Nº 640

Transcrevo parte da mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial de Oração pelas  Vocações

 

Também hoje Jesus vive e caminha nas nossas realidades da vida ordinária, para Se aproximar de todos, a começar pelos últimos, e nos curar das nossas enfermidades e doenças. Convido-vos a ouvir e seguir Jesus, a deixar-vos transformar interiormente pelas suas palavras que “são espírito e são vida” (Jo 6, 63). Maria, Mãe de Jesus e nossa, repete também a nós: “Fazei o que Ele vos disser!” (Jo 2, 5). Far-vos-á bem participar, confiadamente, num caminho comunitário que saiba despertarem vós e ao vosso redor as melhores energias.

A vocação é um fruto que amadurece no terreno bem cultivado do amor uns aos outros que se faz serviço recíproco, no contexto duma vida eclesial autêntica. Nenhuma vocação nasce por si, nem vive para si. A vocação brota do coração de Deus e germina na terra boa do povo fiel, na experiência do amor fraterno. Porventura não disse Jesus que “por isto é que todos conhecerão que sois meus discípulos: se vos amardes uns aos outros”?

 

Amados irmãos e irmãs, viver esta “medida alta da vida cristã ordinária” significa, por vezes, ir contra a corrente e implica encontrar também obstáculos, fora e dentro de nós. O próprio Jesus nos adverte: muitas vezes a boa semente da Palavra de Deus é roubada pelo Maligno, bloqueada pelas tribulações, sufocada por preocupações e seduções mundanas (cf. Mt 13, 19-22).

Todas estas dificuldades poder-nos-iam desanimar, fazendo-nos optar por caminhos aparentemente mais cómodos. Mas a verdadeira alegria dos chamados consiste em crer e experimentar que o Senhor é fiel e, com Ele, podemos caminhar, ser discípulos e testemunhas do amor de Deus, abrir o coração a grandes ideais, a coisas grandes. “Nós, cristãos, não somos escolhidos pelo Senhor para coisas pequenas; ide sempre mais além, rumo às coisas grandes.”

Disponhamos, pois, o nosso coração para que seja “boa terra” a fim de ouvir, acolher e viver a Palavra e, assim, dar fruto. Quanto mais soubermos unir-nos a Jesus pela oração, a Sagrada Escritura, a Eucaristia, os Sacramentos celebrados e vividos na Igreja, pela fraternidade vivida, tanto mais há-de crescer em nós a alegria de colaborar com Deus no serviço do Reino de misericórdia e verdade, de justiça e paz. E a colheita será grande, proporcional à graça que tivermos sabido, com docilidade, acolher em nós.

 

 

IV DOMINGO DA PÁSCOA

O 4º Domingo da Páscoa é considerado o “Domingo do Bom Pastor”, pois todos os anos a liturgia propõe, neste domingo, um trecho do capítulo 10 do Evangelho segundo João, no qual Jesus é apresentado como “Bom Pastor”. É, portanto, este o tema central que a Palavra de Deus põe hoje à nossa reflexão.

O Evangelho apresenta Cristo como “o Pastor”, cuja missão é libertar o rebanho de Deus do domínio da escravidão e levá-lo ao encontro das pastagens verdejantes onde há vida em plenitude (ao contrário dos falsos pastores, cujo objetivo é só aproveitar-se do rebanho em benefício próprio). Jesus vai cumprir com amor essa missão, no respeito absoluto pela identidade, individualidade e liberdade das ovelhas.

A segunda leitura apresenta-nos também Cristo como “o Pastor” que guarda e conduz as suas ovelhas. O catequista que escreve este texto insiste, sobretudo, em que os crentes devem seguir esse “Pastor”. No contexto concreto em que a leitura nos coloca, seguir “o Pastor” é responder à injustiça com o amor, ao mal com o bem.

A primeira leitura traça, de forma bastante completa, o percurso que Cristo, “o Pastor”, desafia os homens a percorrer: é preciso converter-se (isto é, deixar os esquemas de escravidão), ser batizado (isto é, aderir a Jesus e segui-l’O) e receber o Espírito Santo (acolher no coração a vida de Deus e deixar-se recriar, vivificar e transformar por ela).

Dehonianos

 

MEDITAR

Testemunho

Nós somos um casal. Conhecemo-nos há sete anos num campo de férias do SPES, um grupo de jovens que dinamiza atividades para alunos católicos do ensino superior. Neste grupo de amigos fomos crescendo e fomo-nos conhecendo mutuamente.

Com o final do curso, descobrimos que as nossas vidas se tinham cruzado para sempre. Com alguma inquietude e alguma angústia, deixámos de lutar contra o amor que já tinha nascido.

Descobrimos então que Deus tinha um projeto de vida para nós: sermos família cristã. E descobrimos que esse sonho também era o sonho de cada um de nós. Dissemos-Lhe sim e entregámos- -Lhe a nossa vida.

Hoje estamos casados há três anos e continuamos a crescer neste amor que nos foi confiado pelo Pai. Atualmente este amor já deu frutos e daí nasceu a nossa filha. Nem todos os dias são fáceis, mas sentimos Deus ao nosso lado, ajudando-nos a viver os desafios novos e a não esquecer o nosso compromisso.

No ano passado integrámos uma equipa de casais de Nossa Senhora e a equipa da Pastoral Vocacional. Sim, ser família também é uma vocação. Sentimo-nos chamados a cada dia por Ele a esta missão de cuidarmos um do outro e de darmos frutos ao mundo. Enquanto família cristã olhamos a imagem da Sagrada Família como caminho a seguir e queremos ser testemunhas do Amor de Deus junto daqueles que nos rodeiam.

Desde o momento em que nos encontrámos, a nossa vida ganhou mais sentido. Confiamos que o Senhor caminhará sempre ao nosso lado, desafiando-nos a crescer mais nos nossos dons. Só podemos pedir-Lhe que nos ajude a estar atentos para agirmos onde Ele nos chamar a estar presentes.

Do Guião para a Semana das Vocações

 

CONTO (500)

 

APRENDENDO COM OS ERROS

O mestre, levou o seu aprendiz pera floresta. Embora mais velho, caminha sem cair, enquanto o seu aprendiz escorrega e cai a todo instante.

O aprendiz blasfema, levanta-se e cospe no chão traiçoeiro e continua a acompanhar o seu mestre.

Depois de uma longa caminhada, chegaram a um lugar sagrado. Sem parar, o mestre dá meia volta e começa a viagem de volta para casa.

O aprendiz disse-lhe:

- O senhor não me ensinou nada durante toda a caminhada de hoje.

Dito isto deu mais um tombo e levantou-se.

O mestre respondeu-lhe:

- Ensinei sim, mas parece que não aprendes. Estou  a tentar a ensinar-te como se lida com os erros da vida.

O aprendiz intrigado perguntou-lhe:

- E como se lida com os erros da vida?

O mestre respondeu-lhe:

– Como deverias lidar com os teus tombos. Em vez de estares a amaldiçoar o lugar onde caiste, devias procurar aquilo que te faz escorregar.

 

 

Cada um tem uma vocação de amor particular. O amor não é uniforme, cada um o encarna à sua maneira, nas condições determinadas da sua vida pessoal. A vida não possui um sentido único, geral e válido para todo mundo. Não existe receita. O amor é sempre uma aposta pessoal 

Soeur Emmanuelle

 


INFORMAÇÕES

 

OFICINA DE TEATRO

Estão abertas inscrições para uma Oficina de Teatro de Marionetas, destinada ao público em geral, a realizar de 2 a 4 de junho de 2014, das 17h30 às 19h30, no Museu Francisco de Lacerda, tendo como formador Ricardo Ávila. Os interessados deverão contatar o museu para obtenção da respetiva ficha de pré-inscrição e outras informações que necessitem (tel. 295416323, mail: museu.flacerda.info@azores.gov.pt).

 

MATRÍCULAS NA ESCOLA

A Escola Básica e Secundária da Calheta informa os encarregados de educação de que se encontrarão abertas, de 15 de maio a 15 de junho, as matrículas na educação pré-escolar e no 1º ciclo do ensino básico, quando a criança não tenha frequentado a educação pré-escolar no estabelecimento em que vai ser aluna.

Estas deverão ser efetuadas, presencialmente, na escola que serve a área pedagógica onde o aluno reside, junto da respetiva encarregada de estabelecimento/coordenadora de núcleo, no seguinte horário:

EB1/JI da Calheta – segunda-feira 15:00 às 16:00; EB1/JI da Ribeira Seca – quarta-feira das 10:00 às 11:00

DOCUMENTOS A APRESENTAR: Fotocópia do Bilhete de Identidade/Cartão de Cidadão; Fotocópia do número de contribuinte do aluno (se não tiver C. Cidadão); Fotocópia do cartão de beneficiário do subsistema de saúde do aluno (Exemplo: ADSE; Seg. Social; etc); Boletim Individual de Saúde (vacinas), apenas dos alunos que irão frequentar o 1º ano

 

REUNIÕES DE CATEQUISTAS

Dia 14 de maio: Reunião de Catequistas da Ribeira Seca às 19h 30m.

Dia 15 de maio: Reunião de Catequistas das Manadas às 19h30m.

Dia 16 de maio: Reunião de Catequistas dos Biscoitos às 19h30m.


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 640

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 827

Pensamento da Semana

Dá-nos um coração claro que veja o céu aberto
e o mundo como os olhos de uma criança,
olhos de confiança e de descoberta
que nos salvem dos hábitos.

 

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas