Nº 959

 

O FOGO QUE DÁ BRILHO AO OLHAR

 Em certos momentos da nossa vida é chegada a hora de enfrentar os perigos de uma viagem cheia de sombras e medos, partindo em direção ao mais profundo de nós... ao infinito mistério onde a chama do nosso coração arde. Aí se encontra a paz verdadeira que se vai perdendo por entre tantos ruídos e pressas.

 É tempo de pensar em cada pilar da nossa vida… em cada decisão. Separando o que é essencial do que o não é. O que tem valor do que apenas parece. Compreender o tempo e as forças aplicadas no sentido correto e as que foram perdidas em vão. A pouco e pouco, de forma calma, vão surgindo pistas e sinais importantes... é preciso ter sossego, paciência e atenção.

 Não devemos decidir nada de importante sem antes o avaliarmos no sossego do nosso coração. As grandes viagens começam sempre muito tempo antes da partida. As nossas maiores obras surgem sempre primeiro no silêncio íntimo da nossa alma.

 É no mais fundo de mim que me encontro. Só aí sou... eu.

 Estou sozinho no mundo? O que é importante na vida? O que devo levar do meu passado para o meu futuro? Que significo eu para os outros?

  Há quem muito viaje (pelo mundo e pelos sonhos) para fugir de si mesmo. Há também quem desperdice os seus dias com preocupações vazias… fazendo de tudo para viver longe da realidade. E ainda há quem viva sem abrigo, fora de si. Quem busque em todas as coisas do mundo o que traz no fundo do seu coração. É preciso coragem para parar e se deixar apanhar por este rasgo de silêncio que tudo muda.

 Ninguém se pode abrir ao exterior se não conseguir abrir-se ao seu interior. A conquista da felicidade é  sempre feita a partir de dentro.

 As feridas profundas não saram se estiverem tapadas. Apenas se agravam enquanto não formos capazes de as assumir. De lhe darmos ar e tempo... de lhes dedicarmos o amor que precisam.

 A intimidade assusta. O interior é apenas o que está debaixo da superfície. O íntimo é bem mais profundo, é a essência, a base dinâmica da nossa existência. Somos muitas vezes estranhos a nós mesmos. Quando, na verdade, o verdadeiro silêncio chama por nós desde sempre...

 Valemos muito, mas só pelo que formos capazes de levar à vida dos outros. Pelos fogos que formos capazes de atear e alimentar no coração dos que connosco se cruzam... partilhando a nossa luz e calor. No final, só o amor conta, tudo o mais é escuro e frio.

  O brilho do nosso olhar resulta do fogo que, apesar de tudo, conseguimos manter aceso no fundo do nosso coração.

 O fogo do amor não consome nem destrói. Aquece, ilumina e aperfeiçoa.

 Somos uma luz. Para os outros.

José Luís Nunes Martins (Adaptado)

 

MEDITAR

O que nós dizemos

Também hoje dirige Jesus a nós cristãos a mesma pergunta que fez um dia aos Seus discípulos: «E vós, quem dizeis que Eu sou?». Não nos pergunta só para que nos pronunciemos sobre a Sua identidade misteriosa, mas também para que revisemos a nossa relação com Ele. Que podemos responder-lhe desde as nossas comunidades?

 

Esforçamo-nos por conhecer cada vez melhor Jesus ou temo-Lo «encerrado nos nossos velhos esquemas entediantes» de sempre? Somos comunidades vivas, interessadas em colocar Jesus no centro da nossa vida e das nossas atividades ou vivemos estancados na rotina e na mediocridade?

 

Amamos Jesus com paixão ou converteu-se para nós num personagem gasto a quem continuamos a invocar enquanto no nosso coração vai crescendo a indiferença e o esquecimento? Quem se aproxima das nossas comunidades pode sentir a força e o atrativo que têm para nós?

 

Sentimo-nos discípulos de Jesus? Estamos aprendendo a viver com o Seu estilo de vida no meio da sociedade atual ou deixamo-nos arrastar por qualquer reclame mais apetecível para os nossos interesses? Será que nos é igual viver de qualquer forma ou temos feito da nossa comunidade uma escola para aprender a viver como Jesus?

 

Estamos a aprender a ver a vida como Ele a vê? Olhamos, a partir das nossas comunidades, os necessitados e excluídos com compaixão e responsabilidade ou encerramo-nos nas nossas celebrações, indiferentes ao sofrimento dos mais desvalidos e esquecidos: os que foram sempre os prediletos de Jesus?

 

Seguimos Jesus colaborando com Ele no projeto humanizador do Pai ou continuamos a pensar que o mais importante do cristianismo é preocupar-nos com a nossa salvação? Estamos convencidos de que a melhor forma de seguir Jesus é viver cada dia tornando a vida mais humana e melhor para todos?

 

Vivemos o domingo Cristão celebrando a ressurreição de Cristo? Acreditamos em Jesus ressuscitado, que caminha connosco cheio de vida? Vivemos acolhendo nas nossas comunidades a paz que nos deixa como herança aos Seus seguidores? Acreditamos que Jesus nos ama com um amor que nunca acabará? Acreditamos na Sua força ressuscitadora? Sabemos ser testemunhas do mistério da esperança que levamos dentro de nós?

José António Pagola 

 

SÊ BOM PARA CONTIGO

 

Ser bondoso para contigo significa
olhares para ti com humanidade.
Ser bondoso significa sentires-te bem contigo próprio.
É reconhecer a criança ferida que existe em ti
e usares de misericórdia para com ela;
olhar para as próprias feridas com o olhar
compassivo do coração e agir com uma
dedicação sincera.
Não deves enfurecer-te com as tuas próprias fraquezas,
mas sim olhá-las com amor e aceitá-las.
Só um olhar carinhoso pode fazer com
que as nossas fraquezas se transformem.

Não dificultes a tua vida
ao levar demasiado a sério
aquilo que não te agrada em ti
e o que te aborrece nos outros.
Vive e deixa viver.
Vê para lá das coisas.

Anselm Grün (Adaptado)

 PENSAMENTO DA SEMANA

 De mochila às costas.

grandes sonhos não trago. muito menos coisas. mas Esperanças!
Daquelas de que são feitos projetos e aquelas com que se concretizam programas.
Nada há de mais firme do que a Esperança.
É como rocha debaixo dos pés. Chão seguro. Sepultura de medos.
Esperança,

Dá-me horizonte para onde olhar.
Olhos abertos atentos aos pequenos sinais,
Ouvidos atentos aos rumores da vida que impregna os dias,
Esperança, enche o olhar de Beleza e aponta tanta Beleza para onde olhar.

 

Daniel Ferreira


 

INFORMAÇÕES

 

FESTA DE NOSSA SENHORA DO LIVRAMENTO - LOURAL

Missa de Festa: 30 de agosto às 12h30.

 

FESTA DE SANTA FILOMENA - PENEDIA

 Missa de Festa: 30 de agosto às 10h30.

 

FESTA DE NOSSA SENHORA DA ENCARNAÇÃO

RIBEIRA DO NABO

Missa de Festa - dia 30 de agosto às 19h30.

 

CLÍNICA DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DA CALHETA

A Direção da Associação de Bombeiros Voluntários da Calheta informa que estará na Clínica da Instituição os: Dr. Tiago Ribeiro, osteopata (massagem terapêutica), 26 de agosto e no mês de setembro em dias a marcar; Dr.ª Renata Gomes, Cardiologista, a 27 de agosto; Dr. Brasil Toste, Otorrinolaringologista, em setembro; Dr.ª Lourdes Sousa, Dermatologista de 28 a 31 de agosto; Elisabel Barcelos, Psicóloga Clinica e Formadora, nas áreas de avaliação Psicológica de Condutores (Testes psicotécnicos), Avaliação Psicológica, acompanhamento Psicológico e formação em temas ligados à Saúde Mental e /ou Psicologia, quintas e sextas-feiras.

Os interessados podem fazer as suas marcações para os números 295 460 110/ 295460111.


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 959

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 1014

Pensamento da Semana

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 

Agarra-te à Esperança com força, com toda a força de que és capaz...

Quem Espera, vive de olhos postos num Novo Dia que vem. E assim, com a vida iluminada por essa Esperança, quem Espera vence obstáculos, derruba barreiras, ergue-se das quedas e caminha feliz.

Não importam as feridas abertas nem as cicatrizes para quem acredita na cura e sabe que sempre é tempo de recomeçar.

Agarra-te à Esperança... e se a sentires apagar-se, renova-a, pois quem não Espera, não Vive.

De Coração para coração

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

Visitas


Ver Estatísticas