Nº 420

 

RAÍZES

 

A memória de um povo são as suas raízes e povo que não tem memória não tem raízes.

É bom comemorar os que estão na génese da história, que a ergueram e a sustentaram com o seu empenho, com a sua dedicação, com os seus sacrifícios e, tratando-se de um povo, cultura e sociedade maior deve ser o apreço que lhe dedicamos.

Uma das raízes que fundamentam este povo Jorgense é o Pe. Manuel Azevedo da Cunha, patrono da Escola Básica Integrada da Calheta. No dia 19 de Fevereiro,   durante a manhã, a comunidade escolar mergulhou o seu pensamento nesta figura que deve ser uma referência para todos os que lutam e querem o bem de um povo.

Ele começa por oferecer os seus escritos à “… comunidade estudiosa Calhetense”. Depreende-se que o valor de um povo está no saber e tudo  deve ser feito para que ele seja facultado a todos para  um bom desempenho pessoal e comunitário.

Dedicado especialmente ao ensino, chegou a fazer da sua própria casa lugar de ensino quando lhe foram fechadas as portas públicas onde o mesmo devia ser incentivado e acarinhado. As dificuldades não se ficaram por aqui havendo do Bispo de então suspensão do ministério eclesiástico por dar tanta importância ao ensino.

Singular na sua maneira de lidar com a questão do saber dedica particular interesse aos seus alunos chegando a referi-los no começo do seu livro, bem como os cargos sociais que desempenhavam.

“Para alem de mestre, foi também compositor e musicólogo de reconhecido mérito.

Mas foi sobretudo à investigação histórica e etnográfica que consagrou quase toda a sua vida”.

Ao ler as suas “Notas Históricas”, encontramos comentários de índole social e religiosa fora de série que manifestam o desejo de uma sociedade sem preconceitos, mais justa e feliz.

Desta figura poderíamos partir para tantos outros sacerdotes dedicados a este povo Jorgense em épocas muito difíceis que permaneceram nos seus lugares experimentando  os dissabores da vida.

Estas raízes não podem ser esquecidas senão corremos o risco de não  termos história que é o alicerce de um povo.

Está de parabéns esta escola que quis reconhecer aquele que é a raiz fundamental do ensino neste conselho. Parabéns aos alunos que foram distinguidos com os prémios de honra os alunos: Gonçalo Nunes; Débora Reis; Tiago Nunes; Maria Inês Silvas; Mariana Seabra; Patrícia Azevedo; Ana Machado; Pedro Capelas; Mariana Fernandes; Mariana Oliveira; Delmar Cabral e em especial à aluna Mariana Fernandes que recebeu o prémio de mérito.

                                                                                           Pe. Manuel António

I Domingo da Quaresma

Tema:

No início da Quaresma, a Palavra de Deus apela a repensar as nossas opções de vida e a tomar consciência dessas “tentações” que nos impedem de renascer para a vida nova, para a vida de Deus.

A primeira leitura convida-nos a eliminar os falsos deuses em quem às vezes apostamos tudo e a fazer de Deus a nossa referência fundamental. Alerta-nos, na mesma lógica, contra a tentação do orgulho e da auto-suficiência, que nos levam a caminhos de egoísmo e de desumanidade, de desgraça e de morte.

O Evangelho apresenta-nos uma catequese sobre as opções de Jesus. Lucas sugere que Jesus recusou radicalmente um caminho de materialismo, de poder, de êxito fácil, pois o plano de Deus não passava pelo egoísmo, mas pela partilha; não passava pelo autoritarismo, mas pelo serviço; não passava por manifestações espectaculares que impressionam as massas, mas por uma proposta de vida plena, apresentada com simplicidade e amor. É claro que é esse caminho que é sugerido aos que seguem Jesus.

A segunda leitura convida-nos a prescindir de uma atitude arrogante e auto-suficiente em relação à salvação que Deus nos oferece: a salvação não é uma conquista nossa, mas um dom gratuito de Deus. É preciso, pois, “converter-se” a Jesus, isto é, reconhecê-l’O como o “Senhor” e acolher no coração a salvação que, em Jesus, Deus nos propõe.

(Dehonianos)

 

MEDITAR

 

Felizes os Mansos

 

É mais fácil estar no ódio do que na bondade.

Somente os fortes - fortes pela graça do Senhor –

podem manter-se verdadeiramente na bondade.

E é curioso como os poderosos da terra temem a bondade...

Eu não digo

que a doçura, a bondade, a mansidão tudo consigam.

Mas, parece-me evidente

que não se pode obter pela violência

o que se pode conseguir

pela doçura, bondade, mansidão.

Bem o sabem, por exemplo, aqueles pais

que vêem o que ajuda seus filhos a crescerem...

Eu acuso os verdadeiros fautores de violência,

todos aqueles, de direita e de esquerda,

que ferem a justiça e impedem a paz.

 

                                                                              ( D. Hélder)

 

CONTO (291)

 

PERSEVERANTES

Era uma vez um narrador de histórias que vivia pobremente, mas muito sonhador e alegre. Impressionava-o ver o mundo tão cinzento, árido, sem coração.

Por isso, decidiu ir para a praça contar histórias que mostrassem a beleza da bondade, da amizade, da alegria. Certamente que ajudaria as pessoas a serem mais felizes. E assim fez.

Subiu a um banco e começou a contar histórias lindas. Homens e mulheres, crianças, jovens e adultos, todos paravam a escutá-lo. Depois, seguiam o seu caminho.

No dia seguinte, lá estava ele de novo. Mas as pessoas que o escutavam eram menos e alguns até se riam dele, julgando que era um louco.

Regressou no dia seguinte, e depois no outro dia. As pessoas foram desaparecendo, mas ele continuava a narrar as suas histórias cheias de cor e beleza. À sua volta era agora um deserto: ninguém o escutava.

Um dia, uma criança parou e perguntou-lhe:

- Não vê que já ninguém o escuta? Não acha que está a perder o seu tempo?

O narrador respondeu:

- Não, meu menino. Continuarei a falar de coisas belas, de amor, de felicidade, de paz, de alegria. Antes, eu pensava que iria mudar esta cidade cinzenta e triste. Agora não me calarei, pois não quero que me mudem a mim.

 

In Bom dia, alegria  de Pedrosa Ferreira

 

 

Não há ninguém, mesmo sem cultura, que não se torne poeta quando o Amor toma conta dele.


(Platão)

 


 

VIA-SACRA

Às sextas-feiras será rezada a Via-Sacra na Igreja de São Tiago, da Ribeira Seca, às 17.30 horas.

 

 

PASSO-A-REZAR.NET

A 17 de Fevereiro, o Secretariado Nacional do Apostolado da Oração inaugurou um novo site: www.passo-a-rezar.net. Propõe-se, para download ou escuta imediata, uma oração diária (de segunda a sexta-feira), com cerca de 10 minutos, em formato mp3 (voz e música), tendo como inspiração um dos textos bíblicos da liturgia do dia.

O objectivo deste projecto é disponibilizar gratuitamente, aos utilizadores da internet, uma proposta diária de oração -meditação, em português, para ser escutada em qualquer aparelho áudio que suporte o formato mp3.

 


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 420

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 827

Pensamento da Semana

Dá-nos um coração claro que veja o céu aberto
e o mundo como os olhos de uma criança,
olhos de confiança e de descoberta
que nos salvem dos hábitos.

 

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas