Nº 1066

 

Não és perfeito!

Não somos perfeitos. Mas não são raras as vezes em que gostaríamos que isso fosse diferente. Que soubéssemos sempre o que fazer, o que dizer… que fosse fácil perceber o que os outros precisam em cada momento. Que todos nos amassem. Que conseguíssemos amar, também, os outros de forma plena, profunda e repleta de tudo o que é bom e bonito.

 Também não seria mau se pudéssemos ser uma versão admirável de nós mesmos. Bonitos no exterior, interiormente, saudáveis, seguros e profundamente felizes.

 Escrever este “sonho” desta forma quase que nos faz rir. Impossível. Arrisco-me a dizer que ainda bem que é impossível ser perfeito. Ainda bem que não temos sempre as palavras certas ou bonitas. Ainda bem que sabemos o que é ser mesquinho, impaciente, mentiroso ou coscuvilheiro. E, neste momento, já o nosso interior está aos gritos: isso não sou. Isso não. Eu não.

 Tu sim. Eu sim. Nós sim.

 Todos conhecemos versões menos boas de nós. Momentos menos felizes. Todos temos as nossas partes feias. Escuras. Imperfeitas e toscas. E ainda bem. São as nossas quedas que nos ensinam coisas importantes sobre o que somos e sobre o que os outros são. São as nossas faltas de comunicação e os nossos mal-entendidos que nos ensinam a comunicar melhor numa próxima vez. São as vezes em que não soubemos amar-nos ou amar os nossos que nos ensinam a apurar a nossa vocação para viver em amor e em alegria (ainda que possa haver tristeza e mágoa, tantas vezes).

 Não somos perfeitos. Não conseguimos ser tudo, para todos, em todos os momentos.

Não saberemos sempre o que fazer ou como agir.

Não conseguiremos, sempre, ser calmos e devolver alegria.

Não saberemos sempre o caminho a seguir.

Vamos querer desistir. Vamos precisar que nos ajudem e que nos deem a mão.

 É esta imperfeição que nos ensinará a ser melhores amigos, namorados, maridos, companheiros e companheiras, colegas, pessoas.

É esta imperfeição que nos mostrará que precisamos uns dos outros para chegar ao que somos de melhor.

Marta Arrais

 

MEDITAR

A MELHOR METÁFORA DE DEUS

A parábola de Jesus mais conhecida, e talvez a mais repetida, é a chamada "parábola do bom pai". O que aqueles que ouviram pela primeira vez sentiram esta inesquecível parábola sobre a bondade de um pai preocupado apenas com a felicidade de seus filhos?

Sem dúvida, desde o início, eles ficaram perplexos. Que tipo de pai era esse que não impunha a sua autoridade? Como  poderia ele consentir o despudor de um filho que lhe pediu para distribuir a herança antes de morrer? Como  poderia ele dividir a sua propriedade, colocando em risco o futuro da família?

Jesus desconcertou-os  ainda mais quando começou a falar das boas-vindas do pai ao filho que voltava para casa faminto e humilhado. Ainda longe, o pai correu ao seu encontro, abraçou-o com ternura, beijou-o efusivamente, interrompeu a sua confissão e apressou-se a recebê-lo como filho amado na sua casa. Os ouvintes não podiam acreditar. Aquele pai havia perdido a dignidade. Ele não agia como patrono e patriarca de uma família. Seus maneirismos eram os de uma mãe tentando proteger e defender o seu filho da vergonha e da desonra.

Mais tarde, ele também saiu ao encontro do filho mais velho. Ele ouviu pacientemente as suas acusações, falou com ele com especial ternura e convidou-o para a festa. Ele só queria ver os seus filhos sentados na mesma mesa, compartilhando um banquete festivo.

O que Jesus estava sugerindo? É possível que Deus seja assim? Como um pai que não guarda a sua herança para si, que não é obcecado pela moralidade de seus filhos e que, quebrando as regras do que é certo, busca uma vida feliz para eles? Será esta a melhor metáfora de Deus: um pai acolhendo de braços abertos os "perdidos" e suplicando aos que lhe são fiéis que acolham a todos com amor?

Os teólogos elaboraram discursos profundos sobre Deus durante vinte séculos, mas não é esta metáfora de Jesus ainda hoje a melhor expressão do seu mistério?

José Antonio Pagola

 

Das dificuldades nascem os milagres

Não desanimes. Resiste ao que te seduz a desistir.

 Nada é impossível a quem tem a coragem de viver com fé. Os milagres rodeiam-nos apesar de quase nunca serem aqueles que desejamos.

 Viver é um milagre que nenhum de nós sabe justificar. Porquê eu e não outro qualquer, porque aqui e agora? Mas se aceitarmos esta verdade, então sorrimos e agradecemos, mesmo que por não compreendermos, nos reste apenas acreditar que temos sentido.

 Olha de novo para os grandes momentos da tua vida, obriga-te a repensar se não houve ali algo mais do que o evidente. Se vires de mais perto, é possível que encontres pequenos erros na tua lógica… do que aconteceu e do que não aconteceu.

 O amor é a prova absoluta e incontestável de que este mundo não é feito apenas daquilo que o entendimento humano é capaz de conceber, muito menos daquilo que captam as nossas máquinas.

 Amar é ver com certeza um milagre que é… invisível a todos os outros!

 Não deixes que sejam apenas os teus olhos a dizer-te o que é verdade. Não permitas jamais que a lógica governe o que decides. Os milagres passam sempre despercebidos a quem não tem fé.

 Cuidado, esta confiança não é um passaporte para uma vida isenta de dificuldades e dores, muito pelo contrário… será posta à prova, vezes sem conta.

 Acredita no impossível e farás milagres.

 José Luís Nunes Martins

 

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 

Há barreiras em que é preciso ser pequeno para passar...
Há limites em que é preciso pensar menos para vencer...
Há fronteiras em que é preciso ser muito livre para atravessar...
Há regras diante das quais é preciso amar muito para desobedecer...

E até se ouve, vinda do fim, uma voz que nos segreda que só vivemos uma vez... 

Felizes aqueles em cujo íntimo esta voz se torna uma fonte de Sabedoria.

Rui Santiago Cssr

 


 

INFORMAÇÕES

 

CELEBRAÇÃO NOSSA SENHORA DE FÁTIMA - RIBEIRA SECA

No dia 12 de setembro, segunda-feira, haverá celebração em louvor de Nossa Senhora de Fátima, na Ribeira Seca, às 18:00 horas com recitação do terço, Eucaristia e procissão no interior da igreja.

 

FESTA DE NOSSA SENHORA DAS DORES

FAJÃ DO OUVIDOR

Tríduo - 14, 15 e 16 de setembro às 19h30 horas.

 

Festa dia 18 de setembro: - Eucaristia de festa às 11:00 horas, procissão às 19 horas.

 

Será recitado o terço na Ermida, a partir do dia 11 de setembro, às 19 horas.


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 1066

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 1068

Pensamento da Semana

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 

É ali, bem lá ao fundo, onde o sol se esconde para dormir...

É ali, onde o mar parece acabar, mas não acaba, onde a luz se espalha ao comprido como se estivesse cansada de irradiar...

É ali, naquela linha, vês?

Ali o Céu e a Terra marcaram encontro e trocam segredos, daqueles que são mesmo segredo porque ninguém sabe, só eles...

Ali, ambos se unem no beijo mais longo e apaixonado que algum dia existiu...

Ali, naquela linha, os sonhos nascem e voam até encontrarem corações abertos que os possam acolher e transformar em realidade...

Ali, aquele lugar, chama-se horizonte e eu moro lá muitas vezes...

Eugénia Pereira

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

Visitas


Ver Estatísticas