Nº 637

SANTA E FELIZ PÁSCOA

 

Cada vez que somos capazes de romper com as nossas rotinas,

 

as nossas resignações, as nossas condescendências, as nossas alienações

 

em relação à ordem estabelecida ou à nossa individualidade acanhada. (...)

 

Cada vez que damos algo de novo à forma humana,

 

Cristo está vivo, a criação prossegue em nós, por nós, através de nós.

 

A Ressurreição realiza-se todos os dias.

 

 

R. Garaudy

 

DOMINGO DE PÁSCOA DA RESSURREIÇÃO DO SENHOR

A liturgia deste domingo celebra a ressurreição e garante-nos que a vida em plenitude resulta de uma existência feita dom e serviço em favor dos irmãos. A ressurreição de Cristo é o exemplo concreto que confirma tudo isto.

A primeira leitura apresenta o exemplo de Cristo que “passou pelo mundo fazendo o bem” e que, por amor, Se deu até à morte; por isso, Deus ressuscitou-O. Os discípulos, testemunhas desta dinâmica, devem anunciar este “caminho” a todos os homens.

O Evangelho coloca-nos diante de duas atitudes face à ressurreição: a do discípulo obstinado, que se recusa a aceitá-la porque, na sua lógica, o amor total e a doação da vida nunca podem ser geradores de vida nova; e a do discípulo ideal, que ama Jesus e que, por isso, entende o seu caminho e a sua proposta (a esse não o escandaliza nem o espanta que da cruz tenha nascido a vida plena, a vida verdadeira).

A segunda leitura convida os cristãos, revestidos de Cristo pelo batismo, a continuarem a sua caminhada de vida nova até à transformação plena (que acontecerá quando, pela morte, tivermos ultrapassado a última barreira da nossa finitude).

Dehonianos

 

MEDITAR

 

O DOM DA VIDA

Como agradecer-Te, Senhor, o dom da vida?

Como agradecer-Te, Senhor, o não teres desistido de mim, e teres vindo ao meu encontro permitindo-me que Te reconhecesse?

Como agradecer-Te, Senhor, as graças contínuas que em mim derramas todos os dias e das quais tantas vezes não me dou conta?

Como agradecer-Te, Senhor, o deixares-me sentir de quando em vez a Tua presença em mim e nos outros?

Como agradecer-Te, Senhor, os momentos de secura em que pareces afastado de mim, e me provocam a procurar-Te continuamente para animares a vida que me deste?

Como agradecer-Te, Senhor, toda a família em que me fizeste nascer, a família que me deste, os amigos, e também os que não gostam de mim?

Como agradecer-Te, Senhor, até os muitos anos afastado de Ti, perdido no mundo e com o mundo, e que são hoje ensinamento para Te procurar e viver?

Como agradecer-Te, Senhor, o todo e o tudo?

Recebendo do Teu amor, amando-Te, e amando os outros com o Teu amor!

Só assim Te posso, fracamente, agradecer, Senhor!

 

Joaquim Mexia Alves

 

CONTO (497)

 

VIVER PARA SERVIR (autor desconhecido)

Embora estivesse bem preparado para a escalada, com roupas, sapatos e apetrechos próprios, foi avisado que em nenhum momento ficasse parado sem fazer movimentos.

Uma paragem para descansar poderia ser mortal.

O jovem começou a subida com bastante ânimo.

Mas à medida que ia alcançando mais altura, ia diminuindo as passadas.

Conhecia muito bem o caminho, pois percorrera muitas vezes esse mesmo trajeto.

O vento gelado soprava com intensidade e a neve fina recém caída tornava escorregadio o caminho.

Ele percebeu que gastaria mais tempo para chegar ao topo, onde dormiria, pois lá havia um acampamento.

O cansaço começou a pegá-lo e o desejo de parar para descansar foi muito grande.

Mas então lembrou-se do aviso dado no início da escalada: parar significaria morrer! O jovem parou um pouquinho, refez-se e continuou lutando.

Enquanto caminhava lentamente notou que havia algo coberto com neve, no meio do caminho. – Um animal pensou ele.

E agachou-se para tirá-lo da estrada.

Porém, quando procurou virá-lo de lado, viu que não era um animal, mas sim um jovem da sua idade. Tinha dormido, mas ainda estava vivo.

Imediatamente começou a fazer massagens nas mãos e nos pés daquele jovem.

Esfregou-lhe o peito e, enquanto o exercitava, esqueceu completamente do seu cansaço.

Finalmente viu sinais de vida no rosto do jovem que não conhecia.

Durante horas lutou e trabalhou até que chegaram ao lugar coberto, onde deveriam passar a noite.

Depois de fazer fogo e dar ao jovem uma xícara de caldo quente, lembrou-se de que ele também tinha pensado em sentar-se por um momento para recuperar as forças.

Aí o jovem percebeu, que a sua atitude o tinha salvo, porque ele estava a pensar em parar como aquele jovem.

E quando ele salvava o jovem ele estava a salvar a sua própria vida, porque ele esqueceu-se do seu cansaço para salvar o outro jovem.

Que experiência de vida!

Se pensarmos só em nós mesmos, teremos cansaço e descontentamento.

Mas quando nos propomos ajudar aos outros, renovamos nossas forças e energias e descobrimos que AQUELE QUE SERVE, ENCONTRA REAL FELICIDADE.

 

 In  Bom dia, alegria de Pedrosa Ferreira

 

Certo jovem, na Suíça, foi escalar uma montanha coberta de neve.

O Ressuscitado pede-nos para renascer, todos os dias,

para nos distanciarmos do nosso pequeno e prepotente eu,

para fazermos viver em nós um Tu maior,

para morrermos para os nossos apegos, as nossas certezas,

para darmos lugar ao deserto e esperarmos pela chuva.

Pela água que desce do céu e faz florescer até a areia.

 

Susanna Tamaro, in O Fogo e o Vento

 


INFORMAÇÕES

FESTAS DO ESPÍRITO SANTO DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DA CALHETA

A Santa Casa da Misericórdia da Calheta vai celebrar a sua festa com os irmãos e benfeitores no próximo domingo, 27 de abril.

De 20 a 26 de abril, pelas 20 horas, teremos o terço, no Lar de Idosos da Santa Casa, em louvor do Divino Espírito Santo.

No domingo a Coroação é às 12 horas e depois teremos o jantar, na Casa do Povo da Calheta para os irmãos, familiares e convidados.

Se alguém quiser contribuir com géneros ou dinheiro, pode fazê-lo entregando os donativos na Santa Casa da Misericórdia. A mesa agradece a colaboração de todos.

 

COROAÇÃO DA CATEQUESE E MENSAGEM DE FÁTIMA NA RIBEIRA SECA

No próximo domingo, 27 de abril, na comunidade da Ribeira Seca, a catequese é que faz a coroação. Haverá o terço, na Casa do Espíritos Santo às 20 horas a partir do dia 21 de abril e a concentração para a Coroação no dia 27 é às 11h 30 seguindo-se o cortejo para a Igreja com a Eucaristia e Coroação.

 


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 637

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 819

Pensamento da Semana

 

Um anjo nunca se faz conhecer, nós só sabemos que ele esteve connosco quando ele parte. Porque deixa-nos na vida um perfume, deixa-nos na vida um desassossego.

 

Erri de Luca, in Em nome da mãe

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas