente na bondade.

E é curioso como os poderosos da terra temem a bondade...

Eu não digo

que a doçura, a bondade, a mansidão tudo consigam.

Mas, parece-me evidente

que não se pode obter pela violência

o que se pode conseguir

pela doçura, bondade, mansidão.

Bem o sabem, por exemplo, aqueles pais

que vêem o que ajuda seus filhos a crescerem...

Eu acuso os verdadeiros fautores de violência,

todos aqueles, de direita e de esquerda,

que ferem a justiça e impedem a paz.

 

                                                                              ( D. Hélder)

 

CONTO (291)

 

PERSEVERANTES

Era uma vez um narrador de histórias que vivia pobremente, mas muito sonhador e alegre. Impressionava-o ver o mundo tão cinzento, árido, sem coração.

Por isso, decidiu ir para a praça contar histórias que mostrassem a beleza da bondade, da amizade, da alegria. Certamente que ajudaria as pessoas a serem mais felizes. E assim fez.

Subiu a um banco e começou a contar histórias lindas. Homens e mulheres, crianças, jovens e adultos, todos paravam a escutá-lo. Depois, seguiam o seu caminho.

No dia seguinte, lá estava ele de novo. Mas as pessoas que o escutavam eram menos e alguns até se riam dele, julgando que era um louco.

Regressou no dia seguinte, e depois no outro dia. As pessoas foram desaparecendo, mas ele continuava a narrar as suas histórias cheias de cor e beleza. À sua volta era agora um deserto: ninguém o escutava.

Um dia, uma criança parou e perguntou-lhe:

- Não vê que já ninguém o escuta? Não acha que está a perder o seu tempo?

O narrador respondeu:

- Não, meu menino. Continuarei a falar de coisas belas, de amor, de felicidade, de paz, de alegria. Antes, eu pensava que iria mudar esta cidade cinzenta e triste. Agora não me calarei, pois não quero que me mudem a mim.

 

In Bom dia, alegria  de Pedrosa Ferreira

 

 

Não há ninguém, mesmo sem cultura, que não se torne poeta quando o Amor toma conta dele.


(Platão)

 


 

VIA-SACRA

Às sextas-feiras será rezada a Via-Sacra na Igreja de São Tiago, da Ribeira Seca, às 17.30 horas.

 

 

PASSO-A-REZAR.NET

A 17 de Fevereiro, o Secretariado Nacional do Apostolado da Oração inaugurou um novo site: www.passo-a-rezar.net. Propõe-se, para download ou escuta imediata, uma oração diária (de segunda a sexta-feira), com cerca de 10 minutos, em formato mp3 (voz e música), tendo como inspiração um dos textos bíblicos da liturgia do dia.

O objectivo deste projecto é disponibilizar gratuitamente, aos utilizadores da internet, uma proposta diária de oração -meditação, em português, para ser escutada em qualquer aparelho áudio que suporte o formato mp3.

 


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 420

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 819

Pensamento da Semana

 

Um anjo nunca se faz conhecer, nós só sabemos que ele esteve connosco quando ele parte. Porque deixa-nos na vida um perfume, deixa-nos na vida um desassossego.

 

Erri de Luca, in Em nome da mãe

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas