nº 1015

 

Quanto maior o coração...

Jesus disse, então, aos seus discípulos: 

«Se alguém quer vir atrás de mim, renegue-se a si mesmo, 

tome a sua cruz e siga-me. (Mt, 16, 24)

 

Qual é a cruz que sou chamada a tomar? Quais são as minhas ações? Como tem sido o meu discipulado?

Talvez seja mais fácil começar pelo fim: nestes últimos meses o meu discipulado tem sido tépido e insosso, com rasgos de fervor. 

Se, por um lado, te fazes sentir com mais intensidade nos momentos em que me sinto desfalecer, por outro, estou demasiado acomodada às ‘tele-obrigações’ que me dispensam de pensar e de servir. Ou melhor dizendo que me dispensam de amar, já que os que habitualmente nos são confiados não cabem nas paredes do nosso confinamento. 

E a minha imagem vai ficando cada vez menos semelhante à Tua, o meu coração cada vez mais atrofiado e a minha humanidade cada vez mais desumana. 

Amo-te na minha incoerência! Que Te amo não tenho dúvidas! Todo o meu ser se deleita na Tua presença. As minhas entranhas se revolvem e os meus olhos se comovem. Estremeço de alegria diante da Tua Palavra, inebrio-me com o perfume de paz exalado pelo Teu Espírito. Todo o meu ser quer saber responder a tanto amor. Todo o meu ser quer corresponder à Tua vontade, gritando do topo da montanha "ecce venio, ecce ancilla!" Mas rapidamente esmorece a força da minha determinação e o corajoso fiat se amedronta num "espera só mais um pouquinho". Porquê? De onde me vem tanta resistência? Sinto a frustração latente nas palavras de S. Paulo: “em mim, que quero fazer o bem, só o mal está ao meu alcance” (Rom 7, 21). 

O estado de emergência, mergulhou a minha alma num estado de calamidade do qual preciso de ser resgatada. Resgatada por Ti. Porque me amas. Porque conheces bem a diferença entre o Teu ágape e a minha philia (cf. Jo 21, 15-17). Porque és paciente. Porque conheces o meu coração, os meus cansaços e as minhas feridas. Porque, ainda assim, queres continuar a escrever a nossa história com os lápis da nossa cruz. Na borracha, a Tua misericórdia, disposta a corrigir as minhas errâncias, no grafite, o incenso com que louvo as maravilhas que fazes em, através e apesar de mim, e no papel, o ponto de encontro para o caminho que percorremos juntos. 

Continuo sem saber qual é a cruz que me chamas a tomar, mas sei que não há cruz sem coração, pois foi ainda pregado nela que jorrou sangue e água do teu (cf. Jo 19, 34) para me salvar. Peço-te que tornes o meu coração mais semelhante ao Teu, esvaziando-o de todo o orgulho para o encheres com a mansidão da Tua humildade. Porque quanto maior o coração, mais leve é cruz.

Raquel Dias

 

MEDITAR

IMPORTANTES

Certamente, os nossos critérios não coincidem com os de Jesus. Quem de nós pode pensar hoje que os homens e mulheres mais importantes são aqueles que vivem ao serviço dos outros?

Para nós, importante é o homem de prestígio, seguro de si mesmo, que alcançou o sucesso em algum estado da vida, que conseguiu sobressair sobre os outros e ser aplaudido pelas pessoas. Essas pessoas cujo rosto podemos ver constantemente na televisão: líderes políticos, «prémios Nobel», cantores da moda, atletas excecionais... quem pode ser mais importante que eles?

Segundo o critério de Jesus, simplesmente esses milhares e milhares de homens e mulheres anónimos, de rosto desconhecido, a quem ninguém prestará qualquer homenagem, mas que se esforçam em serviço desinteressado aos outros. Pessoas que não vivem para o seu êxito pessoal. Pessoas que não pensam só em satisfazer egoisticamente os seus desejos, mas que se preocupam com a felicidade dos outros.

Segundo Jesus, há uma grandeza na vida destas pessoas que não conseguem ser felizes sem a felicidade dos outros. A sua vida é um mistério de entrega e desinteresse. Sabem pôr a sua vida à disposição dos outros. Atuam movidos pela sua bondade. A solidariedade anima o seu trabalho, as suas tarefas diárias, as suas relações, a sua convivência.

Não vivem só para trabalhar nem para desfrutar. A sua vida não se reduz a cumprir as suas obrigações profissionais ou a executar diligentemente as suas tarefas. A sua vida encerra algo mais. Vivem de maneira criativa. Cada pessoa que encontram no seu caminho, cada dor que percebem à sua volta, cada problema que surge perto deles é uma chamada que os convida a atuar, servir e ajudar.

Podem parecer os «últimos», mas a sua vida é verdadeiramente grande. Todos sabemos que uma vida de amor e serviço desinteressado vale a pena, mesmo que não nos atrevamos a vivê-la. Talvez tenhamos que rezar humildemente como fazia Teilhard de Chardin: «Senhor, responderei à tua inspiração profunda que me ordena existir, tendo o cuidado de não afogar, nem desviar nem desperdiçar a minha força de amar e fazer o bem».

José António Pagola

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 

Educar é produzir um homem feliz e sábio. Educar é produzir um homem que ama o espetáculo da vida. Desse amor, emana a fonte da inteligência. Educar é produzir uma sinfonia em que rimam dois mundos: o das ideias e o das emoções.

 

Há dois tipos de educação: a que informa e a que forma. A educação que informa ensina o homem a conhecer o mundo em que habita; a educação que forma vai além, ensina-o também a conhecer o mundo que ele é.

Augusto Cury


 

INFORMAÇÕES

 ESCOLA DE FORMAÇÃO - OUVIDORIA DE SÃO JORGE

Com o tema: “ano litúrgico”, vamos realizar uma ação de formação aberta a todas as pessoas nos dias:

- 29 de setembro, às 20 horas, Igreja de São Francisco, Topo;

- 30 de setembro, às 20 horas, Pousada da Juventude, Calheta;

- 1 de outubro, às 20 horas, Boa Hora.

O Formador é o Dr. Jorge Ferreira, Vigário Episcopal para a Formação.

 

ESOLA DE MÚSICA

A Sociedade União Popular da Ribeira Seca, vai continuar com a escola de Música, importante meio para a renovação e continuidade da Filarmónica. Estão abertas as inscrições que devem ser feitas junto da Direção ou na própria Sociedade.

Pedimos a colaboração de todos para o bem da Filarmónica.

 

CLÍNICA DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DA CALHETA

A Direção da Associação de Bombeiros Voluntários da Calheta informa que estará na Clínica da Instituição a  Dr.ª Renata Gomes, Cardiologista, em outubro; Dr. Brasil Toste, Otorrinolaringologista, 18 de outubro; Dr.ª Lourdes Sousa, Dermatologista, em fevereiro/março de 2022; Dr.ª Paula Pires, Neurologista e neuropediatra, em dezembro de 2021; Elisabel Barcelos, Psicóloga Clinica e Formadora, nas áreas de avaliação Psicológica de Condutores (Testes psicotécnicos), Avaliação Psicológica, acompanhamento Psicológico e formação em temas ligados à Saúde Mental e /ou Psicologia, às quartas-feiras; Paula Ribeirinho, Terapeuta da Fala às segundas-feiras.

Os interessados podem fazer as suas marcações para os números 295460111 ou por email: abvc.geral@gmail.com.

 

TRANSPORTES

A Câmara Municipal da Calheta disponibiliza transporte a todos os cidadãos que necessitem deslocar-se para exercer o seu direito de voto no dia 26 de setembro:

- viatura sai da Fajã dos Vimes  às 9 horas passando pelo Portal,

- Viatura sai às 14 horas do Loural,

- viatura sai dos Biscoitos 11h30.

 

FESTA DO BOM JESUS

FAJÃ GRANDE

Tríduo: 22, 23 e 24 de setembro às 20 horas.

Festa dia 26 de setembro:

                        - Eucaristia de festa às 16 horas seguida de procissão.


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: nº 1015

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 1020

Pensamento da Semana

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 Se queres ser sábio, aprende a questionar com razoabilidade, a ouvir com atenção, a responder com serenidade e a ficar em silêncio quando não tiveres nada a dizer.

Johann Kaspar Lavater

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

Visitas


Ver Estatísticas