Nº 828

Qual é o significado do presépio na família cristã?

 

Maria e José com o Menino Jesus: imediatamente vem à mente a Sagrada Família de Nazaré, o modelo de qualquer família cristã, que testemunhou a santidade por muitas provações e tribulações vividas.

Maria e José foram rejeitados quando chegaram a Belém para o censo ordenado por decreto de César Augusto. Esta situação recorda a situação de muitos migrantes que por vários motivos são forçados a deixar as suas terras por causa da pobreza, da guerra e das perseguições políticas.

Muitos migrantes deixam os seus países de origem à procura de um futuro melhor, mas muitas vezes encontram as portas fechadas nas fronteiras dos estados, que os rejeitam, porque eles não têm todas as permissões. E quando conseguem entrar, veem negado um contrato de trabalho regular que lhes permita ter tudo o que precisam para ficar no país estrangeiro. Eles são explorados, privados do direito de receber uma remuneração adequada, negado o direito de tirar férias, negado o direito de contribuir para a sua aposentação.

Os pastores: são outros protagonistas da cena da Natividade, que representam os excluídos e rejeitados de todos os tempos da história:

 - Os pastores representam aqueles que vivem à margem da nossa sociedade; podemos reconhecê-los em muitas categorias de pessoas. Podemos ver neles os que perderam o emprego e vivem na expectativa de recuperar a dignidade perdida.

 Rei Herodes: é a personificação do mal, que está sempre presente, em cada período da história, para obstruir e destruir o projeto de Amor de Deus.

Menino Jesus: Diante desse imperioso avanço do mal, a esperança proposta pelo presépio é o nascimento do menino Jesus, a plenitude divina contida no corpo de um recém-nascido.

Esta criança recorda que a vitória sobre o mal não se realiza pela força da violência ou com a crueldade da guerra. O Menino Jesus pede para ser acolhido, amado e servido, como qualquer criança que vem ao mundo.

Os Magos: A adoração é o verdadeiro culto espiritual do presépio. Adorar não significa apenas cair de joelhos com o rosto por terra à frente do menino Jesus. Adorar significa, antes de tudo, dirigir-se a Deus em espírito e verdade, com espírito de humildade e com a verdade da caridade. Adorar significa deixar- -se guiar pela inspiração e força do Espírito Santo, para seguir a vontade de Deus, que é o caminho da verdade que nos leva a ter uma vida pacífica, esperançosa e alegre.

Fraternitas Movimento (adaptado)

 

III DOMINGO DO ADVENTO

Pregar no deserto

– Senhor Padre, porque é que João Baptista pregava no deserto?

– Porque era lá que ele vivia – respondi – Para além disso o deserto sempre foi um lugar de encontro consigo mesmo e com Deus. Mas porque é que me perguntas isso?

– É que eu pensava que ele pregava no deserto porque ninguém o ouvia…

De facto, parece que João pregou para o deserto pois, passados 2000 anos, a mesma voz se faz ouvir sem surtir ainda o efeito desejado. E mesmo acordado sonhei. No meu sonho apresentei-me diante de João Baptista para lhe dizer:

– Repara que ninguém te ouve. Tu não consegues mudar as pessoas. Todos os anos a mesma pregação… Muda o teu discurso…

– Não. Se eu não sou capaz de mudar as pessoas, não serão elas a mudar-me. Endireitai o caminho do Senhor – gritou ainda mais forte.

Ao acordar ainda me soavam essas mesmas palavras. Que fazer para endireitar esse caminho para que esta pregação não ficasse por terra? Lembrai-me então das sandálias de que João falava. Pois é.

Em vez de retirar todas as pedras do longo caminho o melhor é calçar uns fortes sapatos para não sentir a aspereza do chão. Pareceu-me então ouvir a mesma voz a dizer: mãos à obra, ou melhor, pés a andar.

Pe. José David Quintal Vieira, scj

 

MEDITAR

 

À margem do Teu nascimento

 

À margem do Teu nascimento
Acontecia um recenseamento.
Registavam-se nomes de pessoas.
E Tu – a Pessoa – a passar ao lado e batendo a portas, irreconhecível.
Só os pobres e os simples perceberam a Tua chegada.

 

À margem do Teu nascimento
Outra vez recenseamento:
Recenseamos as luzes, as cores, as festas, os palcos, os doces, as prendas, as preocupações…
E Tu (passas) ao lado.
Só os pobres e os simples percebem a Tua presença.

 

À margem...
A margem é o lugar e o tempo em que a água e a terra se deixam tocar. 
O Teu nascimento é o lugar de encontro de Deus connosco!
Só os pobres e os simples acolhem o Teu nascimento. 
E só Tu para não marginalizares a Humanidade!

 

Vem e faz-Te, de novo, Deus connosco e une as margens que nos separam.

 

Pois, só Tu, unes a Humanidade à Tua Divindade.

Cristina Duarte

 

CONTO (631)

 

O MENINO QUE TUDO QUERIA

 Era uma vez um menino chamado Jorge. Pelo Natal, pediu 25 presentes. A mãe disse-lhe:

- Ouve: os reis Magos têm camelos. O Pai Natal tem um trenó. Jesus não tem nada. Nenhum deles tem um camião… Além disso, não cabiam no teu quarto. E pensa nos outros meninos que nem sequer uma prenda vão ter…

O Jorge ficou amuado e fechou-se no quarto.

No outro dia, Jorge disse aos pais, em voz baixa:

- É verdade o que disseram! Devo fazer-lhes caso. Não quero ser ganancioso.

Foi para a escola. Na aula, a professora perguntou-lhe:

- Jorge, quantos presentes pediste para este Natal?

- Vinte e cinco - respondeu baixinho.

Quando a aula acabou, e todos saíram, a professora disse ao Jorge que não tinha de pedir tantas coisas. Então, ele, logo que chegou a casa, corrigiu a carta e deixou só 15 pedidos. E, quando os pais chegaram, disse-lhes que havia retirado 10 coisas da lista. A mãe perguntou-lhe:

- E vais partilhar os teus presentes com os teus amigos?

- Não, porque são meus e não quero emprestá-los a ninguém!

Entretanto, Jorge e os pais saíram para comprar os presentes. Foram a uma loja, mas estavam esgotados. Foram a todas as outras, e nada!

Jorge, no banco de trás do carro, olhava para o céu. Viu uma estrela e rezou:

- Sei que não rezo muito. Desculpa! Mas peço-te um presépio e uma árvore de Natal.

Nisto, apareceu-lhe um Anjo e disse:

- Foste bom ao tirar 10 presentes da tua lista. Vou dar-te o presépio e a árvore de Natal.

Chegou finalmente a noite de Natal. E quando Jorge se aproximou do pinheiro, ficou surpreendido: estavam lá os 25 presentes da lista. Então disse aos pais que iria partilhar os brinquedos com as crianças pobres. E na semana seguinte levou muitas crianças lá a casa. A mãe fez chocolate quente e bolos para todos. E, depois daquele ano, todos foram muito felizes.

 

No final do meu caminho me dirão:

 - E tu, viveste? Amaste?

 E eu, sem dizer nada, abrirei o coração cheio de nomes.

 Pedro Casaldáliga

 


INFORMAÇÕES

Manadas - quinta-feira, 21 de dezembro, das 16h às 17h, seguindo-se a celebração da Eucaristia.

Ribeira Seca - quarta-feira, 20 de dezembro, das 17h às 18h, seguindo-se a celebração da Eucaristia.

 

VISITA DO PÁROCO AOS DOENTES

Zona Rural da Calheta - segunda-feira, 18 de dezembro a partir das 10 horas

Norte Pequeno - segunda- feira, 18 de dezembro, a partir das 11 horas.

Ribeira Seca - terça-feira, 19 de dezembro, a partir das 9:30 horas.

Portal - quarta-feira, 20 de dezembro, a partir das 11 horas.

 

CORTEJOS DE OFERENDAS

Dia 25 de dezembro - Fajã dos Vimes.

Dia 31 de dezembro - Portal

Dia 1 de janeiro - Biscoitos - Loural - Ribeira Seca.

Dia 7 de janeiro - Manadas - Calheta - Urzelina

Dia 14 de janeiro - Er.da de S.to António.

RECEITAS

Festa de Santa Catarina - 1278.00 €

 

 

ADORAÇÃO DO SANTÍSSIMO SACRAMENTO


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 828

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 868

Pensamento da Semana

 PENSAMENTO DA SEMANA

 

Deus talvez goste mais de habitar na paixão do coração do que nas certezas da razão.

Tomás Halík

 

 

Vai chegar o tempo, e não vai demorar muito, que nós teremos 
especial predileção pelos que 
preferirão a discrição, o silêncio, 
o anonimato.

Pe. Fábio de Melo

 

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas