Nº 1017

 

Porque te amo, Maria?

 

Ó Virgem Imaculada, das mães a mais terna,

Ao escutar Jesus, não te entristeces,

Mas alegras-te por Ele nos fazer entender

que a nossa alma se torna aqui na terra a Sua família.

Sim, alegras-te por Ele nos dar a Sua vida,

Os tesouros infinitos da Sua divindade!

Como poderia não te amar, ó minha mãe querida,

Vendo tanto amor e tanta humildade. [...]

 

Tu amas-nos verdadeiramente como Jesus nos ama

E, por nós, consentes em afastar-te d'Ele.

Amar é tudo dar e dar-se a si mesmo;

Quiseste prová-lo permanecendo como nosso apoio.

O Salvador conhecia a tua imensa ternura,

Sabia dos segredos do teu coração maternal.

Refúgio dos pecadores, foi a ti que Ele nos entregou

Quando deixou a Sua cruz para nos esperar no céu. [...]

 

A casa de São João tornou-se o teu único abrigo;

O filho de Zebedeu vai substituir Jesus.

É o ultimo detalhe que nos dá o Evangelho,

Da Rainha dos Céus não me fala mais.

Mas o seu profundo silêncio, ó minha Mãe querida,

Não mostra que o próprio Verbo eterno

Quer ser Ele a cantar os segredos da tua vida

Para encantar os filhos, todos os eleitos do céu?

 

Em breve irei ouvir essa suave harmonia;

Em breve, no céu tão belo, te verei.

Tu, que me vieste sorrir na manhã da minha vida,

Vem sorrir-me uma vez mais [...] Mãe, eis chegada a noite!

Já não temo o esplendor da tua suprema glória;

Contigo sofri e quero agora

Cantar no teu regaço, Virgem, porque te amo

E dizer, para todo o sempre, que sou tua filha!»

Poesia de Santa Teresinha do Menino Jesus (Adaptado)

 

MEDITAR

ANTES DE SEPARAR

Hoje fala-se cada vez menos em fidelidade. Basta ouvir certas conversas para constatar um clima muito diferente: «Passámos as férias cada um à sua maneira», «o meu marido tem uma relação, foi-me difícil aceitá-lo, mas o que é que eu poderia fazer?» , «É que só me aborreci com o meu marido ».

Alguns casais consideram o amor espontâneo. Se ele germinar e permanecer vivo, está tudo bem. Se esfriar e desaparecer, viver juntos é intolerável. Então, o melhor é separar "de maneira civilizada".

Nem toda a gente reage assim. Há casais que percebem que já não se amam, mas continuam juntos, sem saber explicar exatamente o porquê. Eles apenas  perguntam-se quanto tempo essa situação pode durar. Existem também aqueles que encontraram um amor fora do casamento e estão tão atraídos por esse novo relacionamento que não querem desistir. Eles não querem perder nada, nem o seu casamento nem aquele amor extraconjugal.

As situações são muitas e muitas vezes dolorosas. Mulheres que secretamente choram o seu abandono e humilhação. Cônjuges que estão entediados num relacionamento insuportável. Crianças tristes que sofrem com a mágoa dos seus pais.

Esses casais não precisam de uma "receita" para sair da sua situação. Seria muito fácil. A primeira coisa que podemos oferecer-lhes é respeito, escuta discreta, incentivo para viver e talvez uma palavra lúcida de orientação. No entanto, pode ser aconselhável lembrar algumas etapas críticas que você precisa realizar sempre.

A primeira coisa é não desistir do diálogo. A relação deve ser esclarecida. Revelando com sinceridade o que cada um sente e vivencia. Tente entender o que está por trás desse mal-estar crescente. Descubra o que não funciona. Nomeando tantas queixas mútuas que se acumularam sem nunca serem elucidadas.

Mas o diálogo não é suficiente. Certas crises não se resolvem sem generosidade e espírito de nobreza. Se cada um se fecha numa posição de mesquinho egoísmo, o conflito  agrava-se, os ânimos sobem e o que antes era amor pode transformar-se em ódio secreto e agressividade mútua.

Também deve ser lembrado que o amor é vivido na vida comum e repetido no dia a dia. Cada dia vivido juntos, cada alegria e cada sofrimento partilhado, cada problema vivido a dois, dão verdadeira consistência ao amor. A frase de Jesus: “O que Deus uniu, o homem não deve separar”, tem as suas exigências muito antes de chegar o rompimento, porque os casais vão se separando gradativamente, na vida quotidiana.

 José António Pagola (adaptado)

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 

Não importa o quanto às vezes seja difícil, o quanto às vezes eu me atrapalhe, o quanto às vezes eu seja a densa nuvem que esconde o meu próprio sol, quantas vezes seja preciso recomeçar: combinei comigo não desistir de mim.

Quanto mais o tempo passa, mais amorosamente, mais contente, mais compassiva, eu cumpro esse trato.

Ana Jácomo


 

INFORMAÇÕES

 

HORÁRIOS DA CATEQUESE NA RIBEIRA SECA

 

1º Ano - Filomena Oliveira - 2ª Feira às 16h 30

 

2º Ano - Alexandrina Enes - 2ª Feira às 16h 30

 

3º Ano -Elisabete Silveira- 2ª Feira às 16h 30

  

4º Ano - Laudelina Brasil - 3ª Feira às 16h 30

 

5º Ano -  Susana Ávila - 2ª Feira às 17h 30

 

6º  Ano - Fátima Homem - 2ª Feira às 17h30

 

7º  Ano - Susana Fontes  - 4ª Feira às 17h 30

 

8º  Ano -  Graciete Alves - 3ª Feira às 17h 30

 

9º  Ano -  Elisete Silveira  - 2ª Feira às 17h 30

 

10º Ano-   Pe. Alexandre Medeiros - 6ª Feira às 17h 30 

 

 

 

HORÁRIOS DA CATEQUESE NOS BISCOITOS

 

1° ano: Andreia Sousa ao domingo depois da missa.

 

4° ano: Paula Azevedo à sexta às 17:30.

 

5° ano: Anabela Santos ao domingo depois da missa.

 

6° ano: Marleen Rocha ao domingo depois da missa.

 

7° ano: Carolina Matos dia e hora a combinar com os pais.

 

8° ano: Sandra Nascimento e Marlene Santos à sexta às 17:30.

 

9° ano: Angelina Rocha ao domingo depois da missa.

 

 

HORÁRIOS DA CATEQUESE NAS MANADAS

 

1º Ano - Manuela Ávila  - Sábado às 17 horas

 

2º Ano - Natalie Borges - Domingo  às 11 horas

  

4º Ano - Dália Ávila - 4ª Feiras às 18h 30

 

5º Ano -  Maria Adelaide Cordeiro - Domingo às 11 horas

 

6º  Ano - Teodora Sousa - Sábado às 11 horas

 

7º  Ano - Arlinda Gomes  - 2ª Feira às 15 horas

 

8º  Ano - Conceição Silveira - 3ª Feira às 19 horas 

 

9º  Ano -  Vítor Reis  - Sábado às 18 horas

 

10º Ano -  Márcia Azevedo  - 5ª Feira às 18 horas 


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 1017

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 1019

Pensamento da Semana

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 

A justiça, sem amor, faz-te duro 
A inteligência, sem amor, faz-te cruel. 
A amabilidade, sem amor, faz-te hipócrita. 
A fé, sem amor, faz-te fanático. 
O dever, sem amor, faz-te mal-humorado. 
A cultura, sem amor, faz-te distante. 
A ordem, sem amor, faz-te complicado. 
O apostolado, sem amor, faz-te estranho. 
A amizade, sem amor, faz-te interessado. 
O possuir, sem amor, faz-te avarento. 
A responsabilidade, sem amor, faz-te implacável. 
A ambição, sem amor, faz-te injusto


José Miguel

 

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

Visitas


Ver Estatísticas