Nº 641

EU SEI QUE!

Nesse Mundo toda a gente dizia "eu não faço porque EU SEI QUE... os outros também não fazem!"

Onde as pessoas chegavam atrasadas porque "EU SEI QUE o outro vai chegar atrasado, por isso não vou chegar a horas!"

Nesse Mundo todas as pessoas andavam desmotivadas, porque "EU SEI QUE os outros também andam!"

Nesse Mundo ninguém fazia a sua parte, porque "EU SEI QUE os outros também não fazem!"

E nesse Mundo todos eram um pouco menos pessoas "porque EU SEI QUE os outros também o são!" e vivia-se nesse ciclo vicioso só porque EU SEI QUE...

Esse era um Mundo de desculpas, de coitadinhos e de infelizes não por responsabilidade própria, mas porque EU SEI QUE a responsabilidade é dos outros!

 

Mas... num outro canto existia um outro Mundo!

Por incrível que pareça também ele um Mundo do EU SEI QUE... mas, completamente diferente...

Nesse Mundo toda a gente dizia "EU SEI QUE os outros não fazem, mas acredito que construindo os outros vão aprendendo a fazer!"

Onde as pessoas chegavam a horas porque "EU SEI QUE o outro vai chegar atrasado, mas é tão bom cumprir-me perante o outro e ele saber que quando lá chegar já eu estarei, como prometido, à sua espera!"

Nesse Mundo todas as pessoas andavam motivadas, porque "EU SEI QUE os outros se motivarão pelo meu exemplo!"

Nesse Mundo todos faziam a sua parte, porque "EU SEI QUE que os outros têm a sua, e a minha ninguém fará!"

E nesse Mundo todos eram cada vez mais pessoas "porque EU SEI QUE os outros também podem vir a ser mais!" e vivia-se nesse ciclo vicioso só porque EU SEI QUE...

Esse era um Mundo de gratidão, de pessoas disponíveis, contentes por responsabilidade própria, porque EU SEI QUE a responsabilidade é minha!

E este era um Mundo onde "EU SEI QUE o Amor vencerá!" e onde este tem sempre a última palavra, ainda que outros ECOS pareçam ser a última coisa que se escuta contra tantas muralhas!

 Ana Ascensão

 

V DOMINGO DA PÁSCOA

A liturgia deste domingo convida-nos a refletir sobre a Igreja – a comunidade que nasce de Jesus e cujos membros continuam o “caminho” de Jesus, dando testemunho do projeto de Deus no mundo, na entrega a Deus e no amor aos homens.

O Evangelho define a Igreja: é a comunidade dos discípulos que seguem o “caminho” de Jesus – “caminho” de obediência ao Pai e de dom da vida aos irmãos. Os que acolhem esta proposta e aceitam viver nesta dinâmica tornam-se Homens Novos, que possuem a vida em plenitude e que integram a família de Deus – a família do Pai, do Filho e do Espírito.

A primeira leitura apresenta-nos alguns traços que caracterizam a “família de Deus” (Igreja): é uma comunidade santa, embora formada por homens pecadores; é uma comunidade estruturada hierarquicamente, mas onde o serviço da autoridade é exercido no diálogo com os irmãos; é uma comunidade de servidores, que recebem dons de Deus e que põem esses dons ao serviço dos irmãos; e é uma comunidade animada pelo Espírito, que vive do Espírito e que recebe do Espírito a força de ser testemunha de Jesus na história.

A segunda leitura também se refere à Igreja: chama-lhe “templo espiritual”, do qual Cristo é a “pedra angular” e os cristãos “pedras vivas”. Essa Igreja é formada por um “povo sacerdotal”, cuja missão é oferecer a Deus o verdadeiro culto: uma vida vivida na obediência aos planos do Pai e no amor incondicional aos irmãos.

Dehonianos

 

MEDITAR

 

ORAÇÃO PELA FAMÍLIA

 

Jesus, Maria e José,

a vós, Sagrada Família de Nazaré,

hoje dirigimos o olhar com admiração e confiança;

em vós contemplamos a beleza da comunhão no amor verdadeiro;

a vós confiamos todas as nossas famílias;

para que se renovem nessas maravilhas da graça.

Sagrada Família de Nazaré, escola atraente do santo Evangelho:

ensina-nos a imitar as tuas virtudes com uma sábia disciplina espiritual,

doa-nos o olhar claro que sabe reconhecer a obra da providência nas

realidades quotidianas da vida.

Sagrada Família de Nazaré, guardiã fiel do mistério da salvação:

faz renascer em nós a estima pelo silêncio,

torna as nossas famílias cenáculo de oração e

transforma-as em pequenas Igrejas domésticas,

renova o desejo de santidade, sustenta o nobre cansaço do trabalho,

da educação, da escuta, da recíproca compreensão e do perdão.

Sagrada Família de Nazaré, desperta na nossa sociedade a consciência

do caráter sagrado e inviolável da família, bem inestimável e insubstituível.

Cada família seja morada acolhedora de bondade e de paz

para as crianças e para os idosos, para quem está doente e sozinho,

para quem é pobre e necessitado.

Jesus, Maria e José

a Vós com confiança rezamos, a vós com alegria nos confiamos.

 

Oração do Papa Francisco à Sagrada Família

 

CONTO (501)

 

COMO MUDAR O MUNDO

Era uma vez, um cientista que vivia preocupado com os problemas do mundo e decidido a encontrar meios de melhorá-los. Passava dias e dias no seu laboratório à procura de respostas.

Um dia, o seu filho de sete anos invadiu o seu santuário querendo ajudar o pai. Claro que o cientista não queria ser interrompido e, por isso, tentou que o filho fosse brincar em vez de ficar ali, a atrapalha-lo. Mas, como o rapaz era persistente, o pai teve de arranjar uma maneira de entretê-lo no laboratório. Foi, então, que reparou num mapa do mundo que estava na página de uma revista. Lembrou-se de cortar o mapa em vários pedaços e depois apresentou o desafio ao filho:

- Filho,  vais-me ajudar a consertar o mundo! Aqui está o mundo todo partido. Tens de fazer com que ele fique como estava! Quando terminares, chama-me, está bem?

O cientista estava convencido que a criança levaria dias para resolver o quebra-cabeças que ele tinha construído. Mas surpreendentemente, poucas horas depois, o filho chamava por ele:

- Pai, pai, já fiz tudo. Consegui consertar o mundo!

O pai não queria acreditar, achava que era impossível um miúdo daquela idade ter conseguido montar o quebra-cabeças de uma imagem que ele nunca tinha visto antes. Por isso, apenas levantou os olhos dos seus cálculos para ver o trabalho do filho que, pensava ele, não era mais do que um disparate digno de uma criança daquela idade. Porém, quando viu o mapa completamente montado, sem nenhum erro, perguntou ao filho como é que ele tinha conseguido sem nunca ter visto um mapa do mundo anteriormente.

- Pai, eu não sabia como era o mundo, mas quando tiraste o papel da revista para recortar, eu vi que, do outro lado da página, havia a figura de um homem. Quando me deste o mundo para eu consertar, eu tentei mas não consegui. Foi então que me lembrei do homem; virei os pedaços de papel ao contrário e comecei a consertar o homem que eu sabia como era. Quando consegui consertar o homem, virei a folha e vi que tinha consertado o mundo.

 

 

Era uma vez um Mundo do EU SEI QUE.

A cada dia que vivo mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-se do sofrimento, perde também a felicidade.

Clarice Lispector

 


INFORMAÇÕES

 

MUSEU FRANCISCO LACERDA

Inauguração da Exposição “Natália Correia – A Feiticeira Cotovia”, no dia 18 de maio, pelas 16h00, Dia Internacional dos Museus, na Sala de Exposições desta instituição.

 

CLÍNICA DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DA CALHETA

A Direção da Associação de Bombeiros Voluntários da Calheta informa que estarão na sua Clínica os seguintes especialistas:

Dr. ª Renata Gomes, Cardiologista  no dia 28 de maio de 2014.

Dr. ª Maria Graça Almeida, Ginecologista e Obstetra, em junho de 2014.

Dr. ª Paula Pires, Neurologista, em junho de 2014.

Dr. ª Alexandra Dias, Pediatra, nos dias 20 e 21 de junho de 2014.

Dr. José Abreu Freire, Imagiologia, nos dias 25 a 28 de junho de 2014.

Dr. ª Lourdes Sousa Especialidade: Dermatologista, nos dias 12 e 13 agosto de 2014.

Os interessados podem fazer as suas marcações para os números 295 460 110 / 295460111.


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 641

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 819

Pensamento da Semana

 

Um anjo nunca se faz conhecer, nós só sabemos que ele esteve connosco quando ele parte. Porque deixa-nos na vida um perfume, deixa-nos na vida um desassossego.

 

Erri de Luca, in Em nome da mãe

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas