Nº 543

 

FÉRIAS

Como vais passar as tuas férias?
As férias são um tempo especial em que se deixa a vida habitual para se restabelecer forças que nos ajudem a fortalecer o nosso interior e a retemperar as forças físicas procurando um equilíbrio harmonioso de vida.
É essencial a contemplação, a meditação e a capacidade de se virar para o seu interior para um conhecimento próprio das qualidades e crescimento interior. Isto faz-se com boas leituras, bons passeios, procurando um contato com a natureza, o silêncio que dá a capacidade de ouvir o nosso interior.
Nas férias é importante alimentar a mente e o coração com estas coisas que nos ajudam e levam ao encontro connosco. Não conseguimos crescer como pessoas sem este conhecimento interior necessário para ajudar a compreender as nossas limitações e a caminhar com as qualidades que temos. Assim, ganhamos mais vontade de nos realizarmos como pessoas.
Procurar fortalecer os laços de amizade com os outros é outra componente fundamental no tempo de férias. Procurar ter tempo para os outros, falar de outros tempos e outras histórias. Recordar acontecimentos e pessoas que fizeram parte da nossa vida. Procurar conversas que edifiquem e enriqueçam dizendo o que se aprendeu com a vida e o trabalho, os lugares que se conheceram e as experiencias que nos ajudaram a crescer.
Umas férias com qualidade devem ter lugar para Deus. Ver o lugar que Ele ocupa na nossa vida pessoal e, se possível, familiar. A relação com Deus faz-se mais pelo silêncio e sossego interior. Festas e barulhos podem não ser a melhor maneira de encontrar Deus. Já o profeta encontrou Deus na brisa suave e refrescante e não no trovão, no fogo ou vento forte. Deus está sempre próximo e quer estar connosco.
Essencial no tempo de férias é deixar as rotinas, as pressas. Pôr um pouco de lado o relógio e estar livre para estas coisas que nos ajudam a ganhar mais vida e energia.
O mais importante nas férias é o tempo que tenho para mim e para os outros. As conversas com a família e com os amigos. Tempo para passear, contemplar e meditar.
Pe. Manuel António
 

XIII DOMINGO DO TEMPO COMUM

Chamar por Deus

Naquele tempo vinham ter com Jesus de toda a parte e abeiravam-se pessoalmente...
Em linguagem moderna, Deus prefere os encontros pessoais ao uso de telemóvel.
Que sucederia se Cristo instalasse uma central de telemóveis no céu?
Imagine-se alguém a rezar e ouvir a seguinte mensagem: "Central Celeste, por favor marque uma das seguintes opções: para pedidos marque 1; para queixas marque 2, para outro assunto marque 3... "
Ou então: "Neste momento os nossos anjos estão ocupados. Por favor deixe a sua mensagem no serviço de espera. Se deseja falar com o Anjo Gabriel marque 5, com outro Anjo marque 6."
O pior seria: "A sua alma apresenta um saldo de tantos méritos. Deverá ser recarregada no próximo Domingo nas missa das 09H00."
Por fim imaginemos outra resposta: "O número que marcou não está atribuído. Por favor, certifique-se da sua intenção ou então marque de novo sem distrações..."
Graças a Deus que nada disto acontece.
Podemos chamar a Deus quantas vezes quisermos que somos sempre atendidos. A Sua linha nunca está ocupada. Ainda bem que nos responde pessoalmente e nos conhece antes mesmo de nos apresentarmos. Deus não deixa recados no gravador mas estende-nos imediatamente a sua mão.
Pe. José David Quintal Vieira, scj

 MEDITAR

 

A FORMA JUSTA

 
Sei que seria possível construir o mundo justo
As cidades poderiam ser claras e lavadas
Pelo canto dos espaços e das fontes
O céu o mar e a terra estão prontos
A saciar a nossa fome do terrestre
A terra onde estamos — se ninguém atraiçoasse — proporia
Cada dia a cada um a liberdade e o reino
— Na concha na flor no homem e no fruto
Se nada adoecer a própria forma é justa
E no todo se integra como palavra em verso
Sei que seria possível construir a forma justa
De uma cidade humana que fosse
Fiel à perfeição do universo
 
Por isso recomeço sem cessar a partir da página em branco
E este é meu ofício de poeta para a reconstrução do mundo
 
Sophia de Mello Breyner Andresen, in O Nome das Coisas

 CONTO (407)

 SEM PALAVRAS

Um dia, no Paraíso, todos os santos viram que Jesus estava irritado. Dizia:
- Estive 33 anos no mundo, disse que o importante não são as cerimónias rotineiras mas os gestos de amor. Quase ninguém percebeu. Passam o tempo a pregar sermões, a cantar hinos, mas poucas obras.
Um anjo, timidamente, perguntou:
- Que pretendes fazer?
Jesus respondeu:
- Vou tirar-lhes a palavra.
E foi assim que, de repente, todos os cristãos ficaram mudos. Num primeiro momento, foi a surpresa. Muitos acorriam às farmácias mas não havia cura.
Que podiam agora fazer sem a palavra? Como podiam dizer que amavam a Deus e ao próximo? E os pregadores como podiam fazer lindos sermões? Acabaram por perceber que deviam comunicar com gestos.
E foi assim que os cristãos começaram a comunicar com o olhar, o sorriso, as carícias e os gestos de ajuda fraterna. E até num jornal da cidade apareceu um artigo com este título: «Vede como eles se amam». Os descrentes acharam esta fé muito bela, pois transmitia doçura, serenidade e paz.
Quando Jesus lhes restituiu a palavra, já tinham saboreado a alegria de acreditar.
 In Alegre Manhã de Pedrosa Ferreira

 

A melhor maneira que o homem dispõe para se aperfeiçoar, é aproximar-se de Deus.
 
Pitágoras
 

 

INFORMAÇÕES

 

MUSEU FRANCISCO LACERDA

O Museu Francisco de Lacerda informa que se encontram abertas ao público as seguintes exposições: “Minorias Étnicas “ e “A Saca da América”. De segunda a sexta feira das 9 horas às 17:30 e a partir de 1 de julho até final de agosto, aos sábados e domingos das 14 às 17 horas.

Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 543

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 819

Pensamento da Semana

 

Um anjo nunca se faz conhecer, nós só sabemos que ele esteve connosco quando ele parte. Porque deixa-nos na vida um perfume, deixa-nos na vida um desassossego.

 

Erri de Luca, in Em nome da mãe

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas