Nº 504

 

UM CORAÇÃO AO JEITO DE JESUS

 
Para moldarmos um coração semelhante ao de Jesus devemos ter a sabedoria necessária para reconhecer os momentos próprios para falar e aqueles em que é melhor guardar silêncio.
 
A nossa oração deve ser feita em forma de um diálogo familiar com Deus. Era assim que Jesus orava. Quando oramos em forma de diálogo familiar com Deus, estamos a dar condições ao Espírito Santo para poder moldar o nosso coração de modo parecido ao de Jesus que falava com o Pai do Céu chamando-lhe Abba, isto é, Papá.
 
Quando orava, Jesus falava com Deus como um filho fala com o seu pai ou a sua mãe. Jesus sabia que o seu coração era agradável a Deus. Foi esta a razão pela qual Ele disse: “Aprendei de mim que sou manso e humilde de coração” (Mt 11, 29).
 
Para ter um coração semelhante ao de Jesus é muito importante ser atento aos outros, procurando compreendê-los na sua realidade mais profunda.
 
Para termos um coração acolhedor e humilde devemos ser capazes de aceitar o jeito de ser dos outros, mesmo que eles sejam diferentes de nós. De facto, realizar-se é nascer de novo como pessoa única, original e irrepetível. Quanto mais facilitamos a felicidade dos outros mais nos realizamos como pessoas e mais felizes seremos.
 
Para que o nosso coração seja parecido com o de Jesus é importante sermos leais e sinceros e saber guardar segredo sobre o que elas nos comunicam. Só assim merecemos que eles nos comuniquem o melhor e o mais íntimo de si.
 
É muito importante dar valor às coisas boas que os outros fazem e não pensar que essas coisas não prestam só porque não foram feitas só por nós.
 
Para termos um coração como o de Jesus é importante tomarmos a sério as amizades. Deus também nos toma a sério e aceita-nos assim como somos.  É importante compreender, aceitar e olhar com respeito a história das outras pessoas, a fim de as podermos aceitar e melhor compreendermos as suas atitudes e comportamentos.
 
É importante olhar com as lentes da fé para as pessoas. Lembremo-nos de proceder de modo a que os outros dêem graças a Deus por nos terem encontrado na vida.
 
Na verdade os outros são um dom de Deus para nós, pois ninguém se pode realizar sozinho.  Lembremo-nos com frequência de que os outros são irmãos que Deus nos dá, a fim de construirmos a família de Deus.
Calmeiro Matias
 

XXVII DOMINGO COMUM

Meditando
Virtudes gémeas
Um dia o Senhor Todo-Poderoso convidou para uma festa no Paraíso, todas as Virtudes. Cheias de alegria, rodearam o Trono de Deus, louvando o Senhor, como se se encontrassem na sua própria casa: todas as Virtudes se conheciam...excepto duas. Uma disse à outra:
- Estou contente por te conhecer. Nunca te vi antes. Deves ser uma virtude bastante nova.
- Também eu estou satisfeita por te cumprimentar pela primeira vez. Tu é que deves ser novata nesta família.
Deus, a quem nada escapa, mostrou um rosto pensativo e declarou:
- Como é que vós as duas, as mais belas Virtudes, não se conheciam ainda? Daqui para a frente deveis andar sempre de mãos dadas, para que ninguém fique privado da alegria da vossa companhia.
Sabeis de que Virtudes se tratava? Uma era a Beneficência e a outra o Reconhecimento!
O eco do profeta Isaías ainda se faz ouvir hoje: "Que mais Deus podia fazer à sua vinha que não tenha feito? E quando esperava que viesse a dar uvas, apenas produziu agraços."
E Jesus concluiu: "Ser-vos-á tirado o reino de Deus e dado a um povo que produza os seus frutos."
Pe. José David Quintal Vieira, scj
 

MEDITAR

 
À PROCURA DA PERFEIÇÃO
 
«No tempo em que vivemos, o sucesso imperioso tornou-se a nossa cruz, passou a determinar o nosso encontro com os outros. Junto com uma insaciável necessidade de louvores e confirmação da nossa superioridade em relação ao comum dos mortais, carregamos o medo aflitivo de falhar.

Que importam os nossos sentimentos? Que importa a nossa capacidade de rir, de brincar, de termos um gesto de ternura, de nos emocionarmos? Que importa a nossa vontade de afagar um animal ou de cuidar de uma planta? Que importa a satisfação que nos dá apanhar amoras num silvado ou uma pena que voou ao nosso encontro?
 
Nada disso conta para a nossa avaliação.
 
Só pelo sucesso somos medidos, ainda que muitas vezes ele assente no esforço ou, pior ainda, no fracasso alheio.

E se voltássemos ao princípio de nós? E se nos atrevêssemos a ser o que verdadeiramente somos, acreditando que pode haver quem nos ame mesmo assim?
 
Se Deus nos quisesse perfeitos, tinha-nos feito perfeitos, mas preferiu criar seres em movimento, à procura da perfeição. Da nossa e da alheia.»
 
Henrique Manuel, em Mas Há Sinais...
 

CONTO (371)

 
 

AS BANANAS

Um viajante decidiu passar algumas semanas num mosteiro do Nepal.
Certa tarde, entrou num dos muitos templos do mosteiro e encontrou um monge sorridente, sentado junto do altar. Perguntou ao monge:
- Por que é que está a sorrir?
O monge abriu uma bolsa que trazia consigo e disse:
- Porque descobri o significado das bananas.
O viajante, admirado, perguntou:
- Não estou a perceber?
O monge tirou então de dentro do saco uma banana podre por dentro e disse:
- Esta é a vida que passou e não foi aproveitada no momento certo. Agora é tarde demais.
Em seguida, tirou uma banana ainda verde. Mostrou-a, tornou a guardá-la e disse:
- Esta é a vida que ainda não aconteceu. É preciso esperar pelo momento certo.
Finalmente, tirou uma banana madura. Descascou-a e repartiu-a com o viajante, dizendo:
- Este é o momento presente. Procuremos saboreá-lo com alegria.
 
 In TUTTI FRUTTI  de Pedrosa Ferreira
 
 

 

"A Grande doença é a doença da alma. Nós, os índios, só pedimos uma coisa: Lembre sempre quem você é, lembre sempre da sua essência. Essa lembrança, por si só, pode te curar."
Kaká Werá Jecupé - Índio Guarani 

 

INFORMAÇÕES

 

REUNIÃO DE CATEQUISTAS

A Semana da Educação Cristã é de 2 a 7 de Outubro.
O Secretariado Nacional escolheu como tema para esta semana: “ Família, transmissão e educação da fé”.
A família é a primeira escola das virtudes sociais de que as sociedades têm necessidade… A família é a primeira, mas não a única e exclusiva comunidade educativa” (João Paulo II, FC ns 36 e 40).
“A família, como a Igreja, tem por dever ser um espaço onde o Evangelho é transmitido e de onde o Evangelho irradia… Os pais não somente comunicam aos filhos o Evangelho, mas podem receber deles o mesmo Evangelho profundamente vivido” (Paulo VI, EN n.71).
 
Durante esta semana devemos preparar as catequeses paroquiais para que possam começar em pleno no dia 9 de Outubro.
 
Quarta feira - Reunião de catequistas no Norte Grande às 19 horas e no Norte Pequeno às 19h30.
Quinta feira - Reunião de catequista nos Biscoitos às 19h30.
Sexta feira - Reunião de catequistas na Calheta às 19 horas e na Ribeira Seca às 19h30.
 
 

FESTA DE SÃO MIGUEL

RIBEIRA DA AREIA.

Festa de São Miguel Arcanjo - dia 9 de Outubro com Eucaristia às 13 horas seguida de procissão.

Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 504

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 827

Pensamento da Semana

Dá-nos um coração claro que veja o céu aberto
e o mundo como os olhos de uma criança,
olhos de confiança e de descoberta
que nos salvem dos hábitos.

 

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas