Nº 725

 

UM BOM ANO
Aos nossos leitores, amigos e benfeitores votos sinceros de um Bom Ano de 2016.
 

 

«Começar, estamos sempre a começar. Temos um Ano Novo pela frente, mas começar de novo não é começar outra vez, não é repetir alguma coisa, é começar de outro modo, com novidade. E o primeiro gesto devia ser o de agradecer esta imensa oportunidade.

 


Este ano será aquilo que fizermos dele: se cultivarmos uma atitude de egoísmo e individualismo, será assim; mas se nos comprometermos com a construção da paz e da justiça no mundo, então teremos um bom Ano Novo.

 


Não esqueçamos ao longo do ano que vai começar que
 há uma imensa sabedoria em viver cada dia como se fosse o primeiro e há imensa felicidade em viver cada dia como se fosse o último. As duas coisas são possíveis ao mesmo tempo.»

 


Vasco Pinto de Magalhães, em "Não há soluções. Há caminhos
 
SAGRADA FAMÍLIA DE JESUS, MARIA E JOSÉ
As leituras deste domingo complementam-se ao apresentar as duas coordenadas fundamentais a partir das quais se deve construir a família cristã: o amor a Deus e o amor aos outros, sobretudo a esses que estão mais perto de nós – os pais e demais familiares.

 

O Evangelho sublinha, sobretudo, a dimensão do amor a Deus: o projeto de Deus tem de ser a prioridade de qualquer cristão, a exigência fundamental, a que todas as outras se devem submeter. A família cristã constrói-se no respeito absoluto pelo projeto que Deus tem para cada pessoa.

 

A segunda leitura sublinha a dimensão do amor que deve brotar dos gestos de todos os que vivem “em Cristo” e aceitaram ser Homem Novo. Esse amor deve atingir, de forma mais especial, todos os que connosco partilham o espaço familiar e deve traduzir-se em determinadas atitudes de compreensão, de bondade, de respeito, de partilha, de serviço.

 

A primeira leitura apresenta, de forma muito prática, algumas atitudes que os filhos devem ter para com os pais. É uma forma de concretizar esse amor de que fala a segunda leitura.

 

Pe. José David Quintal Vieira, scj
 
MEDITAR
 
MENSAGEM À FAMÍILIA

Na educação dos nossos filhos
Todo exagero é negativo.
Responda-lhe, não o instrua.
Proteja-o, não o cubra.
Ajude-o, não o substitua.
Abrigue-o, não o esconda.
Ame-o, não o idolatre.
Acompanhe-o, não o leve.
Mostre-lhe o perigo, não o atemorize.
Inclua-o, não o isole.
Alimente suas esperanças, não as descarte.
Não exija que seja o melhor, peça-lhe para ser bom e dê exemplo.
Não o mime em demasia, rodeie-o de amor.
Não o mande estudar, prepare-lhe um clima de estudo.
Não fabrique um castelo para ele, vivam todos com naturalidade.
Não lhe ensine a ser, seja você como quer que ele seja.
Não lhe dedique a vida, vivam todos.
Lembre-se de que o seu filho não o escuta, ele olha-o.
E, finalmente, quando a gaiola se partir, não compre outra...
Ensine-o a viver sem portas.

 

Eugênia Puebla
 
CONTO (584)
 
COR E BELEZA
Um dia, chegou à cidade um homem desconhecido. Trazia consigo muitos pedaços de giz de todas as cores. Foi para a rua mais movimentada e, de joelhos por terra, pintava no pavimento lindas paisagens, flores que desabrochavam, crianças felizes, traços cheios de beleza.
As pessoas habituaram-se à presença do homem desconhecido. Alguns observavam, outros atiravam moedas para os desenhos. Outros paravam e falavam com ele das suas alegrias e tristezas, angústias e esperanças. As mães falavam dos seus filhos e os jovens dos seus sonhos de futuro.
Ele escutava muito e falava pouco. Sorria com muita afabilidade e dizia palavras belas como amor, paz, alegria, bondade, perdão.
Um dia, pegou nas suas coisas e fez menção de se ir embora. Todos lhe pediram:
- Deixa-nos alguma coisa como recordação.
O homem mostrou as mãos vazias e, sem saber que dar, pegou no seu saco, retirou dele todos os pedaços de giz de lindas cores, aqueles que tinha utilizado, e deu-os às pessoas, dizendo:
- Ficai com eles e continuai a minha obra.
As pessoas pegaram neles. E, em vez de continuarem a utilizá-los para fazerem coisas belas, continuando a obra desse desconhecido, cada qual guardou o seu como lembrança.
 In Bom dia, alegria de Pedrosa Ferreira

 

Na última semana do ano, revê em ti a força de acreditar:
que o mundo dá várias voltas e numa delas leva-te ao caminho certo. que vais ter dias de muito cansaço, de muitas dores nos ombros e na alma, mas vais continuar a sorrir {mesmo que seja no coração}.
Que vais continuar a caminhar com fé apesar dos apesares, que vais continuar a olhar para cima mesmo com os olhos cheios de mar e a confiar na Força invisível e invencível que te garante que a luz que mais importa, hoje e sempre, é a que vive dentro de ti.
acredita-sempre-que-a-vida-conspira-a-teu-favor
 
http://www.asnovenomeublog.com/

Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 725

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 819

Pensamento da Semana

 

Um anjo nunca se faz conhecer, nós só sabemos que ele esteve connosco quando ele parte. Porque deixa-nos na vida um perfume, deixa-nos na vida um desassossego.

 

Erri de Luca, in Em nome da mãe

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas