Nº 617

CAMINHEMOS À LUZ DO SENHOR

No inverno, mesmo os dias de sol parecem frios, a luminosidade é mais rara. Até dizemos que «os dias são mais pequenos». Ao início de cada manhã, ainda envolvidos pelo manto da noite, é preciso uma dose de coragem para sair de casa em direção à escola ou ao local de trabalho. Acontece que, nas nossas vidas, fazemos a experiência de momentos e de dias escurecidos pela ausência de esperança, carregados de um intenso nevoeiro. «O desânimo é como que um nevoeiro cerrado. E uma vez debaixo do nevoeiro, todo o cuidado é pouco: é preciso andar devagar, estar atento a todos os sinais e ter a convicção de que estamos na direção certa. E não adianta protestar: pois só com a paciência de saber esperar o raio de luz no caminho, se pode ultrapassar esse nevoeiro».

Na verdade, carregados pelos afazeres pessoais, domésticos, profissionais, existenciais, vemo-nos envolvidos por um denso «nevoeiro», que até parece que Deus abandonou a nossa vida, o nosso mundo. O Deus que nos fala nos relatos bíblicos, o Deus a quem rezamos e invocamos no fervor das nossas assembleias, onde é que está nos momentos obscuros do nosso quotidiano? A máxima do profeta Isaías é intemporal. O tempo de Advento é uma oportunidade para nos deixarmos iluminar pela «luz do Senhor», «a luz da fé». É um tempo para acolher alegremente o Senhor que vem iluminar as nossas vidas. Isaías é um desses génios que aparecem de vez em quando na história da humanidade.

Laboratório da fé (Adaptado)

 

I DOMINGO DO ADVENTO

A liturgia deste domingo apresenta um apelo veemente à vigilância. O cristão não deve instalar-se no comodismo, na passividade, no desleixo, na rotina; mas deve caminhar, sempre atento e sempre vigilante, preparado para acolher o Senhor que vem e para responder aos seus desafios.

A primeira leitura convida os homens – todos os homens, de todas as raças e nações – a dirigirem-se à montanha onde reside o Senhor… É do encontro com o Senhor e com a sua Palavra que resultará um mundo de concórdia, de harmonia, de paz sem fim.

A segunda leitura recomenda aos crentes que despertem da letargia que os mantém presos ao mundo das trevas (o mundo do egoísmo, da injustiça, da mentira, do pecado), que se vistam da luz (a vida de Deus, que Cristo ofereceu a todos) e que caminhem, com alegria e esperança, ao encontro de Jesus, ao encontro da salvação.

O Evangelho apela à vigilância. O crente ideal não vive mergulhado nos prazeres que alienam, nem se deixa sufocar pelo trabalho excessivo, nem adormece numa passividade que lhe rouba as oportunidades; o crente ideal está, em cada minuto que passa, atento e vigilante, acolhendo o Senhor que vem, respondendo aos seus desafios, cumprindo o seu papel, empenhando-se na construção do “Reino”.

Dehonianos

 

MEDITAR

 

O DEUS EM QUEM NÃO CREIO (2ª PARTE)

Eu nunca acreditarei:

no Deus incapaz de amar o que muitos desprezam;
no Deus insensível diante de uma rosa;
no Deus incapaz de perdoar o que muitos condenam;


no Deus para quem os homens valessem, não pelo que são, mas pelo que têm ou representam;


no Deus que não aceita uma cadeira nas nossas festas humanas;
no Deus que, para nos tornar felizes, nos oferecesse uma felicidade divorciada da nossa natureza humana;


no Deus que só os de idade madura, os sábios, os instalados, podem compreender;
no Deus asséptico (= desinfetado), elaborado no gabinete por tantos teólogos e canonistas;
no Deus que “prefira” os ricos e os poderosos;


no Deus a quem agrade a beneficência de quem não pratica a justiça;
no Deus que criasse discípulos desertores das tarefas do mundo e
indiferentes à história dos seus irmãos;
no Deus que destruísse a terra e as coisas que o homem ama, em vez de as transformar;


no Deus que defende os que nunca sujam as mãos, os que nunca se assomam à janela, os que nunca se deitam à água;
no Deus que agrade àqueles que dizem sempre: “vai tudo bem”.


Juan Arias
(com ligeiras adaptações)

 

CONTO (478)

 

AS OMISSÕES

O Inferno já estava cheio. Apenas havia um lugar livre. Lá fora estava uma grande fila de pessoas à espera. O Diabo veio cá fora e disse:

- Há apenas um lugar disponível, que será para o maior pecador. Vou pois examinar cada um de vós.

O Diabo começou as entrevistas, perguntando a cada um aquilo que na Terra fez de mal. Veio um homem de mãos limpas e o Diabo perguntou-lhe:

- O que é que tu fizeste?

- Nada. Sou um homem bom e estou aqui simplesmente por engano.

- Fizeste certamente alguma coisa, como todos os outros.

- Eu nunca fiz nada. Vi pessoas a deixarem morrer outras de fome e de sede, mas não me meti nisso. Vi pessoas rejeitarem outras por causa da cor da pele ou da religião, mas não era nada comigo. Vi gente que era condenada e presa injustamente, mas isso não era nada comigo. Resisti à tentação de me meter nesses assunto.

O Diabo continuou:

- Então o senhor, ao ver isso tudo, não fez absolutamente nada?

- Não.

O Diabo, com voz forte, decretou:

- Entra no Inferno, meu amigo. O lugar disponível é para ti!

 In  Bom dia, alegria de Pedrosa Ferreira

 

no Deus que não precisa do homem;
no Deus-árbitro que só julga de regulamento na mão;
no Deus que exija sempre vinte valores nos exames;
no Deus capaz de ser explicado por uma filosofia;

Eis o tempo de Advento: para salvar o seu povo, Deus há de vir, a sua chegada está próxima. Em Jesus Cristo realiza-se a promessa da salvação. E a palavra de Deus faz-nos viver todas as etapas, desde o profeta Isaías, que revela a esperança do seu povo e anuncia a paz, até à vinda do próprio Senhor Jesus Cristo, no final dos tempos, quando tudo atingirá a plenitude. O Advento é um apelo a voltarmo-nos resolutamente para esta realização do Reino, acolhendo a Luz que se levanta e cantando a alegria da nossa fé. Abandonando as nossas sonolências, Jesus Cristo faz de nós as sentinelas da sua presença.

«Caminhemos à luz do Senhor»!

«Viver, viver verdadeiramente, 

é uma pessoa a ir-se soltando de tudo, 

até voar finalmente. 

Nós fomos feitos para voar: um voo por dentro. 

Um voo da alma». 

 

Gabriel Magalhães

 


INFORMAÇÕES

 

REUNIÕES PARA RESPONDER AO QUETIONÁRIO

Segunda, 2 de dezembro às 19 horas - Norte Grande e Biscoitos

Terça, 3 de dezembro, às 19 horas - Norte pequeno e Manadas

Quarta, 4 de dezembro, às 19 horas - Beira e Urzelina

Quinta, 5 de dezembro, às 19 horas - Calheta e Ribeira Seca

Sexta, 6 de dezembro, às 19 horas - Velas

As reuniões serão feitas nas respetivas Igrejas.

 

FUNDOS PARA A CATEQUESE - NORTE PEQUENO

Com a finalidade de angariar fundos para a catequese pede-se a todas as pessoas que queiram contribuir com alguma oferta para ser arrematada no fim da missa do próximo domingo. Estes fundos são para a compra de material (lápis, canetas, cartolinas, cadernos, borrachas e outros) que são usados durante a catequese e, também, para as festas que se fazem e que é necessário comprar tecidos ou outros materiais necessário para as representações.

Contamos com a colaboração de todos.

 

CLÍNICA DENTÁRIA DA RIBEIRA SECA

Informa que a Dra. Cátia Reis, médica dentista, estará nesta Clínica a prestar consultas de medicina dentária de 2 a 10 de dezembro 2013. Qualquer tratamento a 35€.

As marcações podem ser feitas através do nº 962577473.

 


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 617

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 819

Pensamento da Semana

 

Um anjo nunca se faz conhecer, nós só sabemos que ele esteve connosco quando ele parte. Porque deixa-nos na vida um perfume, deixa-nos na vida um desassossego.

 

Erri de Luca, in Em nome da mãe

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas