Nº 418

 

SENHOR ABENÇOA

 

Senhor, abençoa as minhas mãos,

Para que sejam delicadas

E saibam dar sem calcular

E tenham força para consolar e abençoar.

 

Senhor, abençoa os meus olhos,

Para que saibam ver a necessidade,

E não ignorem o que é pouco vistoso:

Que vejam para além da superfície,

Para que os outros se sintam bem sob o meu olhar.

 

Senhor, abençoa os meus ouvidos,

Para que consigam ouvir a Tua voz

E advirtam rapidamente o grito do angustiado

Para que saibam ser surdos

Aos rumores e às conversas inúteis,

Mas não às vozes que pedem um pouco de escuta e compreensão,

Ainda que perturbem a minha comodidade.

 

Senhor, abençoa a minha boca,

Para que dê testemunho de Ti,

E nunca diga nada que fira ou destrua,

Para que pronuncie somente palavras de consolo

e não atraiçoe confidências e segredos,

Mas que faça rasgar sorrisos

Senhor, abençoa o meu coração,

Para que seja o templo vivo do Teu Espírito

E saiba dar calor e refúgio,

E seja rico no perdão e compreensão,

E saiba partilhar a dor e a alegria com amor.

Faz com que Tu possas contar comigo,

Meu Deus, em tudo o que tenho e sou!

 

Sabine Naegeli

 

 

ESTA NOITE

Esta noite, encontrei a Paz

Sob um seixo branco de silêncio;

esta noite, encontrei a Paz,

Mas vós estáveis demasiado ocupados…

 

Mas vós estáveis demasiado ocupados

Com todos os vossos cálculos e números.

Mas vós estáveis demasiado ocupados

Para vos levantardes quando bati.

 

Para vos levantardes quando bati,

Vós não me abristes a porta

Para vos levantardes quando bati,

Quando o céu estava tão sombrio.

 

Quando o céu estava tão sombrio,

Que o homem estava à venda em saldo,

Quando o céu estava tão sombrio,

Na noite em que passou a Paz…

In Paz de J. Debruyne

 

CONTO (289)

CONSERVAR O GARFO

Era uma vez uma mulher a quem diagnosticaram uma doença grave, dando-lhe apenas um mês de vida.

Enquanto punha todas as suas coisas em «ordem», chamou o padre para lhe comunicar os seus últimos desejos.

Disse que cânticos gostaria que fossem cantados no seu funeral, que leituras bíblicas se deveriam ler e como queria ser sepultada.

Disse-lhe:

- Desejo que me coloquem nas mãos frias o Novo Testamento, pois foi a palavra de Jesus que me iluminou durante a vida.

Quando o sacerdote estava para se ir embora, chamou-o e disse ainda:

- Padre, desejo uma outra coisa.

O sacerdote perguntou:

- O que deseja?

- É algo muito especial. Quero ser enterrada com um garfo na mão direita.

O sacerdote ficou surpreendido com tal pedido.

Então a mulher explicou:

- Durante os anos em que participei em refeições de festa, lembro-me que, quando os pratos iam sendo tirados da mesa, alguém se inclinava e dizia baixinho: «Conserve o garfo». Diziam isso porque o melhor estava para vir.

Vinham no fim deliciosos bolos que se comiam com o garfo. Padre, sei que depois da minha morte o melhor está para vir: é o banquete que Deus tem reservado para todos nós, os seus filhos muito amados.

O sacerdote comoveu-se ao ver a fé desta mulher. Despediu-se dela, com a promessa que cumpriria todos os seus desejos.

Durante o funeral, as pessoas interrogavam-se por que é que ela tinha um garfo na mão. O sacerdote, na homilia, contou o que ela tinha dito, dias antes, e acrescentou:

- Esta mulher morreu com a esperança de que o melhor estava para vir. Tinha a certeza de que Deus tem preparado para os seus eleitos o melhor que possamos imaginar. Felizes os convidados para este banquete final.

 

In  CONTOS+MENSAGENS  de Pedrosa Ferreira

 

 

 

V Domingo do Tempo Comum

Tema:

A liturgia deste domingo leva-nos a reflectir sobre a nossa vocação: somos todos chamados por Deus e d’Ele recebemos uma missão para o mundo.

Na primeira leitura, encontramos a descrição plástica do chamamento de um profeta – Isaías. De uma forma simples e questionadora, apresenta-se o modelo de um homem que é sensível aos apelos de Deus e que tem a coragem de aceitar ser enviado.

No Evangelho, Lucas apresenta um grupo de discípulos que partilharam a barca com Jesus, que acolheram as propostas de Jesus, que souberam reconhecê-l’O como seu “Senhor”, que aceitaram o convite para ser “pescadores de homens” e que deixaram tudo para seguir Jesus… Neste quadro, reconhecemos o caminho que os cristãos são chamados a percorrer.

A segunda leitura propõe-nos reflectir sobre a ressurreição: trata-se de uma realidade que deve dar forma à vida do discípulo e levá-lo a enfrentar sem medo as forças da injustiça e da morte. Com a sua acção libertadora – que continua a acção de Jesus e que renova os homens e o mundo – o discípulo sabe que está a dar testemunho da ressurreição de Cristo.

(Dehonianos)

 

 

 

 

 

Os homens perdem a saúde para juntar dinheiro, e depois perdem o dinheiro para a recuperar. Por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem o presente, de tal forma que acabam por nem viver no presente nem no futuro.
Vivem como se nunca fossem morrer e morrem como se não tivessem vivido...
(Confúcio)

 

 


 

RETIRO DE JOVENS

O retiro para jovens que estava previsto para o fim de semana depois do carnaval, atendendo a que alguns elementos da equipa da Pastoral Juvenil vão ausentar-se da ilha, o mesmo ficou marcado para os dias 26, 27 e 28 de Fevereiro.

Agradecemos a compreensão de todos.

 

REUNIÕES NA RIBEIRA SECA

Do Movimento da Mensagem de Fátima na quarta feira às 19 horas.

De catequistas na terça feira às 19h30.

 


Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 418

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 819

Pensamento da Semana

 

Um anjo nunca se faz conhecer, nós só sabemos que ele esteve connosco quando ele parte. Porque deixa-nos na vida um perfume, deixa-nos na vida um desassossego.

 

Erri de Luca, in Em nome da mãe

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas