Nº 896

 

O SORRISO NA CRUZ
Olhemos para um marco histórico da vida de S. Francisco Xavier, o grande missionário jesuíta, que tinha na sua capela do castelo onde nasceu uma representação de Cristo a sorrir na cruz: um sorriso que só é visível para quem olha bem debaixo da cruz, para quem alcança a humildade de se ajoelhar diante da Cruz do Senhor.
A sorrir na cruz? Mas como?! Não há qualquer ligação humana nesta relação… Na verdade não há, mas Cristo sorriu, seguramente sem hipocrisia, na autenticidade que caracteriza a Sua vida entregue livremente por ti e por mim.
A ilustração da cruz sorridente do castelo de Xavier revela a liberdade de quem cumpre sempre a vontade d’Aquele que O enviou, a vontade do Pai. Por Ele e com Ele, o Filho chora e crucifica-Se livremente para que tu e eu sejamos salvos. Quando rezava no Monte das Oliveiras, o Seu “suor tornou-se-lhe como grossas gotas de sangue, que caíam na terra”, gotas que revelam o sorriso de quem leva a missão confiada até ao limite dos limites, vivendo connosco para sempre.
Em Jesus encontramos o alimento da alegria e do sorriso. Em Caná, Jesus espera e diz que “ainda não chegou a minha hora” porque quem não espera, desespera! Jesus é a “Ressurreição e a Vida” e cumpre até ao fim a vontade do Pai, mesmo quando suplica “Pai, se quiseres, afasta de mim este cálice; contudo, não se faça a minha vontade, mas a Tua”. Depois da Ressurreição, os discípulos foram para o monte na Galileia, tal como Jesus lhes tinha indicado. Diz a Escritura que alguns “ainda duvidavam”.
Ainda assim, Jesus envia-os, dizendo “Ide, pois, fazei discípulos de todos os povos”. Tudo na certeza que o próprio Jesus nos deixou: “Eu estarei sempre convosco até ao fim dos tempos”.
Podemos viver hoje este mistério do sorriso eterno em cada Eucaristia onde estão «verdadeiramente contidos, real e substancialmente, o Corpo e o Sangue, juntamente com a alma e a divindade de nosso Senhor Jesus Cristo”, tal como reza o sagrado Concílio de Trento. O próprio Jesus terá dito: “Tomai e comei: Isto é o meu corpo”. Ali, lugar e tempo por excelência onde entregamos as nossas alegrias e tristezas, o que temos e o não temos, a eternidade acontece. Mais do que tudo, encontramos Cristo de braços abertos, sorrindo como sorriu no envio dos apóstolos e na Cruz de Xavier. Sobre essa Cruz Jesus suporta as nossas fragilidades.
Só quem não desespera….
Só quem vive o silêncio do peso da cruz…
Só quem experimenta o consolo da entrega…
Só quem bebe do cálice da salvação…
Só quem vence a morte, e vive para sempre…
… é capaz de sorrir verdadeira e eternamente!
E em todos estes momentos Cristo sorriu!
O sorriso de Cristo inspira-nos!
Bernardo Teixeira (adaptado)
 
Saber perdoar
Um dia o Zeca regressou da escola cheio de raiva. Antes que o pai lhe perguntasse alguma coisa, gritou irritado:
– O Pedro não devia ter feito aquilo para comigo. Humilhou-me à vista de todos. Quero que ele sofra como eu. Quem me dera que ele parta uma perna…
O pai escutou tudo calado enquanto caminhou para o fundo do jardim onde guardava um saco cheio de carvão. O Zeca viu o saco aberto e o pai a propor-lhe:
– Filho, faz de conta que aquela camisa branca a secar no varal é o amigo que te ofendeu e cada pedaço de carvão é uma acusação que tens contra ele. Atira-lhe este carvão todo.
O miúdo achou a brincadeira divertida e descarregou assim a sua fúria mas a camisa estava longe demais e poucos pedaços acertaram o alvo. No final sentiu-se cansado mas satisfeito por ter conseguido alguma coisa. O pai levou-o então até ao espelho do quarto onde pôde ver a sua figura toda suja de carvão. Só enxergava os dentes e os olhos. O pai concluiu ternamente:
– Filho, viste que aquela camisa quase que nem se sujou mas, olha para ti. O mal que desejamos aos outros é aquilo que nos desfigura. Por mais que possamos atrapalhar a vida de alguém com as nossas acusações, a borra, os resíduos e a fuligem ficam sempre em nós mesmos.
Jesus ensinou o mesmo: quem não tiver pecado que atire a primeira pedra!
Pe. José David Quintal Vieira, scj
MEDITAR
 
A VIDA É UMA VIAGEM...
Tem um ponto de partida, o que significa, à partida, que há um ponto de chegada. Mais tarde ou mais cedo, chegamos ao sítio que nos espera, mesmo que nós não o esperássemos. E, até lá chegarmos, não sabemos como chegar ou por onde ir. Só sabemos que vamos e que temos de fazer escolhas.
E muitos são os caminhos. Muitos são becos sem saída, outros são encruzilhadas e obrigam-nos a escolher uma direção sem que a vida nos diga qual é a próxima paragem nem quantos quilómetros nos restam até ao próximo posto de abastecimento. A vida não tem mapa e não nos diz como ler os sinais. E muitas vezes temos de arriscar-nos a ficar a meio do caminho… quantas vezes nos doem as pernas e os pés … quantas vezes temos vontade de desistir… mas não podemos sair de nós em andamento…
Acontece, por vezes, passar alguém que nos dá boleia e que nos ajuda a percorrer uma parte do caminho. Acontece encontrarmos alguém que consegue fazer com que um caminho errado seja apenas um atalho para um encontro feliz, acontece encontrarmos alguém que consegue fazer com que qualquer caminho faça sentido. Mesmo que proibido, será sempre único.
Eu só gostava de chegar ao fim da linha e saber que nunca deixei ninguém a pé.
 
Lado.a.Lado

 

 

PENSAMENTO DA SEMANA
 
 
Passar à outra margem não significa necessariamente uma deslocação para outra parte diferente daquela onde já nos encontramos.
Às vezes tudo o que nos falta é habitar a nossa vida de outro modo.
É simplesmente caminhar com outro passo pelos caminhos que já fazemos todos os dias.
É abrir a quotidiana janela, mas devagar, tendo consciência de que a abrimos.
É reaprender outra qualidade para um quotidiano talvez demasiado abandonado às rotinas e aos seus automatismos.
 
José Tolentino Mendonça

 

INFORMAÇÕES
ADORAÇÃO DO SANTÍSSIMO SACRAMENTO
BISCOITOS - 3ª feira, 9 de abril, das 18 horas  às 19 horas, seguindo-se a celebração da Eucaristia.

 

MANADAS - 5ª feira, 11 de abril, das 10 horas  às 11 horas, seguindo-se a celebração da Eucaristia.

 

RIBEIRA SECA - 6ª feira, 12 de abril, das 17h30 às 19 horas, seguindo-se a celebração da Eucaristia.

 

 

 

CONFISSÕES

 

Biscoitos - 3ª feira, 9 de abril das 18 às 19 horas.
Norte Grande - Norte Pequeno e Santo António - 5ª feira, 11 de abril, a partir das 14 horas.

 

Beira - 5ª feira, 11 de abril, a partir das 16h30

 

Ribeira Seca - 6ª feira, 12 de abril, das 17h30 às 19 horas.

 

Urzelina - 14 de abril, a partir das 17 horas. Santa Unção na Missa.
 

 

VISITA DO PÁROCO AOS DOENTES

 

Ribeira Seca -  2ª feira, 8 de abril a partir das 10 horas (Filomena Oliveira); a partir das 15 horas (Laudelina Brasil).

 

3ª feira, 9 de abril, a partir das 9h30 (Noélia Ávila)

 

 

 

NOSSA SENHORA de FÁTIMA na RIBEIRA SECA

 

Sexta-feira, dia 12 de abril, às 18h30 haverá recitação do terço, seguida de Eucaristia e procissão no interior da Igreja.

 

 

 

DIA MUNDIAL DA JUVENTUDE

 

No próximo dia 13 de abril vamos viver o Dia Mundial da Juventude, na ilha de São Jorge. Será na Paróquia da Urzelina com o seguinte horário;

 

10h30 - concentração no fundo da Urzelina.

 

11h00 - caminhada até largo e organização da procissão de Ramos até à Igreja Paroquial onde será celebrada a Eucaristia,

 

Após a Eucaristia faremos o almoço partilhado no Salão Paroquial, após o qual haverá um breve intervalo para preparar o Salão para as apresentações dos grupos que se inscreverem,

 

O Tema deste ano é: “ SER + IGREJA, TODOS EM MISSÃO. VEM SEGUE-ME”.

 

Haverá um autocarro que sairá às 9 horas de Rosais, passando por Velas, Santos Amaro.

 

Um autocarro sairá do Topo às 9h30, Santo Antão, Ribeira Seca, Calheta, Biscoitos.

 

PROCISSÃO E MISSA NO SANTUÁRIO DA CALDEIRA DE SANTO CRISTO

 

No próximo domingo, 14 de abril, vamos fazer uma procissão de Ramos da Fajã dos Cubres para a Caldeira de Santo Cristo levando a imagem do Senhor Santo Cristo na mesma procissão.

 

A imagem do Senhor Santo Cristo foi a restaurar e já está pronta e irá para o Santuário nesse domingo. Quem quiser pode vir participar porque iremos devagar para que todos possam participar na procissão e na missa.

Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 896

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

nº 1015

Pensamento da Semana

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 

Educar é produzir um homem feliz e sábio. Educar é produzir um homem que ama o espetáculo da vida. Desse amor, emana a fonte da inteligência. Educar é produzir uma sinfonia em que rimam dois mundos: o das ideias e o das emoções.

 

Há dois tipos de educação: a que informa e a que forma. A educação que informa ensina o homem a conhecer o mundo em que habita; a educação que forma vai além, ensina-o também a conhecer o mundo que ele é.

Augusto Cury

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

Visitas


Ver Estatísticas