Nº 761

 

PORQUE ELE NOS AMOU PRIMEIRO (1 Jo 4,19) Meu Deus, eu caminhava para Ti, 
mas já os Teus passos se aproximavam de mim.


Eu desejava esperar-Te, 
e soube, então, que eras Tu quem me aguardava.


Eu desejava procurar-Te, 
e vi que eras Tu que andavas  à minha procura.


Eu pensava: até que enfim, encontrei-O! 
mas senti-me encontrado por Ti.


Eu queria dizer-Te: Amo-Te, 
mas fui eu que Te ouvi dizer: Quero-te muito!


Eu tinha resolvido escolher-Te, 
mas Tu já me tinhas escolhido.


Eu tencionava escrever-Te, 
mas, entretanto, chegou-me a Tua carta.


Eu desejava viver em Ti, 
mas descobri que Tu já vivias em mim.


Eu queria pedir-Te perdão, 
e soube que Tu já me tinhas perdoado.


Eu queria oferecer-me todo a Ti, 
mas recebi o dom gratuito de Ti mesmo.


Eu tentei oferecer-Te a minha amizade, 
e recebi o dom do Teu imenso amor.


Eu queria chamar-Te: Abbá! Pai! 
e já Te ouço dizer: Meu filho muito amado!


Eu desejava convidar-Te para estares no mais íntimo da minha alma, 
e de Ti recebi o convite para entrar na Tua intimidade.


Eu dispunha-me a alegrar-me por ter voltado para Ti,
mas encontrei-Te feliz com o meu regresso.


Meu Deus, serei eu alguma vez o primeiro?!

 
Fenando
 
XXIII DOMINGO TEMPO COMUM
A liturgia deste domingo convida-nos a tomar consciência de quanto é exigente o caminho do “Reino”. Optar pelo “Reino” não é escolher um caminho de facilidade, mas sim aceitar percorrer um caminho de renúncia e de dom da vida.

 

É, sobretudo, o Evangelho que traça as coordenadas do “caminho do discípulo”: é um caminho em que o “Reino” deve ter a primazia sobre as pessoas que amamos, sobre os nossos bens, sobre os nossos próprios interesses e esquemas pessoais. Quem tomar contacto com esta proposta tem de pensar seriamente se a quer acolher, se tem forças para a acolher… Jesus não admite meios-termos: ou se aceita o “Reino” e se embarca nessa aventura a tempo inteiro e “a fundo perdido”, ou não vale a pena começar algo que não vai levar a lado nenhum (porque não é um caminho que se percorra com hesitações e com “meias tintas”).

 

A primeira leitura lembra a todos aqueles que não conseguem decidir-se pelo “Reino” que só em Deus é possível encontrar a verdadeira felicidade e o sentido da vida. Há, portanto, aí, um encorajamento implícito a aderir ao “Reino”: embora exigente, é um caminho que leva à felicidade plena.

 

A segunda leitura recorda que o amor é o valor fundamental, para todos os que aceitam a dinâmica do “Reino”; só ele permite descobrir a igualdade de todos os homens, filhos do mesmo Pai e irmãos em Cristo. Aceitar viver na lógica do “Reino” é reconhecer em cada homem um irmão e agir em consequência.

 

 

 

Dehonianos

 

 
MEDITAR
 
MORRE LENTAMENTE
 
Morre lentamente quem se transforma escravo do hábito,
repetindo todos os dias o mesmo trajeto,
quem não muda as marcas no supermercado,
não arrisca vestir uma cor nova,
não conversa com quem não conhece.
 
Morre lentamente quem evita uma paixão,
quem prefere o “preto no branco”
e os pingos nos “ii” a um turbilhão de emoções indomáveis,
justamente as que resgatam brilho nos olhos, sorrisos e soluços, coração aos tropeços, sentimentos.
 
Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz no trabalho,
quem não arrisca o certo pelo incerto atrás de um sonho,
quem não se permite, uma vez na vida,
fugir dos conselhos sensatos.
Morre lentamente quem passa os dias queixando-se da má sorte ou da chuva incessante, 
desistindo de um projeto antes de iniciá-lo,
não perguntando sobre um assunto que desconhece
e não respondendo quando lhe indagam o que sabe.
 
Evitemos a morte em doses suaves,
recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior do que o simples ato de respirar.

Estejamos vivos, então!
 
Martha Medeiros
 
CONTO (620)
 
ABRAÇO DE DEUS
Uma avó conta-me que um dia a sua filha telefonou-lhe das Urgências do Hospital. Sua neta, Robin, de apenas seis anos, tinha caído de um brinquedo, no pátio da escola, e tinha ferido gravemente a boca.

 

A avó foi buscar as irmãs de Robin à escola e passou uma tarde agitada e muito tensa, cuidando das crianças, enquanto aguardava que a filha voltasse com a menina magoada.

 

Quando chegaram, as irmãs mais pequenas de Robin correram para os braços da mãe. Robin entrou silenciosa em casa e foi sentar-se na grande poltrona da sala de estar.

 

O médico tinha suturado a boca da menina com oito pontos internos e seis externos. O rosto estava inchado, a fisionomia estava modificada e os fios dos cabelos compridos estavam cheios de sangue seco.

 

A menina parecia frágil e desamparada. A avó aproximou-se com o máximo cuidado. Conhecia a neta, sempre tímida e reservada.

 

A avó perguntou-lhe:

 

- Desejas alguma coisa, querida?

 

Os olhos da menina fitaram a avó firmemente e ela respondeu-lhe:

 

- Quero um abraço.

 

 

 

A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade. A dor é inevitável. O sofrimento é opcional.
 
 Carlos Drummond de Andrade

 

INFORMAÇÕES
 
 

 

Os interessados podem fazer a sua marcação para os números 295 460 110/ 295 460 111.
 
FESTA DE NOSSA SENHORA DO SOCORRO
BISCOITOS
                Tríduo - 7, 8 e 9 de setembro às 20 horas.
                Confissões - 8 e 9 de setembro das 19 às 20 horas
                Festa - 11 de setembro:
                                - Eucaristia de festa às 12 horas.                 
                         - Procissão às 18h30 minutos.
 
FESTA DE NOSSA SENHORA DE LURDES
FAJÃ DOS CUBRES
Tríduo - 7, 8 e 9 de setembro às 20 horas.
Festa - 11 de setembro:
              - Eucaristia de festa às 11 horas, a seguir as arrematações e procissão.
 

Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 761

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 819

Pensamento da Semana

 

Um anjo nunca se faz conhecer, nós só sabemos que ele esteve connosco quando ele parte. Porque deixa-nos na vida um perfume, deixa-nos na vida um desassossego.

 

Erri de Luca, in Em nome da mãe

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas