Nº 511

 

REI…

Acho graça… chamamos Rei a quem nunca foi rei e nem sei se o quis ser…
Rei que nem teve trono e nem soldados…
Um Rei que não teve ministros e não consta que tivesse qualquer poder económico… Um Rei sem dinheiro, sem riquezas.
Acho graça quando lhe colocam uma coroa sobre a cabeça e umas vestes de rei. Mas Ele nunca usou qualquer coisa dessas, aquelas que estão cheias de ouro e pedras preciosas.
Quando Lhe perguntam: «Tu és rei?...»
Diz: «Sim, sou rei… mas…». Acrescenta um “mas”, para que não haja enganos, é um reino diferente, um reino que não é deste mundo, que não segue as lógicas do mundo e nem os cálculos do reinos deste mundo.
Muitas vezes fala de um reino mas que tem um Pai que ama e se deixa envolver pelos pobres e pecadores, que olha mais ao coração do que às aparências. Um reino que não exclui ninguém, mas que a todos chama pelo seu nome como que acariciando cada um esquecendo tudo o que seja mágoa, fragilidade…
Rei sem palácios, salas grandes e majestosas com grandes alaridos e festas caras, sempre cheios de gente para servir com comidas e danças.
Ele é um Rei que anda descalço, pelo caminho que é de todos, onde estão todos os que precisam de uma palavra amiga e de um ouvido que escute cheio de compreensão. Caminho que leva à felicidade. Não é um caminho falhado, sem esperança.
Ele é Rei que ama e o que todos precisamos e queremos é um Rei assim… Um Rei que compreende, que está do nosso lado e ao nosso lado. Um Rei que está mais preocupado com a nossa felicidade do que com aquilo que temos, que vê mais com o coração e não olha tanto ao que cada um tem.
Rei que está no centro de tudo. Ele é o alfa e o ómega. Está no centro da História e da Humanidade porque todos queremos que seja o Amor a reinar, às vezes dizemos, a governar.
É preciso ver que espécie de rei vamos fazendo de Jesus Cristo. Um rei sossegado, que não faz nada à nossa pobre vida. Ou um Rei que inquieta, que faz andar, proclamar, sorrir com esperança, espalhar um reino que vale a pena ser vivido.
Pe. Manuel António

FESTA DE CRISTO REI

Meditando

Sorrir para todos

Uma vez apresentou-se no Céu um homem tão simples, tão humilde que até os santos se espantaram:
- Como é pequena a sua alma! Não tem as vestes brancas das Virgens, nem a coroa dos Mártires, não tem a estola dos Pastores nem a divisa das Ordens Religiosas. Que terá feito de especial para estar aqui?
O homem, já preocupado com isso, ainda tremeu mais ao ouvir as perguntas que Deus fazia a quem se aproximava:
- Partilhaste os teus bens com os pobres? Ensinaste a minha Palavra? Viveste os Mandamentos?
Quando chegasse a sua vez que iria responder? Nada partilhara porque nada de seu tivera. Não ensinou nem viveu os mandamentos porque nunca os aprendeu. Qual seria o seu lugar ali?
Chegado ao trono, Deus abriu o livro da vida, olhou para o homem e disse:
- Aqui está escrito apenas uma coisa: tu sorriste ao teu semelhante. E isto basta para teres o primeiro lugar no céu. Entra na alegria do teu Senhor.
Pe. José David Quintal Vieira, scj
 

MEDITAR

AO MEU ENCONTRO

Tenho um copo e tenho sede,
olho, pergunto, anseio.
O tempo passa e eu, sem água.
Tenho sede, e tenho um copo.
Urjo, pergunto, olho.
Ando à procura de água, e não a encontro,
e tenho sede.
 
E o copo sou eu,
e a sede, minha angústia,
e a água és Tu,
e eu, quem te procura.
 
Tenho um abrigo e tenho frio,
comprovo, forço, canso-me.
Passa o tempo e eu, sem chave,
tenho frio, e não consigo entrar.
Desisto, forço, fracasso.
Busco a chave, mas não a encontro,
e tenho frio.
E o abrigo é tua casa,
e o frio, minha luta,
e a chave és Tu,
e eu quem anda à tua procura. E busco-Te sempre
chave, água ou vento,
mas busco mal,
pois não olho para dentro.
 
E acabo por acreditar que,
embora sem pretender,
adivinho: és Tu
quem sai ao meu encontro.
Miguel Diez, in Silêncios guiados
 

CONTO (377)

O CÃO FIEL

 Um cavaleiro regressava apressado a casa, ansioso por se encontrar com sua família. Boby, o seu velho e fiel cão, corria atrás do cavalo, acompanhando o dono.
De repente, começou a latir. Era um latido insistente, enervante , desesperado. O cavaleiro mandou que se calasse mas ele continuava. E resistia a continuar viagem.
O dono interrogou-se: «Que lhe terá acontecido? Como já é velho, terá ficado doente ou maluco?» E tomou uma decisão que muito lhe custou: pegar na pistola e matá-lo mesmo ali.
Matou o Boby e continuou a viagem.
Chegado a casa, ao tirar a bagagem, notou a falta da carteira com o dinheiro e os documentos. Terá caído ao chão durante a viagem? Pensou então que o melhor era refazer o caminho até a encontrar.
Ao cair da tarde, passou pelo lugar onde tinha morto o seu cão. Observou com atenção e viu que ele tinha ao lado a sua carteira.
Os latidos tinham sido para chamar a atenção do dono, indicando que a carteira lhe tinha caído ao chão.
 In TUTTI FRUTTI  de Pedrosa Ferreira
 
 
 

 

"O maior ato de fé acontece quando uma pessoa decide que não é Deus."
 Autor desconhecido

 

INFORMAÇÕES
 

FESTA DE SANTA CATARINA

 
TRÍDUO - 22, 23 e 24 de novembro.
                  Dia 22- confissões às 19 horas e Eucaristia.
                  Dias 23 e 24- Eucaristia às 19 horas.
 DIA 25
                  EUCARISTIA DE FESTA às 13 horas.
                  Depois da Eucaristia arrematações e procissão.
 

FESTA COM OS IDOSOS NA RIBEIRA SECA

O Movimento da Mensagem de Fátima da Ribeira Seca, convida todos os idosos da paróquia para a festa que se vai realizar no dia 26 de novembro. Iniciando com a Missa às 14 horas seguida de convívio na Casa do Divino Espírito Santo.
 

Faça download desta Carta Familiar em formato PDF: Nº 511

Agenda Pastoral

Destaque

Mais Recente Carta Familiar em PDF!

Nº 827

Pensamento da Semana

Dá-nos um coração claro que veja o céu aberto
e o mundo como os olhos de uma criança,
olhos de confiança e de descoberta
que nos salvem dos hábitos.

 

Os nossos Links

Ouvidoria de São Jorge
FAJÃS Grupo de Jovens
Cartas Familiares Anteriores

H2ONews

Visitas


Ver Estatísticas