Nº 424

 

REUNIÕES

 

O meu  professor de filosofia, que foi homenageado por estes dias, dizia que “o inferno devia ser uma reunião permanente”. Claro que o dizia na brincadeira, querendo referir-se ao amontoado de reuniões que tinha de fazer ou participar.

Por estes dias estamos neste emaranhado de reuniões, cansados, preocupados e a desejar que tudo seja para o bem e conduza a uma sociedade confiante nas suas capacidades e de progresso.

Para além destas que nos ocupam sobremaneira, as de fim de período nas escolas, existem depois aquelas que são para preparar, as que são  para avaliar. Reuniões de comissões, de direcções… são reuniões disto, daquilo e daqueloutro.

Eu tenho um amontoado de notas e papeis destas reuniões e tenho cadernos de notas que tiro nas reuniões.

Às vezes, folheio estes cadernos para não me parecerem inúteis. Encontro folhas que têm a data e algumas notas, outras folhas com a data e depois alguns desenhos, outras que contêm texto em abundância…

Encontrei num destes cadernos uma nota à margem daquelas que se tomam para recordar porque achamos mais importante, porque nos tocaram mais, porque focam uma situação que é preciso não esquecer…

A nota à margem na folha dizia que o “Padre tem de ser transparente”. A principio achei que me tinha enganado no que escrevi. Como posso ser transparente? Fui buscar os meus tempos de escola, principalmente os primeiro anos e lembrei-me de que usava um papel transparente para poder ver o desenho ou figura que o professor pedia para copiarmos e passarmos para outra folha e pintar.

Entendi, então, que aquela nota isolada queria dizer que o Padre tem de deixar passar Cristo… tem de deixar transparecer Cristo… Sei que isto é exigente, como ser pai e mãe  também é exigente e só quem ama consegue ser bom pai e boa mãe.

É preciso entender que ser transparente é deixar que os gestos e atitudes de Cristo sejam visíveis neste mundo tão necessitado de esperança, compreensão, alegria, bondade…

Sei que é necessário agarrar este Cristo… andar com Ele na vida.

Bem sei que as minhas notas foram tiradas numa reunião que se destinava a sacerdotes mas esta palavrinha isolada e, aparentemente, sem grande importância é essencial para todos nós que nos dizemos e somos cristãos.

Sinto que concordamos todos com isto e sabemos que é necessário trazer este Cristo para este tempo e esta vida tão necessitada de amor.

                                                                Pe. Manuel António

 

V Domingo da Quaresma

Tema:

A liturgia de hoje fala-nos (outra vez) de um Deus que ama e cujo amor nos desafia a ultrapassar as nossas escravidões para chegar à vida nova, à ressurreição.

A primeira leitura apresenta-nos o Deus libertador, que acompanha com solicitude e amor a caminhada do seu Povo para a liberdade. Esse “caminho” é o paradigma dessa outra libertação que Deus nos convida a fazer neste tempo de Quaresma e que nos levará à Terra Prometida onde corre a vida nova.

A segunda leitura é um desafio a libertar-nos do “lixo” que impede a descoberta do fundamental: a comunhão com Cristo, a identificação com Cristo, princípio da nossa ressurreição.

O Evangelho diz-nos que, na perspectiva de Deus, não são o castigo e a intolerância que resolvem o problema do mal e do pecado; só o amor e a misericórdia geram activamente vida e fazem nascer o homem novo. É esta lógica – a lógica de Deus – que somos convidados a assumir na nossa relação com os irmãos.

(Dehonianos)

 

MEDITAR

 

Apesar de tudo

Eu acredito...

Apesar de tudo...

Eu acredito na força silenciosa

Que me vem do alto.

 

Apesar de tudo...

Eu acredito na serenidade,

Nobreza e compreensão.


Apesar de tudo...

Eu acredito na bondade espontânea,

No gesto comunitário de quem serve.


Apesar de tudo...

Eu acredito na luz radiante

Reflectida nas mãos que rezam.

 

Apesar de tudo...

Eu acredito no sofrimento

Que fala de renúncia e doação.


Apesar de tudo...

Eu acredito no olhar compreensivo

Dos que expressam tanta paz interior.

 

Apesar de tudo...

Eu acredito na flor da gratidão

Que viceja no fundo da alma.

 

Apesar de tudo...

E acima de tudo

Eu acredito no amor

No amor,

Alimentado de silêncio e reflexão,

Que pode transformar a terra,

Colocando a terra mais perto do céu.

 

Publicada por CVJ

 

CONTO (295)

 

O DEMÓNIO E O CAMPONÊS

Um dia, o Demónio deu a volta ao mundo para ver como as pessoas rezavam. A sua viagem foi muito breve, pois havia muita pouca gente que rezava. E ficou muito satisfeito porque essas orações pareciam insípidas cantilenas que até faziam bocejar o Pai Eterno.

Estava decidido a regressar a casa quando encontrou um camponês que, irritado, gesticulava. Parou a ver e a escutar. Verificou que esse homem estava a discutir violentamente  com Deus. Repreendia-O sem papas na língua. Chamando-lhe os piores nomes.

O Demónio já esfregava as mãos de contente. Mas nesse preciso momento, passou por ali um padre que lhe disse:

- Bom-dia! Que modos são esses de falares com Deus? Não sabes que insultar a Deus é um pecado muito grave?

O homem respondeu:

- Senhor padre, se eu discuto com Deus é porque acredito n’Ele. Se lhe grito é porque sei que Ele me escuta.

O padre, muito irritado, disse-lhe:

- Estás a delirar.

Mas o Demónio, que sabia mais teologia que o padre, ficou muito alarmado por ter encontrado finalmente um homem que sabia rezar.

 In ALEGRE MANHÃ  de Pedrosa Ferreira

 

 

Não é o valor nem a santidade aparente das acções aquilo que conta, mas apenas o amor que se pões nelas.

 

(Santa Teresinha do Menino Jesus)

 

Se fores rico, dá o teu dinheiro; se fores pobre, dá o teu coração.

 

(Provérbio chinês)

 

Se deres um peixe a um homem, ele alimentar-se-á uma vez; se o ensinares a pescar, alimentar-se-á durante toda a vida.

                                                                                          (Kuan-Tsu)

 


 

DMJ

No próximo Domingo, 28 de Março, teremos o Dia Mundial da Juventude que tem vindo a ser preparado pela Equipa de Ilha da Pastoral Juvenil. Faço um apelo à participação de todos os jovens em especial. Devem participar todos os jovens a parti do 9º ano de catequese.

O programa é o seguinte:

Concentração às 9:30 horas; Início dos trabalhos às 10:00 h.:Procissão de Ramos às 11.30 horas; Eucaristia às 12 horas; Almoço partilhado às 13:00 horas; 2º Festival DMJ às 14:30 horas; Actuação da Banda Católica “Ruah Agapes” às 16:00 horas.

Haverá transportes para todos:

Percurso 1.  saída das Velas junto à Igreja Matriz às 8:35h; 8.45 Rosais (junto à Igreja); 8:55 Beira (junto à Casa do Povo); 9:05 Santo Amaro (junto à Igreja).

Percurso 2. Dia 28 de Março - saída de Santo António às 8:30; 8:45 Norte Grande; 9:00 Norte Pequeno; 9:15 Calheta.

Percurso 3 - saída do Topo às 8:30; 8:45 Santo Antão e São Tomé.

Percurso 4 - saída da Ribeira Seca às 9:00

 

MUDANÇA DA HORA

No próximo fim de semana a hora muda. De Sábado para Domingo os relógios devem ser adiantados sessenta minutos.

CURSOS DE CRISTANDADE

Estava prevista uma acção para o Movimentos dos Cursos de Cristandade para o próximo fim-de-semana que foi adiada para os dias 1 e  2 de Maio.

 

CONFISSÕES

Manadas, dia 25 de Março a partir das 18 horas.

 


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 424

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 819

Pensamento da Semana

 

Um anjo nunca se faz conhecer, nós só sabemos que ele esteve connosco quando ele parte. Porque deixa-nos na vida um perfume, deixa-nos na vida um desassossego.

 

Erri de Luca, in Em nome da mãe

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas