Nº 828

Qual é o significado do presépio na família cristã?

 

Maria e José com o Menino Jesus: imediatamente vem à mente a Sagrada Família de Nazaré, o modelo de qualquer família cristã, que testemunhou a santidade por muitas provações e tribulações vividas.

Maria e José foram rejeitados quando chegaram a Belém para o censo ordenado por decreto de César Augusto. Esta situação recorda a situação de muitos migrantes que por vários motivos são forçados a deixar as suas terras por causa da pobreza, da guerra e das perseguições políticas.

Muitos migrantes deixam os seus países de origem à procura de um futuro melhor, mas muitas vezes encontram as portas fechadas nas fronteiras dos estados, que os rejeitam, porque eles não têm todas as permissões. E quando conseguem entrar, veem negado um contrato de trabalho regular que lhes permita ter tudo o que precisam para ficar no país estrangeiro. Eles são explorados, privados do direito de receber uma remuneração adequada, negado o direito de tirar férias, negado o direito de contribuir para a sua aposentação.

Os pastores: são outros protagonistas da cena da Natividade, que representam os excluídos e rejeitados de todos os tempos da história:

 - Os pastores representam aqueles que vivem à margem da nossa sociedade; podemos reconhecê-los em muitas categorias de pessoas. Podemos ver neles os que perderam o emprego e vivem na expectativa de recuperar a dignidade perdida.

 Rei Herodes: é a personificação do mal, que está sempre presente, em cada período da história, para obstruir e destruir o projeto de Amor de Deus.

Menino Jesus: Diante desse imperioso avanço do mal, a esperança proposta pelo presépio é o nascimento do menino Jesus, a plenitude divina contida no corpo de um recém-nascido.

Esta criança recorda que a vitória sobre o mal não se realiza pela força da violência ou com a crueldade da guerra. O Menino Jesus pede para ser acolhido, amado e servido, como qualquer criança que vem ao mundo.

Os Magos: A adoração é o verdadeiro culto espiritual do presépio. Adorar não significa apenas cair de joelhos com o rosto por terra à frente do menino Jesus. Adorar significa, antes de tudo, dirigir-se a Deus em espírito e verdade, com espírito de humildade e com a verdade da caridade. Adorar significa deixar- -se guiar pela inspiração e força do Espírito Santo, para seguir a vontade de Deus, que é o caminho da verdade que nos leva a ter uma vida pacífica, esperançosa e alegre.

Fraternitas Movimento (adaptado)

 

III DOMINGO DO ADVENTO

Pregar no deserto

– Senhor Padre, porque é que João Baptista pregava no deserto?

– Porque era lá que ele vivia – respondi – Para além disso o deserto sempre foi um lugar de encontro consigo mesmo e com Deus. Mas porque é que me perguntas isso?

– É que eu pensava que ele pregava no deserto porque ninguém o ouvia…

De facto, parece que João pregou para o deserto pois, passados 2000 anos, a mesma voz se faz ouvir sem surtir ainda o efeito desejado. E mesmo acordado sonhei. No meu sonho apresentei-me diante de João Baptista para lhe dizer:

– Repara que ninguém te ouve. Tu não consegues mudar as pessoas. Todos os anos a mesma pregação… Muda o teu discurso…

– Não. Se eu não sou capaz de mudar as pessoas, não serão elas a mudar-me. Endireitai o caminho do Senhor – gritou ainda mais forte.

Ao acordar ainda me soavam essas mesmas palavras. Que fazer para endireitar esse caminho para que esta pregação não ficasse por terra? Lembrai-me então das sandálias de que João falava. Pois é.

Em vez de retirar todas as pedras do longo caminho o melhor é calçar uns fortes sapatos para não sentir a aspereza do chão. Pareceu-me então ouvir a mesma voz a dizer: mãos à obra, ou melhor, pés a andar.

Pe. José David Quintal Vieira, scj

 

MEDITAR

 

À margem do Teu nascimento

 

À margem do Teu nascimento
Acontecia um recenseamento.
Registavam-se nomes de pessoas.
E Tu – a Pessoa – a passar ao lado e batendo a portas, irreconhecível.
Só os pobres e os simples perceberam a Tua chegada.

 

À margem do Teu nascimento
Outra vez recenseamento:
Recenseamos as luzes, as cores, as festas, os palcos, os doces, as prendas, as preocupações…
E Tu (passas) ao lado.
Só os pobres e os simples percebem a Tua presença.

 

À margem...
A margem é o lugar e o tempo em que a água e a terra se deixam tocar. 
O Teu nascimento é o lugar de encontro de Deus connosco!
Só os pobres e os simples acolhem o Teu nascimento. 
E só Tu para não marginalizares a Humanidade!

 

Vem e faz-Te, de novo, Deus connosco e une as margens que nos separam.

 

Pois, só Tu, unes a Humanidade à Tua Divindade.

Cristina Duarte

 

CONTO (631)

 

O MENINO QUE TUDO QUERIA

 Era uma vez um menino chamado Jorge. Pelo Natal, pediu 25 presentes. A mãe disse-lhe:

- Ouve: os reis Magos têm camelos. O Pai Natal tem um trenó. Jesus não tem nada. Nenhum deles tem um camião… Além disso, não cabiam no teu quarto. E pensa nos outros meninos que nem sequer uma prenda vão ter…

O Jorge ficou amuado e fechou-se no quarto.

No outro dia, Jorge disse aos pais, em voz baixa:

- É verdade o que disseram! Devo fazer-lhes caso. Não quero ser ganancioso.

Foi para a escola. Na aula, a professora perguntou-lhe:

- Jorge, quantos presentes pediste para este Natal?

- Vinte e cinco - respondeu baixinho.

Quando a aula acabou, e todos saíram, a professora disse ao Jorge que não tinha de pedir tantas coisas. Então, ele, logo que chegou a casa, corrigiu a carta e deixou só 15 pedidos. E, quando os pais chegaram, disse-lhes que havia retirado 10 coisas da lista. A mãe perguntou-lhe:

- E vais partilhar os teus presentes com os teus amigos?

- Não, porque são meus e não quero emprestá-los a ninguém!

Entretanto, Jorge e os pais saíram para comprar os presentes. Foram a uma loja, mas estavam esgotados. Foram a todas as outras, e nada!

Jorge, no banco de trás do carro, olhava para o céu. Viu uma estrela e rezou:

- Sei que não rezo muito. Desculpa! Mas peço-te um presépio e uma árvore de Natal.

Nisto, apareceu-lhe um Anjo e disse:

- Foste bom ao tirar 10 presentes da tua lista. Vou dar-te o presépio e a árvore de Natal.

Chegou finalmente a noite de Natal. E quando Jorge se aproximou do pinheiro, ficou surpreendido: estavam lá os 25 presentes da lista. Então disse aos pais que iria partilhar os brinquedos com as crianças pobres. E na semana seguinte levou muitas crianças lá a casa. A mãe fez chocolate quente e bolos para todos. E, depois daquele ano, todos foram muito felizes.

 

No final do meu caminho me dirão:

 - E tu, viveste? Amaste?

 E eu, sem dizer nada, abrirei o coração cheio de nomes.

 Pedro Casaldáliga

 


INFORMAÇÕES

Manadas - quinta-feira, 21 de dezembro, das 16h às 17h, seguindo-se a celebração da Eucaristia.

Ribeira Seca - quarta-feira, 20 de dezembro, das 17h às 18h, seguindo-se a celebração da Eucaristia.

 

VISITA DO PÁROCO AOS DOENTES

Zona Rural da Calheta - segunda-feira, 18 de dezembro a partir das 10 horas

Norte Pequeno - segunda- feira, 18 de dezembro, a partir das 11 horas.

Ribeira Seca - terça-feira, 19 de dezembro, a partir das 9:30 horas.

Portal - quarta-feira, 20 de dezembro, a partir das 11 horas.

 

CORTEJOS DE OFERENDAS

Dia 25 de dezembro - Fajã dos Vimes.

Dia 31 de dezembro - Portal

Dia 1 de janeiro - Biscoitos - Loural - Ribeira Seca.

Dia 7 de janeiro - Manadas - Calheta - Urzelina

Dia 14 de janeiro - Er.da de S.to António.

RECEITAS

Festa de Santa Catarina - 1278.00 €

 

 

ADORAÇÃO DO SANTÍSSIMO SACRAMENTO


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 828

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 879

Pensamento da Semana

 

PENSAMENTO DA SEMANA

 

O mínimo que nos é exigível
é o máximo que somos capazes de fazer.
Nas coisas simples do dia-a-dia.
Ser da maior bondade possível no quotidiano.
A bondade é a maior de todas as qualidades. ...

Inclui a beleza, a justiça e a verdade.

Manuel António Pina

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas